Sábado, 15 de Novembro de 2008

Documentário registra trabalhos de artesãos


Documentário enfoca artesãos da Região Metropolitana de Curitiba que fazem de sua arte uma forma de sobrevivência. O documentário, de Josina Melo, será lançado nesta segunda-feira (17), na Cinemateca
 



Depois de dois anos trabalhando no projeto de um documentário sobre artesãos que vivem na Região Metropolitana de Curitiba, a cineasta Josina Melo traz ao público Sobre o fazer. O documentário foi produzido pela Fundação Cultural de Curitiba, com apoio da Secretaria Municipal de Assuntos Metropolitanos, como parte das ações de identificação e resgate do patrimônio imaterial. A sessão de lançamento acontece na próxima segunda-feira (17), às 19h30, na Cinemateca de Curitiba.

O filme, dividido em dois DVDs, registra a produção de mais de 20 “artistas artesãos”, como define a diretora, localizados em oito municípios da grande Curitiba. Ali estão pessoas simples que fazem de matérias-primas, como capim barba-de-bode, madeiras, sucatas, vime, palha de milho, obras de arte que posteriormente são vendidas num comércio ainda inexpressivo.

Antonio Passarinheiro, de Bocaiúva do Sul, autor de pássaros e carrancas multicoloridas, teve mais visibilidade anos passados. Uma de suas colocações no documentário diz respeito à falta por um olhar mais atento sobre os verdadeiros artesãos, aqueles que transformam a matéria-prima bruta sem valer-se de produtos já industrializados.

“Compra-se o material pronto, põe um enfeitinho e vira artesanato”, comenta Josina. “A história dessa gente é outra, muito mais sofrida, há toda uma aprendizagem ancestral”.

Aliás, este é um traço em comum entre eles, observa a cineasta: “Todos começaram a trabalhar com a arte ainda pequenos, aos 7, 8 anos de idade. Um deles, o Pablo, era assistente de oficina de um tio. Começou a brincar com solda e hoje junta peças que encontra jogadas e cria seus objetos”. Dona Zélia, que trabalha com lã aprendeu os segredos dos fios com a avó. São ensinamentos que passam de geração a geração.

Essa corrente, no entanto, pode sofrer ruptura. Dona Bárbara e seu Irineu, de Campo Largo, processam o vime até transformá-lo em cestas, mas não têm a quem transmitir esse conhecimento. Eles querem ensinar como plantar o vime, a época de se cortar os galhos (quando estão vermelhos), o cozimento, depois descascar, separar as varinhas e, finalmente, montar as cestas.

“Todos eles têm vontade de repassar o que sabem. Por exemplo, o Francisco, filho do Laurentino, dos bonecos cata-vento, contou que deu aula a crianças de Campo Largo, mas foi uma única vez. Ele queria dar mais aulas, esse é um desejo de todos”, enfatiza a cineasta.

Ela conta que viver meses envolvida com essa gente trouxe-lhe outra dimensão da vida. “Deixei a dimensão urbana e fui para outra campesina, bucólica, romântica. São pessoas mais amorosas, mais sensíveis”.

Josina Melo destaca também a gentileza de músicos, compositores e intérpretes de Curitiba que cederam trechos de suas obras para serem inseridas no documentário. Estão lá, entre outros, sonoridades da Terra Sonora, Mario da Silva, Edith Camargo, Vital Joffily, Wandula.

Recentemente parte desse material foi selecionado no festival de cinema da Lapa, mais precisamente Sobre o fazer – Artesãs da Lapa, mostrando o trabalho de quatro irmãs com capim barba-de-bode. Pela primeira vez na vida as quatro foram ao cinema – e se viram na tela.

Josina espera que a difusão sobre esses artistas, a partir de Sobre o fazer, renda-lhes convites para darem aulas. “Eles ficariam felizes em repassar os ensinamentos e estaríamos cumprindo uma função sócio-cultural”. Naturalmente espera-se também que vendam mais os seus produtos. Apesar de satisfeita com o resultado final, Josina Melo não pensa em parar por aí. Faltam ainda 17 municípios para completar toda a Região Metropolitana, com seus artistas nem sempre visíveis.


Serviço: Serviço: Lançamento do filme Sobre o fazer, de Josina Melo, que mostra o trabalho de artesãos da Região Metropolitana de Curitiba Data: 17 de novembro de 2008 (segunda-feira), às 19h30 Local: Cinemateca de Curitiba (Rua Carlos Cavalcanti, 1.174) Entrada franca

publicado por o editor às 12:17
link do post | comentar | favorito

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

.FALE COM A GENTE


.subscrever feeds