Sábado, 29 de Agosto de 2009

HOMENAGEM A FERNANDO LANHAS

 

 

HOMENAGEM A FERNANDO LANHAS
NO CLUBE LITERÁRIO DO PORTO

 

Como forma de agradecimento pela obra e pensamento de Fernando Lanhas, decidiu o Clube Literário do Porto homenagear mais um grande artista desta Cidade, um dos maiores nomes da arte portuguesa do século XX. Nascido no Porto, em 1923, é um homem de múltiplos interesses, Arquitecto de formação, pintor, desenhador, poeta, arqueólogo, astrónomo, etnólogo, paleontólogo, coleccionador, etc.A sua pintura introduziu o abstraccionismo em Portugal a partir de finais dos anos 40, tendo desenvolvido ao longo da sua carreira, uma concepção original da pintura.Muito mais se poderia dizer sobre Fernando Lanhas, mas prefere o Clube Literário do Porto, convidar o público em geral a visitar este espaço e participar no mês de actividades que pretende organizar em sua homenagem, em simultâneo com a mostra que fará, alusiva à sua obra literária e ao seu pensamento.A exposição inaugura a 5 de Setembro de 2009 pelas 16h00 e poderá ser visitada de Segunda a Domingo, das 09h00 à 01h00 da manhã (entrada livre).
 
C l u b e l i t e r á r i o d o p o r t o Rua Nova da Alfândega, 22 4050-430 PORTO Telefone 222 089 228 http://www.clubeliterariodoporto.co.ptclubeliterario@fla.pt

 

 
publicado por o editor às 14:56
link do post | comentar | favorito

Casa Erbo Stenzel fechada

 

 

Casa Erbo Stenzel fechada
para manutenção


Localizada no Parque São Lourenço, a casa administrada pela Fundação Cultural de Curitiba abriga a história do artista Erbo Stenzel.
A Fundação Cultural de Curitiba avisa que a Casa Erbo Stenzel, localizada no Parque São Lourenço, está fechada para manutenção. A unidade reabrirá ao público assim que os trabalhos forem concluídos. Construída no século passado, a casa onde viveu o escultor paranaense Erbo Stenzel é composta de 11 peças e estava originalmente instalada na Travessa Francisco Lima e Silva, no Bairro São Francisco.
A recuperação da casa envolveu um trabalho minucioso de levantamento de cada peça e suas dimensões. Depois, em 1998, foi realizada a desmontagem, descupinização e remontagem no Parque São Lourenço. Em sua nova localização, a Casa Erbo Stenzel abriga a história do artista, suas obras, réplicas de painéis e monumentos existentes nas praças de Curitiba. Além do acervo ligado ao artista, o espaço abriga exposições temporárias sobre as praças e logradouros da cidade.

 
tags: ,
publicado por o editor às 14:54
link do post | comentar | favorito

Confira o DNA do Brasil

 

 


 

 

CLIQUE PARA AMPLIAR

 

 
publicado por o editor às 14:48
link do post | comentar | favorito

Apesar de decisão do STF, concursos públicos exigem diploma

 

 

O fim da exigência do diploma de jornalismo para o exercício da profissão ainda não atingiu a maioria dos órgãos públicos. Dos oito concursos abertos atualmente, todos exigem graduação específica.

Os valores pagos estão entre R$ 1.090,46 e R$ 6.611,39. Os órgãos com inscrições abertas são: Tribunal Regional do Trabalho da 7ª Região (CE), Prefeitura de Caucaia (CE), Agência de Fomento do Estado do Amazonas, Câmara de Vereadores de Lajes (SC), Conselho Regional de Nutricionistas – 1ª Região, Companhia Pernambucana de Saneamento, Prefeitura de Santo Antônio do Monte, Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia. No total os concursos oferecem 20 vagas, oito efetivas e 12 para cadastro de reserva.

O concurso que oferece a maior remuneração é o do Tribunal Regional do Trabalho da 7ª Região, no Ceará. Para o cargo de Analista Judiciário, especializado em Comunicação Social, o salário é de R$ 6.611,39.

Em julho, logo após a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), o edital da Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP), empresa vinculada ao Ministério da Ciência e Tecnologia, foi alterado e passou a não exigir diploma para o cargo de analista em Comunicação Social.
Iniciativa contrária a da FINEP foi adotada pela Câmara Municipal de Maceió. No início desta semana, a Casa aprovou a obrigatoriedade da graduação em Jornalismo para a contratação de servidores pelos poderes Executivo e Legislativo da cidade. A lei se aplica aos cargos de comissão, jornalismo, publicidade e relações públicas, e espera apenas a sanção do prefeito para entrar em vigor.

 
tags:
publicado por o editor às 14:47
link do post | comentar | favorito

Prelúdio para a morte

 

 

 



Prelúdio para a morte

de Val McDermid


Páginas: 434


 


O LIVRO
Quando chuvas torrenciais de verão revelam um cadáver estranhamente tatuado nas encostas de Lake District, a Região dos Lagos inglesa, uma antiga lenda local ganha uma nova e palpitante vida. Durante séculos, os habitantes locais acreditavam que o lendário Fletcher Christian, líder do motim no Bounty, havia forjado o massacre da Ilha Pitcairn — local de refúgio dos amotinados — para que ele pudesse regressar à Inglaterra. A lenda conta também que, de volta à sua terra natal, Fletcher relatara sua aventura a um velho amigo e antigo colega de escola: o célebre poeta William Wordsworth, que a transformou num grande poema épico. O manuscrito permaneceu oculto durante séculos, uma vez que abrigar um fugitivo era, na época, um crime punido com a forca.

Nos dias atuais, Jane Gresham, especialista em Wordsworth e, assim como o poeta, nascida em Lake District, está disposta a descobrir de uma vez por todas se o manuscrito realmente existiu — e se ainda pode ser recuperado. Mas, a cada nova pista revelada, segue-se uma morte misteriosa. Jane se vê então em meio a um mistério de 200 anos, ainda capaz de fazer vítimas. Na idílica paisagem da Região dos Lagos, desenrola-se um enigma de vida ou morte... cuja solução vale uma recompensa estimada em milhões.


A CRITICA

“Adoro cada palavra que Val McDermid escreve. Se você ainda não descobriu o talento genial desta escritora, prepare-se para um raro deleite.”Harlan Coben

“Uma combinação irresistível de thriller psicológico contemporâneo com mistério histórico, impregnada com a atmosfera melancólica da Região dos Lagos inglesa.”Tess Gerritsen

“Um livro que combina emoção com inteligência, personagens carismáticos e uma trama instigante, na qual verdadeiras tragédias históricas são revisitadas por paixões atuais e pelas modernidades científicas.”Anne Perry

“McDermid explora com maestria o lado negro do coração humano, combinando inigualavelmente a busca pela verdade explosiva por detrás de um precioso manuscrito perdido com a história que ele revela... Um livro impossível de largar.”Joseph Finder

“Atitudes sombrias e motivações ainda mais sombrias se entrelaçam num quebra-cabeça brilhante que se estende ao longo de 200 anos de história, fornecendo um exemplo fundamental do porquê de Val McDermid ter se tornado uma verdadeira preciosidade literária.”Laurie King

“É difícil encontrar palavras que traduzam a proeza magistral que é Prelúdio para a Morte. Erudito e irresistível, com uma trama formidável que demonstra a compreensão infalivelmente astuta que McDermid possui da psicologia humana, seja na Região dos Lagos da Inglaterra do século XIX, seja num conjunto habitacional do século XXI.”Laura Lippman


Conheça melhor o autor em http://www.valmcdermid.com/


 


UM LANÇAMENTO


 

 

 
publicado por o editor às 14:30
link do post | comentar | favorito

PACIENTE PARTICULAR

 

 

 

PACIENTE PARTICULAR
de P. D. James

Páginas 480


 



O LIVRO
Em Paciente particular - best-seller na Inglaterra e nos Estados Unidos logo após seu lançamento, em 2008 -, P. D. James apura as características que a consagraram como uma das maiores escritoras de romances policiais de todos os tempos: suspense intrigante, enredo sem brecha e violência sem sensacionalismo; tudo entremeado pela atuação do inspetor Adam Dalgliesh na resolução de crimes aparentemente insolúveis.A rede de intrigas do décimo sexto livro da premiada autora inglesa é tecida a partir da história de Rhoda Gradwyn, uma bem-sucedida jornalista investigativa em conflito perene com o próprio passado. É do passado, aliás, que ela carrega a marca de tantas mágoas: uma cicatriz que atravessa seu rosto.Ao decidir livrar-se da cicatriz, Rhoda segue o conselho de seu jovem amigo Robin Boyton e procura o conceituado dr. Chandler-Powell, com quem Robin mantém laços de parentesco distante e interesses numa vultosa herança. No ambiente bucólico e acolhedor da clínica Cheverell Manor, nos arredores de Londres, a morte espera por Rhoda, sem que ela possa sequer imaginar.O assassinato da jornalista, que parecia ser uma fatalidade sem precedentes num ambiente tão austero, toma um ar macabro quando Robin também é encontrado morto na clínica. Chamado a desvendar o caso, o inspetor Dalgliesh e sua equipe vão desmontando uma engrenagem de rancor, mágoas familiares e crueldade pura e simples, que remete, assim como a cicatriz que Rhoda carregou por tantos anos, a desacertos do passado.


A CRITICA
"A caracterização dos personagens, a atenção ao detalhe e o notável humanismo da autora continuam impressionantes [...] P.D. James cria um desfecho que, em toda a sua complexidade emocional, transcende por completo o desenlace padrão do romance policial. Maravilhosamente realizado." - Telegraph


"Elegantemente escrito, multifacetado, ardiloso." - Observer


"Como sempre, P. D. James envolve seu conto de maldade num tom sedutor." - The New York Times


"[Dalgliesh é] um dos melhores detetives da história da literatura policial." - The Times
 


A AUTORA
P. D. James - Phyllis Dorothy James, OBE, (3 de Agosto de 1920, Oxford) é Baronesa James de Holland Park, membro da House of Lords (Câmara dos Lordes) e uma escritora britânica de ficção policial que usa o nome P. D. James ao assinar as suas obras.

Phyllis Dorothy James nasceu a 3 de Agosto de 1920 em Oxford, Inglaterra. Deixou a escola, a Cambridge Girls' High School, aos 16 anos. Durante a guerra, casou com Ernest Connor Bantry White, médico, de quem teve duas filhas. James deu à segunda filha o nome da sua autora preferida: Jane Austen. Em 1948, diagnosticou-se uma esquizofrenia a Ernest, que passou longos períodos hospitalizado, até ficar definitivamente internado até à sua morte em 1964.
James trabalhou na direcção do North West Regional Hospital em Londres de 1949 a 1968 e depois no Ministério do Interior, no departamento da Polícia Criminal. James tem dois protagonistas principais: a jovem detective privada Cordelia Gray e Adam Dalgliesh, inspector-chefe da Scotland Yard, de meia-idade, que surge pela primeira vez em 1962 no romance Cover Her Face (O Enigma de Sally Jump).

James ganhou vários prémios: Silver Dagger 1971 para Shroud for a Nightingale (Mortalha para Uma Enfermeira), Silver Dagger 1975 para The Black Tower, Silver Dagger 1986 e International Macavity Award em 1987 para A Taste for Death (O Gosto da Morte), Diamond Dagger 1987 pela carreira literária e Grand Master Award 1999.

Em 1983 foi distinguida com a Ordem do Império Britânico. Foi igualmente nomeada Par do Reino na Câmara dos Lordes, recebendo o título Baronesa James de Holland Park. Em 1922 foi distinguida com o doutoramento em literatura pela Universidade de Buckingham e em 1993 pela Universidade de Londres. É membro da Royal Society of Literature.

Alguns dos seus romances foram adaptados à televisão em 1985 e 1986.

PRÊMIOS

1971 Best Novel Award, Mystery Writers of America (por Shroud for a Nightingale) 1971 Crime Writers' Association (CRA) Macallan Silver Dagger for Fiction (por Shroud for a Nightingale) 1973 Best Novel Award, Mystery Writers of America (por An Unsuitable Job for a Woman) 1975 CRA Macallan Silver Dagger for Fiction (por The Black Tower) 1986 CRA Macallan Silver Dagger for Fiction (por A Taste for Death) 1986 Mystery Writers of America Best Novel Award (por A Taste for Death) 1987 CRA Cartier Diamond Dagger (prémio de carreira literária) 1992 Deo Gloria Award (por The Children of Men) 1999 Grandmaster Award, Mystery Writers of America) 2002 WH Smith Literary Award (por Death in Holy Orders) 2005 British Book Awards Crime Thriller of the Year (por The Murder Room)
 

BIBLIOGRAFIA
Cover Her Face (1962) (introduzindo o personagem Adam Dalgliesh, detective da Scotland Yard) A Mind to Murder (1963) Unnatural Causes (1967) Shroud for a Nightingale (1971) The Maul and the Pear Tree: The Ratcliffe Highway Murders, 1811 (com Thomas A. Critchley), 1971 An Unsuitable Job for a Woman (1972) (introduzindo a personagem, a detective Cordelia Gray) The Black Tower (1975) Death of an Expert Witness (1977) Innocent Blood (1980) The Skull Beneath the Skin (1982) A Taste for Death (1985) Devices and Desires (1990) The Children of Men (1992) Original Sin (1994) A Certain Justice (1997) Time To Be In Earnest (2000) (autobiografia) Death in Holy Orders (2001) The Murder Room (2003) The Lighthouse (2005)

Obras do autor publicadas pela Companhia das Letras

CERTA JUSTIÇA, UMA
ENIGMA DE SALLY, O
FAROL, O
MENTE ASSASSINA
MORTE DE UM PERITO
MORTE NO SEMINÁRIO
PACIENTE PARTICULAR
PECADO ORIGINAL, O
SALA DOS HOMICÍDIOS
TORRE NEGRA, A
TRABALHO IMPRÓPRIO PARA UMA MULHER

P. D. James na TV







Um Lançamento



 

 

 
publicado por o editor às 14:09
link do post | comentar | favorito

UM LANÇAMENTO MUITO ESPECIAL

 

 


 



Animal Toxins: State of the Art


- Perspectives in Health and Biotechnology


 


de Maria Elena de Lima, Adriano Monteiro de Castro Pimenta, Marie France Martin-Eauclaire, Russolina Benedeta Zingali e Hervé Rochat (organizadores)


 


Apoio: Fapemig Fundep INCTT - Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Toxinas 2009.


 


800 páginas


 


 


Neste momento confuso onde princípios básicos de higiene são invocados como os bastiões contra uma pandemia, que revemos nos conceitos e voltamos a acordar para a pesquisa em especial na área de biotecnologia. Um livro imprescindível frentre aos desafios que se apresentam. Uma mais que louvável iniciativa da editora UFMG.


 


Apresenta, pela primeira vez em um único volume, o resultado de diversas pesquisas com diferentes perspectivas sobre as reais possibilidades do uso de venenos e de toxinas de origem animal na indústria biotecnológica. Animal Toxins é composto por 39 artigos, em inglês, assinados por especialistas renomados de várias nacionalidades. O estado da arte em compostos obtidos a partir de venenos de animais marinhos, aranhas e escorpiões, lagartas, serpentes, entre outros, são o foco desta publicação que visa a atender cientistas, estudantes e pesquisadores da universidade, da indústria farmacêutica e de biotecnologia interessados em toxicologia. Os venenos e toxinas de origem animal foram selecionados ao longo de milhões de anos de evolução para atuarem de forma rápida e eficaz no organismo da vítima, o que resultou em um repertorio maciço de moléculas capazes de se ligarem a alvos específicos. A possibilidade de utilização dessas toxinas em processos biotecnológicos fez com que esses venenos e toxinas sejam considerados como uma das mais promissoras fontes de compostos bioativos naturais.


 


UM LANÇAMENTO


 

 

 
publicado por o editor às 14:08
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 28 de Agosto de 2009

ASSIM DISSE O SENHOR

 

 

 



ASSIM DISSE O SENHOR


A visão revolucionária dos profetas


de Richard E. Rubenstein


 


 
Páginas:184

 


No dia 11 de setembro de 2001, quando os Estados Unidos cambaleavam sob o impacto de uma catástrofe que parecia quase bíblica, o escritor e conferencista especialista em assuntos religiosos Richard E. Rubenstein, referência para a comunidade judaica e autor do livro Herdeiros de Aristóteles, publicado pela Editora Rocco, abriu o Livro de Isaías em busca de uma mensagem reconfortante. Angustiado, procurava as respostas para questões que diziam respeito não só a sua vida privada como cidadão, mas também como um professor extremamente interessado pelos estudos de conflitos que envolvem a religião.
Desta inquietação nasceu o livro Assim disse o Senhor – A visão revolucionária dos profetas, em que o autor indaga até que ponto os textos dos dois principais profetas do Antigo Testamento – Isaías e Jeremias – apontam soluções para os conflitos emergentes presentes na sociedade global contemporânea. Ao focar sua narrativa na reconstituição da trajetória dos grandes profetas, o autor propõe uma viagem há 2,5 mil anos, uma época na qual religião e política andavam de mãos dadas e os profetas tinham enorme influência sobre as decisões dos reis, especialmente nas questões relativas à guerra.
Baseando-se em pesquisas que incluíram a leitura de textos assírios e babilônios, além do estudo de fotografias e descobertas arqueológicas das coleções do Metropolitan Museum of Art e do British Museum, o autor mapeia as nuances e contradições do discurso dos profetas, de Elias até Eliseu, passando por Isaías e Jeremias e chegando até aquele que ele considera o profeta que constrói um pensamento que visa uma maior integração entre os homens, mas que também não consegue escapar de contradições e tensões: Jesus.
Se por um lado o Nazareno é, para os cristãos, o Messias, por outro, nas tradições religiosas do Islã, ele é visto como apenas mais um mensageiro de Deus. Seu pensamento inaugura um novo tempo profético no qual se consolida uma nítida divisão entre os reinos humano e divino. Enquanto Isaías e Jeremias tinham investigado a história para descobrir as opções que Deus colocara diante do seu povo, a nova profecia desfiava cenas inalteravelmente determinadas pelo poder divino. A chamada profecia apocalíptica sinalizava um final para a história humana. Tempo e espaço acabariam e Deus criaria um mundo novo. Mas ao mesmo tempo esta nova visão de mundo, que só se realiza plenamente no seu final, acolhe todos os párias e excluídos de uma vida digna material e espiritual.
Assim disse o Senhor é uma obra que interessa a crentes e agnósticos, especialistas em religião e curiosos sobre o assunto. Ao mesmo tempo que investiga e relata a vida dos profetas bíblicos e suas contradições na relação estabelecida com a divindade e o poder dos reis, o autor conduz o leitor interessado em história. Através de tais imagens contundentes, é possível refletir sobre os impasses e conflitos políticos e religiosos do mundo contemporâneo.
 

O AUTOR
 
Richard E. Rubenstein
Especialista em utilizar os ensinamentos bíblicos e a mitologia para explicar diferentes atitudes dos governantes atuais, Richard E. Rubenstein é professor de Resoluções de Conflitos e Relações Públicas na George Mason University, onde se especializou em analisar conflitos sociais e religiosos violentos. Nascido em 24 de fevereiro de 1938, ele é formado pelo Harvard College, Oxford University (Rhodes Scholar) e Harward Law School. Foi membro do Institute for Conflict Analysis and Resolution, como diretor do Instituto, de 1989 a 1991. Escreveu diversos artigos sobre terrorismo, tendo contribuído anualmente com o World Book Encyclopedia Year Book, entre 1995 e 2001. Dele, a Rocco publicou Herdeiros de Aristóteles e Assim disse o Senhor – A visão revolucionária dos profetas.
 
UM LANÇAMENTO

 

 
publicado por o editor às 15:27
link do post | comentar | favorito

PROGRAMAÇÃO DE CINEMA - CURITIBA

 

 

PROGRAMAÇÃO
De 28 de agosto a 3 de setembro de 2009
Domingo, dia 30 de agosto – ingresso a R$1,00
CINEMATECA - Sala Groff – Rua Carlos Cavalcanti nº 1.174 / fone (41) 3321-3270 (De segunda a sexta-feira, das 9h às 12h e das 14h às 18h30) e (41) 3321-3252 (diariamente, das 14h30 às 21h) – Ingressos a R$ 5 e R$ 2,50 (estudantes). Gratuito para pessoas com idade a partir de 60 anos. www.fccdigital.com.br
O CANTO DO MAR (BR/SP, 1953 – 87’). Direção de Alberto Cavalcanti. Com Margarida Cardoso, Cacilda Lanuza, Aurora Duarte. No litoral nordestino, que acolhe migrantes do sertão à espera de viagem para o Sul, o drama de uma família em desestruturação, devido a problemas financeiros e psicológicos motivados pela miséria. Classificação 12 anos
Dia 28, sessão às 16h e 20h – entrada franca
MOSTRA ANIMAL 2009
Dias 29 e 30 (ver programação anexa)
Lançamento:
MANHÃ TRANSFIGURADA (BR/2008 – 104’). Direção de Sergio de Assis Brasil. Com Manuela do Monte, Rafael Sieg, Paulo Saldanha. Final do século XIX. Época em que as grandes propriedades são sinônimo de poder e a Igreja representa a autoridade moral. Nesse cenário, a jovem Camila é levada a casar-se com um rico estancieiro para resgatar a posição social de sua família. Porém, na noite de núpcias seu marido descobre que ela não é virgem. Aprisionada com sua dama de companhia enquanto aguarda a anulação do casamento, e recebendo apenas as visitas do padre e do sacristão, Camila envolve-se em um triângulo amoroso marcado por paixões que desafiam fé e razão. Classificação 18 anos
Dias 31 de agosto, 1º e 3 de setembro, sessões às 16h e 20h
Dia 2, sessão somente às 16h
Ingresso pago: R$5,00 (inteira)
R$2,50 (meia)
R$1,00 (domingo)
Lançamento:
OUTROS OLHOS (BR/PR, 2009 – 16’). Direção dos alunos da oitava edição do Curso Prático de Cinema Digital realizado na Cinemateca de abril a junho de 2009. Uma jovem chamada Clara se encanta pelos obituários líricos que Heitor escreve no Diário Curitibano. Clara e Heitor se conhecem e desenvolvem um relacionamento, sempre observados pelo vigia do jornal, que contribui na trama para um desfecho inusitado. Classificação livre
Dia 2, às 20h – entrada franca
PROGRAMAÇÃO
De 28 de agosto a 3 de setembro de 2009
Domingo, dia 30 de agosto – ingresso a R$1,00
CINE LUZ – Rua XV de Novembro, nº 822 / fone (41) 3321-3270 (De segunda a sexta-feira, das 9h às 12h e das 14h às 18h30) e (41) 3321-3261 (diariamente, das 14h30 às 21h). Ingressos a R$ 5 e R$ 2,50 (estudantes). Gratuito para pessoas com idade a partir de 60 anos. www.fccdigital.com.br
OS DESAFINADOS (BR, 2008 – 139’). Direção de Walter Lima Jr. Com Rodrigo Santoro, Claudia Abreu, Selton Mello. Cinco amigos que formam a banda Rio Bossa Cinco e buscam o sucesso, alimentando o sonho de tocar no Carnegie Hall, a célebre sala de concertos de Nova York que detonou o sucesso internacional de Tom Jobim e da Bossa Nova, desembarcam em Manhattan e lá encontram uma musa, filha de brasileira com americano, que voltará com eles ao Brasil ditatorial. Além de tocar flauta e clarineta, ela vai se tornar a chave para o florescimento pessoal dos rapazes. Classificação 12 anos
Sessões às 15h30 e 19h
Domingo, dia 30 – sessões às 17h15 e 19h50
O GRILO FELIZ E OS INSETOS GIGANTES (BR, 2009 – 82’). Animação. Direção de Rafael Ribas e Walbercy Ribas. Elenco de vozes: Jonas Melo, Marcos Tumura, Júlia Duarte, Bel Garcia. O Grilo Feliz segue compondo suas músicas, para alegria dos habitantes da floresta, e agora deseja gravar um CD. Porém a descoberta de fósseis de insetos gigantes faz com que ele se envolva em uma inesperada aventura, que o obriga a enfrentar um bando de perigosos louva-deuses comandados por Trambika. Classificação livre.
Domingo, dia 30 – sessões às 10h30 e 15h30

 
publicado por o editor às 15:19
link do post | comentar | favorito

Lançamento do filme “Outros Olhos”


 

Lançamento do filme
“Outros Olhos” na Cinemateca

 

 

 

Os alunos da oitava edição do Curso de Cinema Digital, promovido pela Fundação Cultural de Curitiba, apresentam o filme produzido durante as aulas.
O filme “Outros Olhos”, que será lançado quarta-feira, 2 de setembro, às 20h, na Cinemateca de Curitiba, é resultado do trabalho desenvolvido por alunos de cinema digital, que participaram da oitava edição do curso promovido pela Fundação Cultural de Curitiba em parceria com a Rede Olhar, do Ministério da Cultura. O filme tem 16 minutos e a direção é coletiva. Os alunos também fizeram o roteiro, produção, fotografia e edição de imagem e som, supervisionados pelos profissionais da Cinemateca.
No filme, uma jovem chamada Clara se encanta pelos obituários líricos que Heitor escreve no Diário Curitibano. Clara e Heitor se conhecem e desenvolvem um relacionamento, sempre observados pelo vigia do jornal, que contribui na trama para um desfecho inusitado.
O curso gratuito foi realizado de 18 de abril a 28 de junho, e contou com a participação de 30 alunos, escolhidos por meio de teste seletivo. As oficinas foram orientadas por Eduardo Baggio (história e teoria do cinema), Solange Stecz (história do cinema brasileiro), Altenir Silva (roteiro), Geraldo Pioli e Marcos Sabóia (desenvolvimento de roteiro), Heloisa Passos (fotografia), Ulisses Galetto (som), Homero Camargo (produção), Luciano Coelho (direção), Pedro Merege (edição) e Fernando Andrade Teixeira (prática de som direto). A pré-produção, produção e filmagens tiveram orientação de Geraldi Pioli e Marcos Sabóia, Rafael Lopes (edição de imagem), Vadeco (edição de som) e Ana Pellegrini Costa (assessoria).

 

 
publicado por o editor às 15:18
link do post | comentar | favorito

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

.FALE COM A GENTE


.subscrever feeds