Segunda-feira, 17 de Novembro de 2008

CRISE DA LEITURA E DA ESCRITA NA ESCOLA: Usma reflexão para os educadores


A CRISE DA LEITURA E DA ESCRITA NA ESCOLA:
Uma reflexão para os educadores

Martha Patrícia da Silva Bezerra
Graduada em Letras e especialista em Leitura e Literatura

A tarefa de educar e aplicar os conhecimentos para nossos alunos de maneira adequada e eficaz é um desafio constante para qualquer professor. Mudar nossas metodologias acerca de um objeto de estudo é uma tarefa não só difícil como também complexa.

Essa tarefa exige dedicação do educador, conhecimento da realidade dos alunos, tanto a nível político- econômico, quanto cultural- social. Hoje é incontestável uma reflexão sobre nossa prática docente, seja de qualquer área do conhecimento, pois cada vez mais, é comum os educadores atribuírem o fracasso do aluno em suas disciplinas ao fato de não saberem ler e, com isso, têm dificuldades de interpretar e escrever.

É angustiante vermos estudantes de todos os níveis do ensino fundamental, médio e até de nível superior com problema para ler e entender um texto. Acredito que a causa desse problema não seja apenas ao professor de língua portuguesa, mas de um conjunto de fatores, como o desinteresse de muitos estudantes pela prática da leitura, falta de acompanhamento escolar, falta de bibliotecas, em especial nas escolas públicas, a era da informática (internet), televisão, jogos. A escola tem a responsabilidade maior de formar leitores e escritores, precisamos buscar estratégias para despertar o interesse das crianças e jovens pela leitura, eles não vão se estimular sozinhos, pois ao saírem da instituição escolar, outras atividades os esperam.

Para que esse trabalho tenha sucesso é preciso à colaboração de todos os educadores, todos devem ministrar suas aulas com atividades que estimulem o gosto pela leitura e pela escrita, uma ação coletiva fazendo uso da intertextualidade, como um grupo que busca interesse em comum. Dessa forma, o professor de língua portuguesa, responsável pela diversidade de texto, pode ministrar uma aula com um texto que os alunos estudaram em ciências que fala das questões ambientais, ou de história sobre os poderes públicos, fazendo após as leituras, reflexões, debates e produção textual. Contribuindo, assim, com as demais áreas do conhecimento.

Os demais educadores podem se comprometer em ajudar o professor de língua materna, ensinando aos alunos a escrita correta das palavras, o emprego adequado da linguagem nas várias situações de sala de aula e do cotidiano, usando o dicionário para ampliar o vocabulário dos alunos. Levar os estudantes à biblioteca é tarefa de todos os educadores, pois ao se depararem nesse ambiente, os estudantes irão encontrar livros que tratam de todos os assuntos, por isso é preciso elaborar projetos de leituras coletivas e produções de textos com os assuntos escolhidos pelos professores e alunos, tendo em vista que, escrevemos mais e melhor quando o assunto nos interessa e gostamos. Outra alternativa é criar rodas de leituras, troca de livros entre todos, recitais poéticos com assuntos das diversas disciplinas , por exemplo, um poema sobre o sistema solar, ou sobre o lixo,que envolvam todos alunos e outras atividades que despertem – lhes prazer pela leitura e pela a escrita.

Esse trabalho que apresentamos como sugestão para melhorar a dificuldades da prática da leitura e da escrita faz referência à história do sabiá que tentava apagar o incêndio da floresta levando de gota em gota a água do riacho. Até que um animal perguntou o que ele fazia, após a resposta do pássaro, o bicho criticou sua atitude falando que a ave não iria conseguir apagar todo aquele fogo com apenas algumas gotinhas de água. O sabiá, porém, no auge de sua sabedoria respondeu que estava fazendo a sua parte. Numa reflexão mais profunda dessa fábula, lembramos que nossa é tarefa motivarmos nossos alunos para lerem mais e como conseqüência eles escreverão melhor, pois se todos contribuírem para que os estudantes melhorem na escrita e se tornem leitores o problema em questão será solucionado.

O aprendizado depende, sobretudo, de condições favoráveis, professores que enfrentem desafios. Se os alunos não sabem ou não gostam de ler, então precisamos ensiná- los, instigá- los a descobrir o prazer da leitura. Existe para isso uma diversidade de textos, para os que não gostam de jornal, ofereça um texto literário, pois é oposto ficção e realidade, pois cada aluno tem sua idade de leitura, alguns gostam de livros fininhos, outros com mais figuras que palavras, mas há aqueles que também gostam de livros volumosos. Precisamos atender a todos para que o problema da leitura e da escrita seja solucionado.

É através do educador, principalmente, que acontecerão as novas abordagens do ensino de maneira significativa, não estamos na escola apenas para cumprir planejamento, plano de curso e concluirmos os livros didáticos no final do ano, estamos na escola com um único objetivo: Fazer nossos alunos aprenderem e se tornarem cidadãos conscientes da realidade em que estão inseridos.

Para Maurício Tardif (2002), ensinar supõe aprender a ensinar, dominar os saberes necessários a realização do seu trabalho docente. Paulo Freire (1992) complementa dizendo que não é possível prática sem avaliar a prática, pois quando avaliamos a prática analisamos o que estamos fazendo, comparamos os resultados obtidos com a finalidade do queremos alcançar. A avaliação da prática revela acertos, erros e imprecisões. A avaliação corrige a prática, melhora a prática, aumenta a nossa eficiência.

A leitura e a escrita é um problema a ser resolvido não só nas escolas de Manaus como em todo país. Na escola todos os professores lidam com a linguagem, pois o aluno escreve em todas as disciplinas, precisam ler compreender, expor verbalmente o que entenderam todo esse processo de ensino – aprendizagem precisa ser eficaz para que os estudantes avancem intelectualmente e sejam aprovados não só pela escola como pela sociedade.

A escola é a instituição privilegiada para se difundir a cultura, lá prendemos a ler e escrever, portanto, precisamos criar mecanismos para cumprir a nossa função social. Devemos preparar nossos alunos para assumirem seu papel como cidadãos reflexivos, críticos e atuantes no meio em que vivem. Com isso nos respaldamos nas palavras dos Parâmetros Curriculares Nacionais de Língua Portuguesa (1998), quando afirma que a função da escola é formar leitores e escritores. Recuperar o compromisso de todos os educadores trará bons resultados para o futuro de nossas crianças e jovens.

.......................................................................................

Martha Patrícia da S. Bezerra
Especialista em Leitura e Literatura
Fone: 092-3302-8262
E-mail: marthapatricia2@ig.com.br
Centro Educacional Adalberto Vale – Manaus/AM


publicado por o editor às 10:44
link do post | comentar | favorito

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

.FALE COM A GENTE


.subscrever feeds