Quinta-feira, 28 de Março de 2013

FELIZ PÁSCOA

 

Páscoa é dizer sim ao amor e a vida; é investir na fraternidade, é lutar por um mundo melhor, é vivenciar a solidariedade.

 dia  1 de abril

publicado por o editor às 22:06
link do post | comentar | favorito

DANÇA POPULAR BRASILEIRA NA CAIXA CULTURAL CURITIBA

 


Toadas de Bumba-Meu-Boi, Maracatus e Cirandas fazem parte do show
A CAIXA Cultural Curitiba apresenta, de 12 a 14 de abril, o show “Na Eira” do coletivo Ponto BR, formado por músicos contemporâneos e mestres da cultura tradicional. O repertório da apresentação traz toadas de bumba-meu-boi, pontos de tambor de mina, cocos, maracatus, cirandas e carimbós que, fundidos, resultam em hits atemporais.
O grupo, que ganhou o Prêmio da Música Brasileira 2012, como melhor grupo regional, reúne alguns dos principais guardiões da cultura tradicional do Brasil, como o cantador de Boi maranhense, Humberto de Maracanã; o mestre Walter do Maracatu, Estrela Brilhante de Recife; e Dona Zezé de Iemanjá, ekedi e caixeira do divino da Casa Fanti Ashanti, terreiro tradicional de São Luis. Se unem, ao diálogo popular, a paulistana Renata Amaral, o pernambucano Eder “O” Rocha, o maranhense Henrique Menezes e o suíço Thomas Rohrer.
A proposta é incentivar o diálogo entre vertentes e gerações dos diversos tipos de manifestação cultural, em que diferenças estéticas, temporais e sociais, são harmonizadas revelando outra via para o fazer artístico. É necessário experimentar os saberes e as sonoridades destas tradições, suas possibilidades formais, texturas vocais e instrumentais, gerando uma sonoridade única e atemporal.
“Ponto” é o nome dado aos cantos de diversos batuques, das manifestações populares, considerado arte brasileira de primeira grandeza. São melodias e ritmos, matrizes da nossa música urbana e, por terem influenciado significativamente a formação de gêneros como o samba, o forró e outros, são facilmente assimilados. Pela memória coletiva acessamos referências nas quais reconhecemos nossa identidade cultural.
Esta investigação estética está fundamentada em uma longa convivência com estas comunidades, sua cultura, seus guardiões, em pesquisas que já renderam dezenas de registros em CD e documentários destas manifestações. Toadas de Bumba-Meu-Boi, Maracatus, pontos de Tambor de Mina, Jurema, Cocos, Cirandas, Carimbós, Rojões e vários outros, fazem parte do show na eira, cujo processo de concepção é fruto de uma imersão do grupo em ensaios e encontros, registrados ao vivo, que resultaram também no CD de mesmo nome.
Oficinas:
O coletivo Ponto BR realiza ainda, na CAIXA Cultural, oficinas gratuitas de Maracatu, Caixa do Divino e Bumba-Meu-Boi, conforme a programação abaixo. As inscrições devem ser realizadas, até terça-feira (2), pelo email caixacultural08.pr@caixa.gov.br, e a seleção será por ordem de inscrição.
Maracatu com Mestre Walter França e Eder “O” Rocha: 13 de abril de 2013 (sábado), das 11h às 13h0
O maracatu é uma das manifestações remanescentes dos cortejos e coroações dos reis do Congo, sendo uma das principais expressões da tradição popular pernambucana. Realizada no ciclo carnavalesco, tem forte conotação religiosa. A oficina enfoca a música do maracatu nação, a partir do canto – loas ou toadas – e a percussão, chamada de baque. São 30 vagas.
Caixa do Divino com Mestra Zezé Menezes e Renata Amaral: 13 de abril de 2013 (sábado), das14h às 16h
A Festa do Divino Espírito Santo é um ritual de religiosidade popular, realizado em todo o Brasil. No estado do Maranhão, ela tem a particularidade de ser conduzida por mulheres tocando tambores, as Caixeiras do Divino. A oficina oferece um trabalho orgânico de musicalização por intermédio da prática do canto e da percussão. Os cânticos do Divino, transmitidos oralmente há gerações, são assimilados com facilidade, resgatando a memória coletiva, onde a percussão simples e vigorosa conduz esta prática de conjunto de fácil resultado musical. A oficina é encerrada com a tradicional dança das caixeiras. São 20 vagas.
Bumba-Meu-Boi com Mestre Humberto de Maracanã e Henrique de Menezes: 13 de abril de 2013 (sábado), das11h às13h
O boi é tema de inúmeras manifestações populares em todo o Brasil. No Maranhão, o Bumba-Meu-Boi é um fenômeno sóciocultural de enormes proporções, cujo auge do ciclo – o batismo do Boi – acontece no dia de São João. A oficina se concentra no bumba-meu-boi de matraca ou da Ilha, um dos sotaques mais conhecidos e que forma os maiores batalhões – grupos com mais de mil integrantes entre músicos e dançarinos. A oficina entrelaça o canto, a dança, e principalmente o toque dos diversos instrumentos da orquestra do bumba-meu-boi. São 30 vagas.
Serviço:
Espetáculo “Na Eira”
Local: CAIXA Cultural Curitiba – Rua Conselheiro Laurindo, 280 – Curitiba (PR)
Data: de 12 a 14 de abril de 2013 (sexta-feira a domingo)
Hora: sexta-feira e sábado às 20h, domingo às 19h
Ingressos: R$ 10 e R$ 5 (meia - conforme legislação e correntista CAIXA)
Bilheteria: (41) 2118-5111 (de terça a sexta-feira das 12h às 20h, sábado das 16h às 20h e domingo das 16h às 19h)
Classificação etária: Livre para todos os públicos
Lotação máxima: 125 lugares (2 para cadeirantes)
publicado por o editor às 22:05
link do post | comentar | favorito

CAIXA CULTURAL CURITIBA APRESENTA O CANCIONEIRO DE ELOMAR


O músico Elomar Figueira Mello apresenta show sobre sua obra
A CAIXA Cultural Curitiba apresenta, de 5 a 7 de abril, o show “Elomar: Cancioneiro”, com o cantor e compositor Elomar Figueira Mello, baseado no livro de partituras do cantor. Elomar é um artista ímpar na música popular brasileira, legítimo representante do sertão da Bahia, que carrega em suas composições as tradições características de sua terra.
A apresentação conta com a participação dos violonistas Maurício Ribeiro, Hudson Lacerda, Avelar Júnior e Kristoff Silva, profundos conhecedores do seu repertório, além da cantora Letícia Bertelli, que assinam o livro ao lado de Joao Omar (filho de Elomar) e do próprio compositor.
Todos sobem juntos ao palco, pela primeira vez em Curitiba, e apresentam um repertório que contempla sucessos do compositor e também peças gravadas em discos de carreira, que o próprio Elomar deixou de interpretar com o passar dos anos.
Livro de Partituras:
O livro “Elomar em partituras - cancioneiro” é composto por 49 partituras da obra do compositor Elomar Figueira Mello, um caderno de letras e notas de edição, além de um livro sobre o artista e sua obra, de autoria do jornalista João Paulo Cunha. As peças consideradas de caráter cancioneiro é que compõem o repertório de partituras.
Foram cerca de dois anos de intenso trabalho e dedicação, da equipe de músicos que atuou na transcrição das 49 canções, cuja dimensão da tarefa, seja pela amplitude ou pela complexidade, exigiu engenho de especialistas dedicados, dotados de grande conhecimento técnico, sensibilidade e até mesmo capacidade de invenção, para traduzir em linguagem culta uma música que, muitas vezes, vai além das convenções conhecidas, sem perder o horizonte do respeito à obra.
As canções foram transcritas pelos músicos Maurício Ribeiro, Hudson Lacerda, Avelar Júnior e Kristoff Silva, sob a direção artística e coordenação musical de Letícia Bertelli e supervisão geral a cargo do próprio Elomar. A equipe responsável pelo registro em partituras teve como ponto de partida os discos gravados pelo compositor. A forma escolhida – voz e violão – serviu de parâmetro, tanto para as canções quanto para as árias de outras composições maiores, da qual fazem parte alguns dos temas transcritos.
Serviço:
Música: Elomar Cancioneiro
Data: de 5 a 7 de abril de 2013 (sexta-feira a domingo)
Hora: sexta-feira e sábado às 20h e domingo às 19h
Local: CAIXA Cultural Curitiba – Rua Conselheiro Laurindo, 280 – Curitiba (PR)
Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia - conforme legislação e correntista CAIXA)
Bilheteria: (41) 2118-5111 (de terça a sexta-feira das 12h às 20h, sábado das 16h às 20h e domingo das 16h às 19h)
Classificação etária: Livre para todos os públicos
Lotação máxima: 125 lugares (2 para cadeirantes)
publicado por o editor às 22:03
link do post | comentar | favorito

CAIXA CULTURAL CURITIBA LANÇA LIVRO SOBRE A ARQUITETURA ITALIANA NA CIDADE

 


A obra resgata as influências arquitetônicas trazidas pelos imigrantes italianos às construções da capital paranaense
A CAIXA Cultural Curitiba realiza, no dia 3 de abril, o lançamento do livro “A Arquitetura Italiana em Curitiba”, dos arquitetos Ana Carolina Mazzarotto e Fábio Domingos Batista. Fruto de extensa pesquisa, o livro contou com incentivo da Caixa Econômica Federal, por intermédio da Lei de Incentivo à Cultura, e traz como tema principal as edificações realizadas pelos imigrantes italianos na região de Curitiba, entre 1870 e 1930. Os autores realizam bate-papo, no teatro da CAIXA Cultural, com o superintendente do IPHAN Paraná, José La Pastina Filho, que irá abordar o modo de construir e suas variações com o tempo.
A pesquisa tem como objetivo principal criar um inventário para preservar a memória construtiva curitibana, além de resgatar a paisagem de uma cidade em um período de transformação, ainda com fortes características rurais. Os temas que surgem durante o trabalho são a imigração, a cultura construtiva e a arquitetura, com base em ampla pesquisa histórica e bibliográfica.
Na primeira fase, foram analisados os remanescentes da arquitetura do imigrante italiano em Curitiba, especificamente a arquitetura residencial e a sacra. Também foi pesquisado o Panteão do Cemitério de Santa Felicidade, pela sua singularidade. Já em um segundo momento, os autores buscaram referências construtivas do período da emigração na região do Vêneto, na Itália, região que comporta as cidades de origem da grande maioria dos imigrantes que se fixaram na capital. A comparação entre essas duas culturas de construção pode ser vista na terceira fase do trabalho.
O livro proporciona uma visão técnica sobre a produção arquitetônica destes imigrantes, bem como um passeio por uma Curitiba do passado, ainda com traços rurais e com uma população estrangeira em processo de assimilação. Os poucos remanescentes desta ocupação estão, hoje, presentes em alguns bairros da cidade. São, em sua maioria, velhos casarões de tijolos, construídos ao longo das antigas estradas rurais. E também igrejas, com altas torres sineiras, destacadas do edifício sacro, construídas ao modo vêneto e seguindo a tradição ancestral.
Serviço:
Lançamento do livro “A Arquitetura Italiana em Curitiba” com bate-papo
Data: 3 de abril de 2013 (quarta-feira)
Hora: 20h
Local: CAIXA Cultural Curitiba – Rua Conselheiro Laurindo, 280 – Curitiba (PR)
Ingressos: Entrada franca. Os ingressos devem ser retirados na bilheteria do Teatro, no dia do evento, a partir das 19h
Bilheteria: (41) 2118-5111 (de terça a sexta-feira das 12h às 20h, sábado das 16h às 20h e domingo das 16h às 19h)
Classificação etária: Livre para todos os públicos
Lotação máxima do teatro: 125 lugares (2 para cadeirantes)
publicado por o editor às 22:02
link do post | comentar | favorito

AGENDA | Destaques de 28 de março a 3 de abril

 

clique para ampliar


publicado por o editor às 22:00
link do post | comentar | favorito

Fundação Cultural de Curitiba recebe doação de obra de Luiz Carlos de Andrade Lima

 



vereadora Julieta Reis, Maria Lucia de Andrade Lima e o presidente da Fundação Cultural de Curitiba, Marcos Cordiolli.

A Fundação Cultural de Curitiba recebeu, nesta quarta-feira (27), a doação simbólica dos direitos autorais de uma das obras do artista curitibano Luiz Carlos de Andrade Lima. A viúva do artista, Maria Lucia de Andrade Lima, responsável pela doação, explicou que a cessão dos direitos autorais tem por objetivo presentear o Passeio Público e a cidade de Curitiba.

A proposta do presidente da Fundação Cultural, Marcos Cordiolli, é usar a obra do pintor na revitalização do Passeio Público, com a criação de um painel. O trabalho terá como referência a obra ‘‘Bar do Pasquale’’ pintada originalmente a óleo em uma parede da residência de Andrade Lima, em 1983. Na pintura, o artista retratou a si próprio com a família, ao lado de outros personagens da sociedade curitibana. “É uma forma de divulgar o trabalho de um dos artistas mais importantes de Curitiba, valorizando o parque mais antigo da cidade”, enfatizou Cordiolli. 

A vereadora Julieta Reis, presente ao encontro, destacou que o artista criou várias aquarelas e telas inspiradas no Passeio Público. Também levou seus alunos ao local para aulas de pintura ao ar livre, durante o tempo em que lecionou na Escola de Música e Belas Artes do Paraná.

Luiz Carlos de Andrade Lima, falecido em 1988, faria 80 anos em 2013. Considerado um dos grandes pintores curitibanos, com tendências expressionistas, captou os mais diversos temas, com ênfase para os religiosos e os sociais, como figuras do povo, gente simples das ruas e praças e figuras de Cristo.  Além de fundador da "Andrade Lima Galeria e Escola de Arte", o artista foi agraciado com o Prêmio "Cidade de Curitiba 300 Anos – Melhor Pintor".
tags: ,
publicado por o editor às 21:59
link do post | comentar | favorito

FPA Informa (1)

 

Desemprego metropolitano em São Paulo, por Clemente Ganz Lúcio* 

A taxa de desemprego metropolitano de São Paulo ficou em 10,3% em fevereiro segundo a PED – Pesquisa de Emprego e Desemprego. Um leve acréscimo (10,0% foi a taxa de janeiro), movimento sazonal típico do período. Essa taxa decorre, de um lado, da perda de 104 mil postos de trabalho e, de outro lado, da saída do mercado de trabalho de 79 mil pessoas, o que faz diminuir a demanda pela ocupação. Os dois movimentos – perda de postos e saída do mercado de trabalho – são movimentos típicos para o período.
Setorialmente houve redução da ocupação na indústria da transformação (-3,8% ou -67 mil postos); na construção (-3,6% ou -27 mil postos) e no comércio (-0,5 % ou -9 mil postos) e mais estável nos serviços (-0,2% ou -9 mil postos).
Em janeiro os rendimentos médios dos ocupados reduzira-se -2,8% e a massa de rendimentos caiu -3,3%. Este último foi fortemente afetado pela queda dos rendimentos médios.

*Clemente Ganz Lúcio, técnico do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE) e membro do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES).

publicado por o editor às 21:58
link do post | comentar | favorito

Desenhos em bico de pena homenageiam Curitiba

 



O artista plástico Di Magalhães retrata Curitiba com desenhos em bico de pena, numa homenagem aos 320 anos da cidade. A exposição “Curitiba 320 em Bico de Pena” acontece no Domingo de Páscoa (31), no mezanino do Memorial de Curitiba, das 11h às 15h, e também poderá ser apreciada nos dias 2 e 3 de abril (terça e quarta), das 9h às 12h e das 13h às 18h. Os desenhos, que captam pontos significativos da capital paranaense, poderão ser adquiridos diretamente com o autor. A entrada é franca.

As imagens, de extrema sensibilidade, são um convite para que o visitante realize um passeio pela Curitiba do início do século XX até o presente. O artista reproduz lugares que a população reconhece como parte de sua identidade, percorrendo praças, igrejas, monumentos, centro histórico, áreas de convívio e o agitado cotidiano das ruas. “O trabalho de Di Magalhães apresenta sempre muita suavidade. Voltado principalmente para a leitura do meio urbano em Curitiba, registra os espaços da cidade direcionando o olhar para a interação do humano com o edificado”, destaca a antropóloga Zulmara Clara Sauner Posse, no texto de apresentação da exposição.

Nascido na cidade de Goiás, antiga capital do estado de Goiás e hoje Patrimônio Histórico e Cultural da Humanidade, Di Magalhães é formado em Artes Plásticas pela Universidade Federal de Goiás, nas áreas de Pintura e Gravura. Também aperfeiçoou conhecimentos em serigrafia artística, cenografia e figurino e restauração de afrescos. O artista vive em Curitiba desde 1990, onde tem seu ateliê e desenvolve cenários para teatro e pinturas murais, além de se dedicar às técnicas de gravura como serigrafia e litografia. Ainda ministra aulas de desenho e pintura, em espaços da Fundação Cultural de Curitiba.

Com exposições nas cidades de Goiás, Goiânia, Brasília e Curitiba, Di Magalhães possui trabalhos em países como Portugal, França, Espanha, Inglaterra e Japão. Foi responsável pela pintura, em 1997, de 14 painéis com paisagens paranaenses, na sede da 10ª Superintendência do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN, em Curitiba, nas comemorações dos 60 anos do instituto.

Serviço:

Exposição “Curitiba 320 em Bico de Pena”, com trabalhos do artista plástico Di Magalhães.

 Local: Mezanino do Memorial de Curitiba (Rua Claudino dos Santos, 79 – Setor Histórico).

Datas e horários: dia 31 de março de 2013 (domingo), das 11h às 15h, e dias 2 e 3 de abril de 2013 (terça e quarta), das 9h às 12h e das 13h às 18h. Os trabalhos estarão à venda e poderão ser adquiridos diretamente com o artista.

Entrada franca.
publicado por o editor às 21:54
link do post | comentar | favorito

Grupo coreano estréia no Festival de Teatro de Curitiba

 


Principal evento do teatro nacional entre em seu terceiro dia de intensa programação
A estreia da peça Pansori Brecht UKCHUK-GA, nesta quinta-feira (28) é uma das mais aguardadas da programação da Mostra 2013, evento que faz parte do 22o. Festival de Teatro de Curitiba. Pansori é uma modalidade de canção interpretativa muito popular na Coréia do Sul e classificada pela Unesco como Patrimônio Cultural Intangível da Humanidade. Baseado em Mãe Coragem e seus Filhos, de Bertold Brecht, a peça se passa na época das guerras chinesas, no século II. A narrativa acompanha a transformação de uma inocente coreana numa rancorosa mulher de negócios, mãe de três filhos, depois de amargar sucessivos fracassos e sofrimentos em seus casamentos.
Em seu terceiro dia de apresentações, a Mostra traz também os espetáculos A Marca da Água e Os Bem Intencionados. A Marca da Água conta a história de uma mulher, Laura, com 40 anos, que acidentada na infância, passou por três cirurgias no cérebro. Hoje ela percebe o quanto os vãos da memória a ajudam a contornar dificuldades emocionais e frustrações, mas também a fazem mais afeita ao sintoma do que à cura.
Os Bem Intencionados é o novo espetáculo do LUME Teatro. A peça investiga as intenções de um grupo de aspirantes a artistas que, numa conversa de bar, vasculham suas vidas à procura dos motivos que os levaram a querer ser artistas. Um elogio à arte, uma reflexão irreverente sobre suas perspectivas em nosso tempo e do trabalho artístico como expressão ou degrau para a fama.
Ainda nesta quinta-feira tem início o Risorama, programação do Festival que reúne humoristas da comédia stand up. A programação desse primeiro dia terá a participação de Nany People, Diogo Portugal - os dois curadores do evento -, Afonso Padilha, Fabio Rabin, Gigante Léo, Melhores do Mundo, Paulinho Serra e Tatá Mendes.
O Festival de Teatro de Curitiba, principal evento das artes cênicas do país, prossegue com as apresentações do Fringe, que até o dia 7 de abril, quando se encerra o evento, levará para Curitiba mais de 370 espetáculos de grupos de 18 estados do país e também companhias de outros países. O Fringe está presente no Festival de Curitiba desde sua 7ª edição, em 1998. É um espaço aberto, democrático, no qual os participantes têm a oportunidade de expor seus trabalhos ao público, à crítica especializada e a “olheiros” que sempre acompanham o evento.

Serviço

22º Festival de Teatro de Curitiba
Data: até 7 de abril de 2013

Informações e fotos no link FTP://FTC:FTC@MAIL.A4COM.COM.BR/

publicado por o editor às 21:53
link do post | comentar | favorito

Onze:20 lança clipe de “Não Vai Voltar”

 




“Não Vai Voltar”, o novo single da banda Onze:20, acaba de ganhar sua versão em vídeo. Tão romântico quanto a canção, o clipe dirigido por Thiago Britto e Phill Mendonsa, se passa num ambiente que eles conhecem muito bem; a estrada. E, enquanto o vídeo retrata a saudade de um amor que partiu, não faltam cenas deles tocando em volta da fogueira.

Formado em Juíz de Fora (MG) há quarto anos, o Onze:20 traz uma leveza, expressa nas letras e no som suingado, batizado por eles de roots-rock-reggae, que casa perfeitamente com o vocal potente de Vitor Hugo.

A balada acústica “Não Vai Voltar” é mais uma prova de que Vitor Hugo (voz), Lulu Trombine (guitarra), Christopher (guitarra), Marlos Vinicius (baixo), Athos Santos (teclados) e Fabio Mendes (bateria) vieram para ficar.

Para assistir o clipe: http://www.youtube.com/watch?v=TYY7KVgLS_A
publicado por o editor às 21:52
link do post | comentar | favorito

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

.FALE COM A GENTE


.subscrever feeds