Quinta-feira, 11 de Dezembro de 2008

NINGUÉM POR TESTEMUNHA

NINGUÉM POR TESTEMUNHA
de Elizabeth George

Páginas:572

De um lado, jovens desajustados e uma organização não governamental que tenta recuperar adolescentes da marginalidade. Do outro, famílias bem estruturadas e policiais que tentam proteger as estruturas da sociedade. Em algum momento no cotidiano de uma grande cidade, os dois universos paralelos se encontram, nem sempre para conviver pacificamente. A escritora Elizabeth George juntou a esses elementos um psicopata que encontra nas distorções sociais a justificativa de seus crimes para criar a trama de Ninguém por testemunha.

À frente das investigações dos assassinatos cometidos aparentemente por um serial killer pedófilo, racista e homossexual está o inspetor Thomas Linley, acompanhado por sua parceira, a detetive Barbara Havers. Enquanto Linley vive um momento pessoal feliz – sua mulher está grávida do primeiro filho – , Barbara amarga a frustração de não haver sido promovida em detrimento de um colega que chegou ao cargo, provavelmente, para atender às necessidades de imagem que a New Scotland Yard quer divulgar para a opinião pública.

Ao mesmo tempo que lida com as disputas profissionais de sua equipe, tentando proteger a amiga Barbara sem se indispor com seus superiores, que determinam as promoções no departamento, Linley precisa estimular os colegas a prosseguirem nas investigações, mesmo sem acreditar no mérito de quem alcançou a chefia.

A americana Elizabeth George situa esta décima terceira aventura de Linley, um policial de origem aristocrática, na Londres da atualidade, onde filhos de imigrantes convivem com o desemprego, a inadaptação social e os preconceitos que persistem apesar da globalização. O liberal Thomas Linley ainda almeja uma vida dentro dos preceitos tradicionais, embora compreenda e se entusiasme com as mudanças que chegam com a modernidade. O que ele não espera é que a violência que combate profissionalmente venha bater à sua porta.

Em Ninguém por testemunha, Elizabeth George mostra o crime não apenas através do ponto de vista de quem o combate, mas também de quem o planeja e o comete. No olhar do criminoso e em sua lógica que ignora os direitos humanitários, mas que também pretende reorganizar a ordem social, por entender que a punição pode evitar a repetição de erros, está um dos pontos fortes da intrincada trama. A autora comprova, mais uma vez, por que é uma das maiores referências da literatura de mistério, capaz de transportar o leitor para uma Inglaterra de tramas complexas e detalhes sutis.


A AUTORA


Elizabeth George Susan nasceu em Warren, Ohio.

Ela é graduada pela University of California em Riverside. Também participou em Fullerton Califórnia State University, onde mestrou-se em Psicologia.

Profissionalmente, começou como professora. Ela estava empregada no Mater Dei High School, em Santa Ana inicialmente, onde foi sumariamente demitida do trabalho, juntamente com outras dez professores por atividade sindical. Mudou-se então para El Toro (agora chamado Lake Forest, Califórnia) e lecionou na El Toro High School, Califórnia , onde permaneceu durante o resto de sua carreira como professora de Inglês. Saiu da área de educação após treze anos e meio, quando vendeu o seu primeiro romance, A Great Deliverance, publicado pela editora Bantam Books.

Ela ganhou o Prêmio Anthony, o Agatha Award, e o Le Grand Prix de Literatura da França pelo seu romance policial A Great Deliverance, para o qual ela foi também indicada para o Edgar e os Macavity Awards.

A maioria de seus romances foram filmados pela televisão para a BBC e também veiculados pela PBS .

Suas Obras

A americana Susan Elizabeth George já escreveu 20 livros,Hoje ela costuma freqüentar a disputada lista de livros mais vendidos do The New York Times. Dela a Rocco publicou "Crime em dois Tempos", "Um traidor da Memória", "Em busca do pecador perfeito" e "Máscaras da ilusão".




UM LANÇAMENTO DA




publicado por o editor às 11:59
link do post | comentar | favorito

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

.FALE COM A GENTE


.subscrever feeds