Sexta-feira, 29 de Maio de 2009

Avalon e o Graal - E outros Mistérios Arturianos

 
Avalon e o Graal - E outros Mistérios Arturianos


 
de H. Gerenstadt


 
 


 
Páginas: 144


 
 


 
Avalon e o Graal é uma obra rica em informações sobre o lado oculto das lendas arturianas, regidas pelas leis sagradas da iniciação. O rei Arthur, Merlim, Lancelot, Guinevere, Percival ou Galahad são arquétipos universais que pertencem ao acervo cultural de toda a humanidade.


 
 


 
"Avalon e o Graal é uma obra rica em informações sobre o lado oculto das lendas arturianas, regidas pelas leis sagradas da iniciação. O rei Arthur, Merlim, Lancelot, Guinevere, Percival ou Galahad são arquétipos universais que pertencem ao acervo cultural de toda a humanidade. Por trás de suas façanhas, encontra-se o simbolismo da eterna busca do Homem à procura da Verdade, representada pelo Santo Graal. Nas leituras do rei Arthur, um dos requisitos fundamentais para encontrar-se o Graal era a pureza do coração.

A ilha de Avalon era tida pelos celtas como um portal do outro mundo com a nossa dimensão, é o local consagrado pela tradição como o último lugar de descanso de Arthur. Mais que uma ilha de fadas, Avalon era considerada um lugar em que a eternidade tocava a Terra, onde qualquer coisa podia ocorrer e ocorria. Era ao mesmo tempo uma porta entre os mundos e a morada dos mais profundos mistérios da Grã-Bretanha. Avalon era um lugar de cura, um lugar de Paz.

Ao ler este livro, o leitor encontrará preciosidades como:
Os mistérios de Avalon - conforme o Misticismo;O significado Mágico do Santo Graal; A busca iniciática dos Cavaleiros da Távola Redonda; Glastonbury - Santuário Mágico da Cultura Megalítica.

Avalon e o Graal pretende resgatar o campo do conhecimento puro, num mundo convertido em realidade, saído do fundo de nossos corações.

A leitura desta obra alimenta o desejo de conquitar uma meta superior por meio de uma busca que só pode empreender quem esteja preparado.

Se você está em busca de autoconhecimento e crescimento pessoal, esta é a obra ideal para sua leitura. "


 
 


 
um lançamento da


 
 

 

 
publicado por o editor às 17:52
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Explosão de estrelas

 

Explosão de estrelas



de Robin Pilcher



 



Páginas: 476



 



Quando a cascata de fogos de artifício ilumina o Castelo de Edimburgo na última noite do festival, a magia começa...
Todo verão, o Festival Internacional de Edimburgo atrai artistas célebres —músicos, comediantes e atores — para a adorável capital escocesa. Milhares de pessoas chegam à cidade para participar de uma magnífica celebração.Este ano, o festival anual de Edimburgo recebe seis indivíduos extraordinários e vibrantes, que se juntam em busca de seus sonhos — sucesso, amor, fama e felicidade.Angélique, a linda e renomada violinista cuja fama esconde sua dor secreta; Tess, membro da equipe de marketing do festival, uma jovem recém-casada lutando contra seus próprios segredos; Roger, cujo deslumbrante espetáculo de fogos de artifício será o grand finale do festival e de sua carreira; Leonard, o diretor de fotografia já idoso que deseja uma última chance de brilhar; Rene, a comediante promissora a caminho do estrelato; e Jamie, o belo e jovem dono do apartamento que unirá a todos e acabará encontrando o amor ao longo do caminho.Todos querem descobrir o que o destino lhes reserva. Durante um verão magnífico e especial, caminhos se cruzarão, e vidas serão transformadas para sempre.



 



 



O AUTOR



Robin Pilcher é o filho mais velho de Rosamunde Pilcher. Vive com a esposa e os filhos em Dundee, Escócia.
 



 



UM LANÇAMENTO DE PESO DA

 



 


 
publicado por o editor às 17:51
link do post | comentar | favorito

O Diabo no Porta-Malas

 

 

 

O Diabo no Porta-Malas


de Marcos Rey


Ilustrações - Spacca



Nº de Páginas: 128


 



Com a publicação de O Diabo no Porta-malas, em 1995, Marcos Rey recebeu o prêmio Intelectual do Ano. Nesse livro, o autor mostra mais uma vez ser um criador hábil de excelentes enredos. Miro é condenado injustamente a vinte anos de prisão por matar seu sócio, Ricardo Canaviera. O corpo esfaqueado e fantasiado de diabo foi colocado no porta-malas de seu carro. Seu filho Mário, um rapaz de dezoito anos, promete descobrir o verdadeiro assassino. Ajudado por Nadia, namorada do pai, envolve-se em uma intensa e arriscada investigação. Mário não dormiu mais que uma hora naquela noite. As poucas frases lembradas corroeram-lhe o sono como ratos. Ao amanhecer já decidira o que fazer. Mário dirigiu-se ao escritório do doutor Nestor sem marcar consulta. O advogado já foi dizendo que dispunha de pouco tempo.(...) - Eu e Nádia estamos investigando. Pelo menos já descobrimos por que Rico usava capa preta (...)


 



Aluno-leitor: a partir de 12 anos


 



Temas principaisAventura Policial , Justiça Temas abordadosEquilíbrio Ecológico , Solidariedade , Amor , Justiça Temas transversaisÉtica InterdisciplinariedadeHistória , Geografia , Artes , Língua Portuguesa Atividades para o Professor Montar um júri para julgar o pai de Mário e/ou o verdadeiro assassino. Discutir: a justiça é cega?! Conhecer um pouco a respeito do Código Penal brasileiro. Pesquisar sobre detetives famosos - no cinema, na literatura.

 

UM LANÇAMENTO

 

 

 
publicado por o editor às 17:50
link do post | comentar | favorito

Combate à pirataria é tema de seminário promovido pelo Ministério Público Estadual de São Paulo

 

 

A Associação Brasileira de Direitos Reprográficos (ABDR) estará presente no Seminário de Combate à Pirataria, realizado no dia 29 de maio pela Escola Superior do Ministério Público do Estado de São Paulo (ESMP). O evento terá como base quatro painéis, nos quais serão discutidos temas como propriedade intelectual, crime organizado, proteção e defesa do consumidor e violação do direito autoral. O debate sobre a violação do direito autoral será conduzido pelo consultor jurídico da ABDR, Dalízio Barros, e por Alexandre Carvalho, da Lexmark. Barros abordará uma situação recorrente em instituições de ensino superior brasileiras: a cópia de livros. Proibida por lei por caracterizar violação de direito autoral, a prática, juntamente à reprodução integral de conteúdos editoriais, gera prejuízo de R$ 400 milhões por ano ao setor.Os painéis serão moderados pelo presidente do Fórum Nacional de Combate à Pirataria (FNCP), Alexandre Cruz, pelo diretor-geral da Abiótica, Bento Alcoforado, pelo presidente do Instituto Brasil Legal (IBL), Edson Vismona e pelo presidente do Instituto do Capital Intelectual (ICI), Márcio Gonçalves. Paralelamente ao evento, o seminário terá expositores demonstrando ao público presente as principais diferenças entre o produto original e o falsificado. O evento será realizado no Auditório Almeida de Moraes (Procuradoria Geral de Justiça) do Ministério Público de São Paulo (Rua Riachuelo, 111 – Centro – São Paulo-SP).

As inscrições podem ser feitas no site http://www.esmp.sp.gov.br/.

Seminário de Combate à Pirataria do Ministério Público do Estado de São PauloData: 29 de maio de 2009Horário: 8h30 às 13h10Local: Auditório do MP/SP – Rua Riachuelo, 115 – 9ª andar - CentroProgramação:8h30 – 9h - Credenciamento - Welcome coffee9h - Abertura: Procurador Geral de Justiça do MP/SP – Dr. Fernando Grella9h15 - FNCP – Problemas que afetam a indústria - Alexandre Cruz – Presidente do FNCP1° Painel: Proteção e Defesa do consumidor: Saúde e Segurança - MODERADOR - Alexandre Cruz – FNCP9h20 – Anvisa – Tânia Pich (Gerente Geral de Saneantes)9h40 - Sérgio Alvarenga – SINDIPEÇAS (peças automotivas/segurança)10h – Juliana Azevedo de Souza (Diretoria de Qualidade – INMETRO/DQUAL)10h20 – Laura Schertel Mendes - Coordenadora Geral de Supervisão e Controle - DPDC/MJ10h40 – abertura para perguntas2° Painel: Violação de Direito Autoral e Defesa da Marca: MODERADOR – Bento Alcoforado (Abiótica)10h40 às 11h10 – Dalízio Barros (ABDR) e Alexandre Carvalho (Lexmark)3° Painel: Crime organizado (lavagem de dinheiro, organizações criminosas, Rotas usados poelos contrabandistas): MODERADOR – Edson Vismona (IBL)11h15 – Dr. Antonio Carlos de Moura Campos – Diretor Adjunto da DEAT /Fazenda Estadual/SP11h35 - Dr. Bevilácqua - Promotor de Justiça - MP/SP11h55 – Representante da Diretoria de Combate ao Crime Organizado - DCOR/DPF 12h15 - Aberto para perguntas4° Painel: Propriedade Intelectual e Desafios Processuais: MODERADORA - Márcio Gonçalves – Presidente do ICI12h20 - Dra. Lilian Pinho – Procuradora de Justiça MP/RJ12h40– Dr.Luiz Claudio Garé – Advogado e Membro do BPG13h- Dr. Rossini (Coordenador do CAO Crime) e Dr. André Estefan Araújo Lima - MP/SP13h20 - Aberto para perguntas 13h30 – EncerramentoMais informações: http://www.esmp.sp.gov.br/Sobre a ABDRA ABDR (Associação Brasileira dos Direitos Reprográficos) é uma associação sem fins lucrativos, que reúne algumas das mais importantes editoras e autores de livros do País. Seu objetivo é a conscientização da população sobre a necessidade de se respeitar o direito autoral, na esteira da Lei nº 9.610/98 que o regulamenta no Brasil, esclarecendo, educando e proporcionando encontros e discussões sobre a preservação destes direitos, atuando como entidade fiscalizadora e repressora da reprodução ilegal das obras de seus associados

 
tags:
publicado por o editor às 17:49
link do post | comentar | favorito

Internos do Complexo Médico Penal expõem na Casa Culpi


 

Participantes do Programa Oficinarte fazem da produção artística um instrumento de ressocialização, com obras impregnadas de sentimentos. A Casa Culpi – Memorial da Imigração Italiana, espaço da Prefeitura Municipal, abriga a exposição de pinturas Oficinarte 2009, que reúne a produção artística de 15 internos do Complexo Médico Penal do Paraná. A partir das 19h de quarta-feira (3), o público confere o resultado de um programa desenvolvido há cinco anos com a proposta de ressocialização por meio da arte. As telas na técnica de pintura acrílica podem ser apreciadas até o dia 5 de julho de 2009, com entrada franca. O Complexo Médico Penal, unidade mantida pela Secretaria de Estado da Justiça e da Cidadania, é uma instituição penal de regime fechado para homens e mulheres que necessitam de atendimento psiquiátrico e ambulatorial. Por iniciativa da médica Cinthia Maria Bernadelli Mattar e da professora e artista plástica Odília Vallim, surgiu o Programa Oficinarte, que abre aos internos a possibilidade de reintegração social pelos caminhos da arte. “A evolução do tratamento com a Arte é visível no crescimento e evolução do fazer artístico dos internos, na melhora da sua autoestima e do quadro clínico, transbordando em emoções, lirísmo, questionamentos e percepções”, ressalta Ana Itália Paraná Mariano, curadora da mostra. Na avaliação de Ana Itália, a produção desses pacientes artistas forma um contexto que transita entre o hipnótico e o lúdico. O Oficinarte possui um museu virtual que pode ser acessado pelo endereço eletrônico http://www.oficinarte.pr.gov.br/. O acervo fotográfico do museu apresenta à sociedade e aos profissionais das diversas áreas do conhecimento as mudanças que os internos acumularam ao longo do tratamento.
 
 
Serviço: Exposição Oficinarte 2009
Local: Casa Culpi – Memorial da Imigração Italiana (Av. Manoel Ribas, 8.450 – Santa Felicidade)
Data: de 3 de junho (abertura às 19h) a 5 de julho de 2009
Horário de visitas: de terça a sexta-feira das 10h às 18h; sábado e domingo, das 9h às 15h
Entrada franca

 

 
publicado por o editor às 17:48
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 27 de Maio de 2009

Bandolim completa espetáculo da Sinfonética Comunitária

 

 


 

O bandolinista Daniel Migliavacca é o convidado para o show desta sexta-feira (29), no Conservatório de MPB de Curitiba.

 

O som do bandolim de Daniel Migliavacca integra o show que o grupo curitibano Sinfonética Comunitária Flutuante apresenta às 20h desta sexta-feira (29). A sessão musical acontece no Conservatório de MPB de Curitiba, espaço da Prefeitura Municipal, e leva ao palco o talento de instrumentistas locais, numa proposta que une improviso e criatividade. Paulistano radicado em Curitiba desde 2000, Daniel Migliavacca tem 24 anos de idade e iniciou seus estudos musicais tocando cavaquinho. Em 2003, o instrumentista optou pelo bandolim, tendo frequentado cursos, oficinas de música e workshops com Izaías Bueno de Almeida, Pedro Amorim, Hamilton de Holanda, Leandro Braga, Vittor Santos, entre outros. No currículo de Migliavacca estão participações em importantes festivais de música instrumental pelo país, como o Brasil Instrumental de Tatuí (SP), Festival de Música Instrumental de Guarulhos (SP) e o Festival de Jazz de Joinville (SC). Em 2006, conquistou o primeiro lugar no Prêmio Nabor Pires Camargo (SP) como melhor instrumentista.Integrante da Orquestra À Base de Corda do Conservatório de MPB de Curitiba e do Clube do Choro de Curitiba, o músico já dividiu o palco com nomes como Renato Borghetti, Ná Ozzetti, Dominguinhos, André Abujamra, Leandro Braga, Hamilton de Holanda, Rogério Souza e Ronaldo do Bandolim. Atualmente cursando o terceiro ano de Bacharelado em Música Popular na Faculdade de Artes do Paraná, Daniel Migliavacca prepara seu primeiro disco solo. Sinfonética – O improviso é uma das características da Sinfonética, que faz com que artistas e platéia compartilhem o inesperado. Normalmente, a formação do grupo e o repertório a ser executado são conhecidos somente quando os músicos começam a tocar. O grupo é coordenado pelo instrumentista, compositor e professor Glauco Sölter. A Sinfonética reúne-se desde 2001. Os primeiros encontros foram em bares da cidade e, em 2004, as apresentações passaram a acontecer no Conservatório de MPB. O espetáculo é uma oportunidade para os jovens talentos estarem ao lado de profissionais experientes. O repertório conta com obras dos grandes mestres da música brasileira de todos os tempos, entre eles Hermeto Pascoal, Egberto Gismonti, Edu Lobo, Tom Jobim, Pixinguinha, Jacob do Bandolim, Toninho Horta, Laércio de Freitas e Waltel Branco, além de composições de músicos locais. O objetivo principal do grupo é divulgar e experimentar a produção musical do Brasil.

 

Serviço:Sinfonética Comunitária Flutuante com o bandolinista Daniel Migliavacca

 

Data e horário: 29 de maio de 2009 (sexta-feira), às 20h

 

Local: Conservatório de Música Popular Brasileira de Curitiba (Rua Mateus Leme, 66 – Setor Histórico)

 

Ingressos: R$ 5 e R$ 2,50 (estudantes)Informações: (41) 3321-3208

 

 
publicado por o editor às 21:52
link do post | comentar | favorito

Silêncio no bordel da Tia Chininha

 

Silêncio no bordel da Tia Chininha


de Eliziário Goulart Rocha


 


Esta é uma primorosa segunda edição de um livro no mínimo instigante e envolvente. (E.C.)


 


Veja o que nos recomenda Ricardo Bueno - "A vida é um cabaré .Então você também anda com a sensação de que está vivendo no quarto dos fundos de um bordel? Sussurros, ranger de molas, risinhos de escárnio, odores ilícitos têm assombrado seu sono e perturbado sua imaginação? Bem-vindo ao clube dos estarrecidos – e não se culpe caso julgue ter perdido o senso de indignação, se ao menos ainda conserva o do ridículo. Eis aqui uma das metáforas mais intensas do primeiro romance de Eliziário Goulart Rocha – tão boa quanto às outras: se estamos vivendo em uma casa de tolerância é apenas porque a vida é um cabaré.
Silêncio no bordel de Tia Chininha é uma novela breve e enternecedora. Entre seus méritos está o fato de produzir a certeza de que a trama está apenas começando tão logo se esgotam suas páginas. Depois de se cerrarem as portas, as imagens se mantêm silhuetadas na mente do leitor.
Da lascívia bem-temperada de Jorge Amado à escatologia explícita de Nelson Rodrigues, passando pela sociologia quase proustiana de Gilberto Freyre, as letras brasileiras já freqüentaram muitos prostíbulos e incontáveis rameiras. Mas ao transportar a ação para o vilarejo de Outeiro das Almas, na fronteira Sul do Brasil – “terra de ninguém e terra de todos” –, Eliziário foi capaz de conceder uma nova dimensão (não apenas espacial) ao randevu: ele o transformou em casa da sogra...
Mas talvez tenha chegado a hora de quebrar o silêncio, aguçar a audição e limpar o nariz ranhento. Deve haver uma saída honrosa desse puteiro. Mas você só vai descobri-la se entrar nele."


 


 


UM LANÇAMENTO DA


 

 

 
publicado por o editor às 21:50
link do post | comentar | favorito

PROGRAMAÇÃO DE CINEMA CURITIBA

 

 

De 29 de maio a 4 de junho de 2009

Domingo, 31 de maio – ingresso a R$1,00

CINEMATECA - Sala Groff – Rua Carlos Cavalcanti nº 1.174 / fone (41) 3321-3270 (De segunda a sexta-feira, das 9h às 12h e das 14h às 18h30) e (41) 3321-3252 (diariamente, das 14h30 às 21h) – Ingressos a R$ 5 e R$ 2,50 (estudantes). Gratuito para pessoas com idade a partir de 60 anos. www.fccdigital.com.br
SEMANA DO CINEMA ARGENTINO
(entrada franca)
Dia 29
Às 16h:
O CAMINHO DE SÃO DIEGO (El camino de San Diego - Argentina/2006 – 98’). Direção de Carlos Sorin, com Ignácio Benitez, Carlos Wagner la Bella.
Às 20h:
HISTÓRIAS MÍNIMAS (Argentina/2002 – 94’). Direção de Carlos Sorín, com Javier Lombardo, Antonio Benedidicti, Javiera Bravo.
6º ENCONTRO FICÇÃO VIVA
Exibição do longa-metragem “La película del Rey” (Argentina/1986 – 104’). Direção de Carlos Sorin, com Julio Chaves, Ulisses Dumont, Villanueva Cossé. Bate-papo com Jorge Goldenberg, roteirista do filme. Filme com legendas em português. Classificação 12 anos
Promoção do Projeto Olho Vivo em parceria com a FCC/Cinemateca.
Dias 30 e 31, às 20h – entrada franca
(exibição do filme nos dias 30 e 31 e bate-pato somente no dia 30)
MOSTRA CINEMA E MEIO AMBIENTE
De 1º a 4 de maio (ver programação anexa)
Lançamento curta-metragem:
JÁ NÃO MAIS ONTEM (BR/PR, 2009 – 8’). Direção, produção e figurino: Luci Orttega. Roteiro, edição, fotografia e mixagem: Fábio Miranda. Elenco: Monique Rau e Ricardo Juchem. Uma mulher que assume o prazer que sente em praticar atos criminosos. Um homem agindo contra tudo que sempre pregou. Duas vidas que se relacionam e mostram até que ponto co-existem. Classificação 16 anos
Dia 1º, às 20h – Entrada franca
III CURITIBA TANGO FESTIVAL
Entrada franca
Dia 3, às 19h:
Abertura do Festival com apresentação de dançarinos e aula de tango no hall de entrada da Cinemateca.
Às 20h:
O TANGO NA BRODWAY (El Tango en Brodway - EUA, 1934 – 83’). Direção de Luis Gasnier, com Carlos Gardel, Mona Maris,Vicente Padula, Anita Campillo.
A prazerosa vida de um playboy argentino em Nova York tem seu fim com a chegada de um tio muito severo que veio de Buenos Aires. Classificação 12 anos
Dia 4, às 19h30:
Apresentação de dançarinos e aula de tango no hall de entrada da Cinemateca.
Às 20h30:
MELODIA DE ARRABAL (França, 1932 – 82’). Direção de Luis Gasnier, com Carlos Gardel, Imperio Argentina, Vicente Padula, Jaime Devesa.
A vida de Roberto se resume em jogar cartas e cantar pelos bares dos subúrbios de Buenos Aires. Numa dessas noitadas, cruza seu caminho uma professora de piano que, ao ouvi-lo, percebe seu talento e lhe oferece a possibilidade de cantar profissionalmente. Classificação 12 anos

PROGRAMAÇÃO
De 29 de maio a 4 de junho de 2009
Domingo, 31de maio – ingresso a R$1,00
CINE LUZ – Rua XV de Novembro nº 822 / fone (41) 3321-3270 (De segunda a sexta-feira, das 9h às 12h e das 14h às 18h30) e (41) 3321-3261 (diariamente, das 14h30 às 21h). Ingressos a R$ 5 e R$ 2,50 (estudantes). Gratuito para pessoas com idade a partir de 60 anos. www.fccdigital.com.br
ENTRE OS MUROS DA ESCOLA (Entre les murs/The class), França, 2008 – 128’. Direção de Laurent Cantet. Com François Bégaudeau, Nassim Amrabt, Laura Baquela. François e os demais amigos professores se preparam para enfrentar mais um novo ano letivo. Tudo seria normal se a escola não estivesse em um bairro cheio de conflitos. Os mestres têm boas intenções e desejo para oferecer uma boa educação aos seus alunos, mas por causa das diferenças culturais - microcosmo da França contemporânea - esses jovens podem acabar com todo o entusiasmo. François quer surpreender os jovens ensinando o sentido da ética, mas eles não parecem dispostos a aceitar os métodos propostos. Classificação livre
Sessões às 15h, 17h30 e 20h
Domingo, dia 31 – sessões somente às 17h30 e 20h
A OITAVA COR DO ARCO-ÍRIS (BR, 2004 – 80’). Direção de Amauri Tangará, com Diego Borges, Izabel Serra, Waldir Bertúlio. Na pequena vila de Nossa Senhora da Guia, vive o menino Joãzinho, criado pela avó Dona Dindinha que muito doente sustenta o neto com a mísera aposentadoria que recebe. Quando Joãzinho flagra a avó rezando a Deus, pedindo para que ele a leve logo, pois não suporta as dores da saúde fragilizada por conta da idade, o menino resolve vender “Mocinha”, sua cabrita de estimação. Com o dinheiro arrecadado, Joãozinho pretende comprar os remédios da avó. Começa aí a jornada do pequeno protagonista, que percorre as vilas ao redor de sua moradia a fim de conseguir vender a cabrita. Classificação livre.
Domingo, dia 31 – sessões às 10h30 e 15h30

 
publicado por o editor às 21:50
link do post | comentar | favorito

História do Grande Oriente do Brasil - A Maçonaria na História do Brasil

 

 

 






A Maçonaria



A maçonaria é uma associação de carácter universal, cujos membros cultivam a filantropia, justiça social, aclassismo, humanidade, os princípios da liberdade, democracia e igualdade, aperfeiçoamento intelectual e fraternidade, é assim uma associação iniciática, filosófica, filantrópica e educativa. Os maçons estruturam-se e reúnem-se em células autónomas, designadas por oficinas, ateliers ou (como são mais conhecidas e correctamente designadas) Lojas, "todas iguais em direitos e honras, e independentes entre si".



Sendo uma associação iniciática, utiliza diversos símbolos, dos quais apenas alguns são geralmente conhecidos.



Cada Loja Maçónica é composta pelo Venerável Mestre (ou Presidente), que preside e orienta as sessões, pelo Primeiro Vigilante, que conduz os trabalhos e trata da organização e disciplina em geral e pelo Segundo Vigilante, que instrui os aprendizes. O Orador, que sumariza os trabalhos e reúne as conclusões é coadjuvado pelo Secretário, que redige as actas e trata da sua conservação e é responsável pelas relações administrativas entre a loja e a obediência e junto com o Venerável Mestre encontram-se a Oriente conjuntamente com o Venerável Mestre. O Mestre de Cerimônias, que introduz os irmãos na loja e conduz aos seus lugares os visitantes, e ajuda o Experto nas cerimônias de iniciação, o Tesoureiro, que recebe as quotizações e outros fundos da loja e vela pela sua organização financeira, e por fim o Guarda do Templo (que nalguns Ritos e lojas é só externo noutros é externo e interno e ainda noutros ambos são ocupados por irmãos diferentes) e que vela pela entrada do Templo são outros oficiais igualmente importantes. Os cargos do Venerável Mestre ao Secretário são chamados as luzes da oficina.


O LIVRO


História do Grande Oriente do Brasil - A Maçonaria na História do Brasil




de José Castellani e William Almeida de Carvalho




 




Páginas: 528



Este é um dos trabalhos mais completos publicados até o momento a respeito da história do Grande Oriente do Brasil (GOB), que mostra os principais acontecimentos que marcaram a trajetória da Ordem e do poder central da Maçonaria brasileira e de sua atuação nos principais fatos políticos e sociais do nosso país, como a Abolição da Escravatura, a Proclamação da República e a Independência do Brasil.A obra foi escrita por um dos mais respeitados historiadores maçônicos do Brasil, José Castellani, e por William Almeida de Carvalho, que também possui uma bagagem de conhecimento histórico invejável. Todo o trabalho é baseado em documentos oficiais e em longos anos de pesquisas.Os autores mostram os fatos desde a criação das primeiras agremiações e Lojas que antecederam a fundação do GOB, as dificuldades e as conquistas dos maçons brasileiros dos séculos XIX e XX, estendendo-se até os dias atuais, em que a Maçonaria ainda tem participação em diversos segmentos da sociedade brasileira e o Grande Oriente do Brasil busca deixar ao país o exemplo de seriedade dessa Ordem.

 

 

 

DETALHES


O Ir\ José Castellani foi iniciado em 9 de novembro de 1965, na Loja Comércio e Ciências, em São Paulo/SP. Em sua trajetória maçônica, chegou ao Grau 33 do Rito Escocês Antigo e Aceito, em 1976. Foi fundador de nove Lojas e autor de vários livros relacionados à Ordem. No Grande Oriente de São Paulo, exerceu os cargos de Grande Secretário de Cultura e Relações Públicas.No Poder Legislativo, atuou como Deputado da AFL. No Poder Executivo do Grande Oriente do Brasil, foi Grande Secretário-Geral de Educação e Cultura, Presidente do Conselho Federal de Cultura e Diretor da Minerva Maçônica. Fundou a Associação Brasileira de Imprensa Maçônica e a Academia Maçônica de Artes, Ciências e Letras.Dentre as inúmeras condecorações recebidas, foi detentor de vários títulos, entre esses, a Medalha Montezuma, maior condecoração do Supremo Conselho do Brasil para o REAA.O Ir Castellani partiu para o Oriente Eterno em 21 de novembro de 2004, deixando seu exemplo de dedicação à nossa Sublime Ordem.William Almeida de Carvalho - Obreiro da Loja Equidade & Justiça n° 2336, Grau 33, MPS, QCCC, ex-Diretor da Biblioteca do GOB, ex-Secretário de Educação e Cultura do GODF - GOB; autor de diversos livros e artigos sobre maçonaria (www.freemasons-freemasonry.com/carvalhofr.html), sócio fundador da Loja de Pesquisa do GOB; membro da Scottish Rite Research Society, da Academia Maçônica de Letras do DF, do Brasil e da Paraíba (corres-pondente), da Southern California Research Lodge, da Philalethes Society e da Masonic Library and Museum Association; representante do GOB em Congressos Maçônicos Internacionais em Santiago do Chile e em Edimburgo, na Escócia; mem-bro do Instituto Histórico e Geográfico do DF e da Academia de Letras de Brasília; ex-Secretário de Estado do Distrito Federal; ex-subchefe do Gabinete Civil da Presidência da República; sociólogo e pós-graduado em Administração Pública e doutor em Ciência Política pela Panthéon-Sorbonne; professor da Associação Brasileira de Orçamento Público (ABOP) e conferencista oficial da Asociación Internacional de Presupuesto Público (ASIP).

 

 

UM LANÇAMENTO DA

 

 

 
publicado por o editor às 21:48
link do post | comentar | favorito

Fenaj envia protesto formal à OEA em defesa do diploma

 

 

 

Inconformada com o posicionamento da Organização dos Estados Americanos (OEA), que classificou a obrigatoriedade do diploma como uma restrição à liberdade de expressão, a Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) enviou seu protesto formal nesta terça-feira (26/05). Por meio de carta, a entidade classifica como “absurda a confusão que se pretende fazer entre cerceamento à liberdade de expressão (...) com o direito dos jornalistas terem uma regulamentação profissional que exija o mínimo de qualificação”.

“A lei brasileira assegura o mais amplo direito à opinião como também determina, sem qualquer contradição, que o acesso à atividade profissional jornalística seja através de curso superior, oferecido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação”, diz o documento, assinado pelo presidente da Fenaj, Sérgio Murillo de Andrade.

O documento, encaminhado para a relatora especial da liberdade de expressão da OEA, Catalina Botero Marino, e para a chefe do Departamento de Direitos Humanos do Itamaraty, Gláucia Silveira Gauche, defende o curso superior em jornalismo para garantir “a responsabilidade e credibilidade na apuração”.

Para a Fenaj, a posição da OEA reflete “posições históricas patronais, articuladas pela Sociedade Interamericana de Imprensa, que tem o claro propósito de combater a livre organização dos trabalhadores”.

“O item 51 do relatório - na parte relativa ao Brasil - é uma afronta à memória da luta dos jornalistas brasileiros e uma defesa, sem direito ao contraditório, do fim da formação específica em Jornalismo - conquista do movimento sindical dos jornalistas e da sociedade brasileira, em vigor há mais de 40 anos”, diz o documento.

A Fenaj sugere que a OEA patrocine um debate mais amplo, que envolva todos os agentes sociais implicados, sobre direitos humanos, concentração da mídia, liberdade de expressão e de imprensa na América Latina e no Caribe.

 

 
tags:
publicado por o editor às 21:48
link do post | comentar | favorito

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

.FALE COM A GENTE


.subscrever feeds