Quinta-feira, 22 de Janeiro de 2009

NENHUM PÁSSARO NO CÉU

NENHUM PÁSSARO NO CÉU

de LUÍZ HORÁCIO


Páginas: 224
 

Nenhum Pássaro no Céu resgata a conexão do gaúcho com suas raízes latinas, proeza rara em nossa literatura.

Trata-se de um romance regional que, como toda a grande obra, consegue partir do ambiente restrito para alcançar reflexões universais. Ao abordar frustrações, temores e sentimentos do homem da fronteira, o autor constrói um painel híbrido como o dialeto da região em que nasceu e se criou. Se Camilo ultrapassa os limites do tempo e da morte e alça vôo num céu só seu, Luíz Horácio busca na literatura o redesenho da nossa condição humana. Nenhum Pássaro no Céu é seu próprio vôo transcendental.

"Nenhum pássaro no céu vem em boa hora: enfim, um livro para lembrar o nosso poder de vôo. "Raízes e asas. Mas que as asas enraízem e as raízes voem", escreveu uma vez um poeta nascido no sul da Andaluzia, Juan Ramón Jimenez. E é no sul rio-grandense que a imaginação agora se enraíza para ganhar o céu dos pampas. Neste segundo romance de Luíz Horácio novamente se nos descortinam as terras em que aprendemos a ler a nossa história. Mas, desta vez, dentro do silêncio imenso que abriga a sesta na estância dos Sosa, um outro silêncio se alastra, ameaçando a vida no campo: o vazio de um esquecimento, a falta de um amor, um piano trancado. Contra esse silêncio, a natureza dá a ouvir sua voz - bichos, árvores e nuvens falam, conspiram, mandam recados. Contra o vazio, duas solidões se encontram. Abre-se o piano e a música enche a noite do pampa, os amigos conversam entre dois copos de canha, homens e mulheres se reúnem em igual número na roda de chimarrão. No galpão da estância há um presente guardado para Camilo Sosa: uma caixa. Nela está contido um segredo que todo leitor deste livro deve guardar para si, também como um regalo. Um regalo que devolve ao nosso tempo a palavra do poeta contra a morte do mito e da memória. Asas e raízes. O que não cabe no olhar. O impossível que nos entrelaça. Enquanto estivermos neste horizonte largo, à hora em que cantam os primeiros pássaros, nesta casa branca com janelas verde-escuras, verde de musgo úmido, enquanto a imaginação, no seu silêncio, for mais valente do que o silêncio de morte, "um de nós ainda há de voar". Mariana Ianelli"

UM LANÇAMENTO



 

 

publicado por o editor às 12:46
link do post | comentar | favorito

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

.FALE COM A GENTE


.subscrever feeds