Terça-feira, 30 de Julho de 2013

Cartomancia de Jade Amud

 

Cartomancia


de Jade Amud


















Páginas: 168











 





O LIVRO

Esta obra tem o objetivo de trazer a público alguns estudos sobre cartomancia, ou a arte interpretativa das cartas do baralho comum, ou, ainda, os arcanos menores do tarô. São estudos semiótico-históricos e baseados na prática da cartomancia familiar da autora. É um livro teórico, mas também um manual de aprendizado e orientações para a arte oracular das cartas.

Contém os significados de cada carta do baralho comum, metodo­logias interpretativas e muitos exemplos de análises. Trata da anti­ga forma de prever o futuro pelas cartas comuns, hoje utilizada por apenas algumas cartomantes tradicionais e por muitos ciganos. A autora apresenta também diversos tipos de oráculos antigos, com ilustrações de cada um deles.

Cartomancia é uma obra que deve ser lida por esotéricos, tarólo­gos, místicos, interessados em cartomancia, cultura cigana, semi­ótica e oráculos.

A AUTORA

Jade Amud
é o nome de batismo cigano que Luiza Helena Monteiro recebeu de uma badjá (avó, em romani) de um clã cigano manoush. Sua bisavó veio de Gênova, Itália, e trouxe para o Brasil a cartomancia. Realizava leituras de cartas em São Carlos/SP, sempre falando em italiano para que as filhas não entendessem o que os adultos estavam fazendo. A mãe de Jade, Lucia Helena Bonadio, aprendeu sozinha a arte da leitura das cartas aos 11 anos; com 15 anos, já atendia às pessoas em sua humilde casa, um rancho de tábuas, que dividia com seus pais e irmãs.

Jade cresceu vendo sua mãe ler as cartas e ficava fascinada. Aos 12 anos, aprendeu a arte oracular e, aos 15 anos, também iniciou seus atendimentos e não parou mais por onde passou. Hoje, grande parte de sua renda vem das inúmeras leituras de cartas que realiza para os paulistanos, sempre com muita ética.

Além da cartomancia, Jade também ministra aulas de dança tradicional cigana, workshops de cartomancia e ética, workshops e cursos sobre baralho cigano, em defesa da cultura cigana e dessa tão antiga forma de trabalho cigano, que é a cartomancia e a previsão da sorte.

Supernatural Tarot | Documentary

veja em
http://www.youtube.com/watch?v=aVJtaaVWznc&list=TLLRiCsV7uTps



 LANÇAMENTO

 
VISITE

https://www.facebook.com/madraseditora
   

 

publicado por o editor às 18:28
link do post | comentar | favorito

As memórias perdidas de Jane Austen de Syrie James Título Original: The lost memories of Jane Austen

 

 

As memórias perdidas de Jane Austen


de     Syrie James

Título Original:     The lost memories of Jane Austen
Tradutor:     Cláudia Mello
Páginas:     320
Formato:     14 x 21 cm

  

Um dos maiores nomes da literatura inglesa, Jane Austen escreveu clássicos como Orgulho e preconceito. Embora seus livros tenham interessantes histórias de amor, a vida amorosa da autora nunca foi considerada notável. Esse foi o ponto de partida para Syrie James, estudiosa de Austen, criar uma versão romanceada sobre a vida da aclamada escritora. E se memórias escritas pela própria Austen fossem descobertas, revelando um grande caso de amor? Escrito em um estilo próximo ao da própria escritora britânica, As memórias perdidas de Jane Austen é um livro notável, irresistível para qualquer um que ame Jane Austen – ou grandes romances.



A CRITICA
“Acessível e verdadeiro de uma maneira que nenhuma obra puramente biográfica conseguiria ser.” – Los Angeles Times


A BIOGRAFADA

Jane Austen (Steventon, 16 de dezembro de 1775 – Winchester, 18 de julho de 1817) foi uma proeminente escritora inglesa. A ironia que utiliza para descrever as personagens de seus romances a coloca entre os clássicos, haja vista sua aceitação, inclusive na atualidade, sendo constantemente objeto de estudo acadêmico, e alcançando um público bastante amplo.


Nascida em Steventon, Hampshire, de uma família pertencente à burguesia agrária, sua situação e ambiente serviram de contexto para todas as suas obras, cujo tema gira em torno do casamento da protagonista. A inocência das obras de Austen é apenas aparente, e pode ser interpretada de várias maneiras. Os meios acadêmicos a têm considerado uma escritora conservadora, apesar de a crítica feminista atual reconhecer em suas obras uma dramatização do pensamento de Mary Wollstonecraft sobre a educação da mulher.
Índice

Jane Austen nasceu em 16 de dezembro de 1775, em Steventon, Hampshire, Inglaterra, sendo a sétima filha do reverendo George Austen, o pároco anglicano local, e de sua esposa Cassandra (cujo nome de solteira era Leigh). O reverendo Austen era uma espécie de tutor, e suplementava os ganhos familiares dando aulas particulares a alunos que residiam em sua casa. A família era formada por oito irmãos, sendo Jane e sua irmã mais velha, Cassandra, as únicas mulheres. Cassandra e Jane eram confidentes, e hoje se conhece uma série de cartas de sua correspondência.É considerada a maior escritora de todos os tempos, de acordo com sua jornada de vida que arrasta milhões de fãs por todo o mundo e encanta a todos com sua literatura épica.

Em 1783, Jane e Cassandra foram para a casa da Sra. Cawley, em Southampton, para prosseguir a educação sob sua tutela; porém tiveram que regressar para casa, devido a uma enfermidade infecciosa em Southampton. Entre 1785 e 1786, ambas foram alunas de um internato em Reading, lugar que pode ter inspirado Jane para descrever o internato da Sra. Goddard, que aparece no romance Emma. A educação que Austen recebeu ali foi a única recebida fora do âmbito familiar. Por outro lado, sabe-se que o reverendo Austen tinha uma ampla biblioteca e, segundo ela mesma conta em suas cartas, tanto ela quanto sua família eram "ávidos leitores de romances, e não se envergonhavam disso". Assim como lia romances de Fielding e de Richardson, lia também Frances Burney. O título de Orgulho e Preconceito, por exemplo, foi retirado de uma frase dessa autora, no romance Cecilia.

Entre 1782 e 1784, os Austen fizeram representações teatrais na reitoria de Steventon, que entre 1787-1788 foram mais elaboradas graças à colaboração de sua prima, Eliza de Feuillide, (a quem dedicou Love and Friendship). Nos anos posteriores a 1787, Jane Austen escreveu, para o divertimento de sua família, Juvenilia, que inclui diversas paródias da literatura da época. Entre 1795 e 1799 começou a redigir as primeiras versões dos romances que se publicariam sob os nomes Sense and Sensibility, Pride and Prejudice e Northanger Abbey (que antes se intitulavam Elinor and Marianne, First Impressions, e Susan, respectivamente). Provavelmente, também escreveu Lady Susan nesta época. Em 1797, seu pai quis publicar Orgulho e Preconceito, mas o editor recusou.

Não há provas de que Jane foi cortejada por ninguém, apesar de um breve amor juvenil com Thomas Lefroy (parente irlandês de uma amiga de Austen), aos 20 anos. Em janeiro do ano seguinte, 1796, escreveu a sua irmã dizendo que tudo havia terminado, pois ele não podia casar por motivos econômicos. Pouco depois, uma tia de Lefroy tentou aproximar Jane do reverendo Samuel Blackall, mas ela não estava interessada.

Em 1800, seu pai decidiu mudar-se para Bath, cidade que Jane não apreciava muito. Nessa época, a família costumava ir à costa todos os verões, e foi em uma dessas viagens que Jane conheceu um homem que se enamorou dela. Quando partiu, decidiram voltar a se ver, porém ele morreu. Tal fato não aparece, porém, em nenhuma de suas cartas, mas foi escrito muitos anos depois, e não se sabe o quanto esse namoro possa ter afetado Austen, ainda que alguns o considerem inspiração para a obra Persuasion.

Em dezembro de 1802, estando Jane e Cassandra com a família Bigg, perto de Steventon, Harris Bigg-Wither pediu Jane em casamento, e ela consentiu. Provavelmente, rompeu o compromisso no dia seguinte, e foi com Cassandra para Bath. Cassandra se havia comprometido com Thomas Fowle, que morreu de febre amarela no Caribe em 1797. Thomas Fowle não tinha condições financeiras para se casar, e o compromisso vinha sendo adiado desde 1794; havia ido ao Caribe como militar, justamente para conseguir dinheiro. Nem Jane, nem Cassandra Austen se casaram.
Residência da família Austen em Chawton, onde Jane passou os últimos oito anos de sua vida (hoje um museu).

Em 1803, Jane Austen conseguiu vender seu romance Northanger Abbey (então intitulado Susan) por 10 libras esterlinas, apesar de o livro ter sido publicado somente 14 anos depois. É possível, também, que nessa ocasião tenha começado a escrever The Watsons, logo abandonando a ideia.

Em janeiro de 1805, morreu seu pai, deixando a esposa e as filhas em situação economicamente precária, e elas passaram a depender de seus irmãos e da pequena quantia que Cassandra herdara de seu prometido.

Em 1806 os Austen se mudaram para Southampton, perto da marina de Portsmouth, o que permitia a eles visitar frequentemente seus irmãos Frank e Charles, que serviam na marinha, chegando a almirantes.

Em 1809 se mudaram para Chawton, perto de Alton e Winchester, onde seu irmão Edward podia abrigá-las em uma pequena casa dentro de uma de suas propriedades. Esta casa tinha a vantagem de ser em Hampshire, o mesmo condado de sua infância. Uma vez instaladas, Jane retomou suas atividades literárias revisando Sense and Sensibility, que foi aceita por um editor em 1810 ou 1811, apesar de a autora assunir os riscos da publicação. Foi publicado de forma anônima, em outubro, como pseudônimo: "By a Lady". Segundo o diário de Fanny Knight, sobrinha de Austen, esta recebeu uma "carta da tia Cass pedindo que não fosse mencionado que a tia Jane era a autora de Sense and Sensibility".2 Teve algumas críticas favoráveis, e se sabe que os lucros para Austen foram de 140 libras esterlinas.
Carreira literária

Animada pelo êxito de Sense and Sensibility, a autora tentou publicar também Pride and Prejudice, que foi vendido em novembro de 1812 e publicado em janeiro de 1813. Ao mesmo tempo, começou a trabalhar em Mansfield Park. Em 1813, a identidade da autora de Pride and Prejudice começou a difundir-se, graças à poupularidade da obra e à indiscrição da família. Nesse mesmo ano foi publicada a 2ª edição de suas obras, e em maio de 1814 surgiu Mansfield Park, obra da qual se venderam todos os exemplares em seis meses, e Austen começou a trabalhar em Emma.

Era seu irmão Henry, que vivia em Londres, quem se encarregava de negociar com os editores, e quando Jane ia a Londres se hospedava em sua casa. Em 1813, Henry Austen foi tratado pelo


Sr. Clarke, médico do príncipe Regente, o qual, ao descobrir que Austen era a autora de Pride and Prejudice e Sense and Sensibility, obras que apreciava muito, pediu a este que solicitasse a Henry que o romance seguinte da autora fosse a ele dedicado. É possível que tal pedido tenha demorado a chegar até ela, pois em suas cartas não guardava uma boa opinião sobre os príncipes, devido às suas conhecidas infidelidades.3

Em Chawton, Austen não tinha a mesma privacidade que em Steventon, e é bastante famosa a anedota narrada por James Austen-Leigh, acerca da porta “chiante” que Austen solicitou que não fosse reparada, pois a avisava antecipadamente da chegada de algum visitante, para esconder o manuscrito que escrevia.

Em dezembro de 1815 foi publicada Emma, dedicada ao príncipe regente e, no ano seguinte, uma nova edição de Mansfield Park. A segunda não teve o êxito das obras anteriores, e as perdas desquilibraram os ganhos da primeira edição.
Morte

Austen começou Persuasion em agosto de 1815, mas um ano depois começou a se sentir mal. No início de 1817 começou Sanditon, porém teve que abandonar a obra por seu estado de saúde. Para receber tratamento médico foi levada a Winchester, onde faleceu em 18 de julho de 1817.

Suas últimas palavras foram: "Não quero nada mais que a morte".4 Tinha 41 anos.

Em seu testamento, legou tudo o que tinha para sua irmã Cassandra. Na época, não se sabia a causa de sua morte; hoje, considera-se que foi Doença de Addison. Está enterrada na Catedral de Winchester.

O epitáfio, na catedral de Winchester, não menciona que foi a autora de seus conhecidos romances. Em 1872, depois que James Edward Austen-Leigh publicou suas Memórias, foi colocada uma nova placa explicando sua condição de escritora e salientando: "She opened her mouth with wisdom and in her tongue is the law of kindness" ("Ela abriu sua boca com sabedoria e em sua língua reside a lei da bondade").





SYRIE JAMES - PBS Up Close Interview (3 partes)




Um Lançamento
publicado por o editor às 18:27
link do post | comentar | favorito

Pare de Falar e Comece a Fazer - de Sháá Wasmund e Richard Newton

 

SÓ DEIXE PARA AMANHÃ O QUE VOCÊ ESTÁ DISPOSTO A MORRER SEM TER REALIZADO .

 

Pablo Picasso

 

 

 

 

Pare de Falar e Comece a Fazer -

de Sháá Wasmund e Richard Newton

   


Páginas: 192






Segundo este livro ésse é o espírito...

 

Você sente uma coceira...
... para abrir seu próprio negócio, ir ao Polo Norte, requalificar-se, perder peso, ser promovido, aprender a tocar ukulele? Ou é só uma sensação incômoda de que deve haver algo mais na vida?
Se existe algo que você realmente quer fazer, mas em segredo teme nunca con­seguir, então precisa deste livro.
Portanto, trate de coçar a sua coceira. Este é o empurrão! Para fazer o seu sonho se realizar, você precisa subir ao ringue, encarar seus medos e colocar o discurso em prática. Claro, sentir medo é natural e normal, mas basta compreendê-lo para manter-se no controle, e, a partir daí, perceberá que simplesmente começar já pode promover mudanças instantâneas. Portanto, diga adeus ao status quo.
Este é o segredo: basta que você comece algo, em algum lugar, qualquer lugar, mas faça-o agora. Aos que trabalham para outros ou para si mesmos, aos apaixonados e não apaixonados, aos artistas e cientistas, ocupados e disponíveis... mas principalmente àqueles com ambição: aqui temos o que você precisa para começar.

 

VEJA ESTE TESTEMUNHO

How To Get Motivated - Stop Talking Start Doing

 

 LANÇAMENTO

 
VISITE

https://www.facebook.com/madraseditora
   

 

publicado por o editor às 18:24
link do post | comentar | favorito

Vivemos mais! Vivemos bem? Por uma vida plena

 

Vivemos mais! Vivemos bem? Por uma vida plena

       

de  Mario Sergio Cortella / Terezinha Azerêdo Rios

 

Coleção:     Papirus debates

Encadernação:     Brochura
Nº Páginas:     112

Público Alvo:     Geral


O LIVRO

Muito se tem escrito, falado e divulgado sobre o aumento da expectativa de vida. A todo momento ouvimos recomendações de como manter a qualidade de vida: prática de exercícios, alimentação saudável e assim por diante.
Para além de todas essas questões, há, contudo, uma experiência pessoal, única. A seu modo, cada um de nós pode fazer do próprio envelhecimento um processo de crescimento contínuo: não biológico, mas de aprendizado e convívio, de autoconhecimento e compreensão.
Assim, enfrentando a vida com coragem, partilhando as experiências, sendo vital no dia a dia, talvez, além de longa, nossa vida possa ser larga, ampla.

O CONTEÚDO

A vida como desafio
Viver mais e viver bem
Tempo amigo, tempo inimigo
Olhando para trás e adiante
A ditadura do relógio e o valor do tempo
A ampliação do horizonte de vida
A vida só vale porque é finita
Quais são seus planos para o futuro?
Aposentadoria não é desocupação!
Vida boa = Presença do desejo

SAIBA MAIS


Lançamento


publicado por o editor às 18:23
link do post | comentar | favorito

Leo Fressato invade o palco do TUC com solo cênico

 


O inquieto e talentoso artista Leo Fressato, que trabalha como diretor teatral, ator, cantor, compositor e humorista, leva ao TUC – Teatro Universitário de Curitiba a performance Solstício – um espetáculo sobre corações congelados, resultado de uma pesquisa que une dança e teatro, tendo o figurino como germinador da ação. A estreia acontece nesta quinta-feira (1º), às 20h, e as apresentações prosseguem até o dia 10 de agosto, de quinta-feira a sábado, sempre às 20h.
Nascido em Brasília, em 14 de outubro de 1986, Leo Fressato veio para Curitiba no ano seguinte e é compositor desde os 14 anos de idade. Formado em Direção Teatral pela Faculdade de Artes do Paraná (FAP), com especialização em Comunicação Audiovisual pela PUC–PR, já atuou em hospitais com o projeto Trupe da Saúde, em 2007, além de dirigir e escrever o espetáculo A Menina e o Outono.
Entre suas realizações constam vários materiais audiovisuais, a autoria da trilha original para o espetáculo As ruas de Bagdá ou Aranha Marrom não Usa Roberto Carlos, da ACRUEL Companhia, paralelamente a participações nas montagens Solução Para Todos os Problemas do Mundo e Sobre Amores e Partidas. O nome de Leo Fressato ganhou projeção nacional em 2011, como compositor de Oração, música que se tornou sucesso com A Banda Mais Bonita da Cidade.
O solo Solstício – um espetáculo sobre corações congelados, criado e apresentado por Leo Fressato, tem o apoio da Cia. Senhas de Teatro e a colaboração criativa de Daniel Valenzuela, Mataveri Cultural Vídeos, Samira Chami e Fábia Regina, que também responde pela iluminação. 
Serviço:
Peformance Solstício – um espetáculo sobre corações congelados, solo criado e apresentado por Leo Fressato.
Datas e horário: de 1º a 10 de agosto de 2013, de quinta-feira a sábado, sempre às 20h.
Local: TUC – Teatro Universitário de Curitiba (Galeria Júlio Moreira – Largo da Ordem).
Ingressos: R$ 16 e R$ 8 (meia-entrada).
Classificação etária: 16 anos
publicado por o editor às 18:21
link do post | comentar | favorito

Espetáculo mistura dança contemporânea e cultura indígena

 

 

O espetáculo de dança Corpo Ancestral estreia nesta quinta-feira (1º) e cumpre uma temporada de 12 apresentações no Teatro Cleon Jacques – Centro de Criatividade de Curitiba.  Idealizado pela dançarina e psicóloga Silvia Wy‘a Poty e pelo ator e antropólogo Maikon K, com direção de Cândida Monte, o espetáculo tem como proposta estabelecer o diálogo entre xamanismo, psicologia e dança contemporânea, fazendo com que a dança seja utilizada como forma de integrar mente, corpo e natureza.
O xamanismo é um conjunto de práticas corporais antigas, originárias de tradições indígenas, que visam alinhar o ser humano com a natureza. O espetáculo é estruturado como um “rito de passagem”, uma jornada xamânica, que artistas e público devem atravessar juntos (o público caminha por diferentes ambientes, a encenação acontece ao seu redor, ao seu lado, na disposição de um círculo e até partindo do espectador).
O diálogo com a tradição guarani busca revelar como essa cultura ancestral já detinha conhecimentos sobre o corpo que convergem com os resultados de pesquisas científicas modernas, como a física quântica. O espetáculo propõe uma experiência de integração. O público transita por um cenário-instalação, sendo envolvido por estímulos sensoriais referentes à visão de mundo guarani. Os artistas se revezam nas funções de atuadores e orientadores, ora encenando ora guiando o público através de movimento, respiração e música, dentro de uma estrutura cênica que contrapõe ancestralidade/contemporaneidade, primitivo/tecnológico, performance/ritual.
“Com essa pesquisa buscamos as origens do movimento autêntico. O corpo ancestral que pesquisamos é um corpo que busca se conhecer pelo movimento e em conexão com a natureza, expressando suas potencialidades por meio da arte e na vida diária, resgatando em conhecimentos antigos as chaves para seu equilíbrio no presente. Acreditamos que, quanto mais conscientes de nossas origens e de nossas capacidades como seres humanos, mais podemos desenvolver potenciais latentes em nós e atuar com relevância em sociedade”, explicam os idealizadores do projeto.
Os artistas: Silvia Wy’a Poty desenvolve há mais de uma década um trabalho focado na investigação e na prática artística e terapêutica baseada na conexão corpo/mente e suas associações com ecologia, psicologia, arte, ciência e aprimoramento pessoal. O nome artístico Wy'a Poty – recebido em cerimônia indígena brasileira – traduz a outra face de sua pesquisa, integrando a conexão corpo/dança à cultura e tradições ancestrais. Resultados concretos têm sido transmitidos e difundidos no país e no exterior por meio de oficinas, palestras, atendimentos e espetáculos de dança, sempre associados ao trabalho arte-terapêutico de psicologia corporal.
Antropólogo formado pela Universidade Federal do Paraná, Maikon K se interessa pela pesquisa e o estudo das fronteiras entre teatro e performance, teatro e dança, e o sagrado na arte. Em seus trabalhos constrói a encenação a partir da pesquisa corporal, criando também os textos e as composições sonoras e musicais de cada espetáculo. Em 2012, foi contemplado com o Prêmio Klauss Vianna de Dança, da Funarte, pelo projeto DNA de DAN, com estreia prevista para este segundo semestre de 2013.
Serviço:
Espetáculo Corpo Ancestral, com Silvia Wy’a Poty e Maikon K, e direção de Cândida Monte.
Local: Teatro Cleon Jacques – Centro de Criatividade de Curitiba (Rua Mateus Leme, 4.700 – Parque São Lourenço)
Datas: de 1º a 18 de agosto de 2013, de quinta-feira a domingo.
Horário: de quinta a sábado, às 20h, e aos domingos, às 19h
Entrada franca
Classificação: 18 anos
publicado por o editor às 18:19
link do post | comentar | favorito

YOGA SUTRA Uma abordagem prática Edição com Nova Capa por Giridhari Das - Gustavo Dauster

 

YOGA SUTRA


Uma abordagem prática


 


Edição com Nova Capa


 


por Giridhari Das - Gustavo Dauster




Baseado na tradução e comentários de Srila Hridayananda Das Goswami Acharyadeva (Howard J. Resnick, PhD).



166 páginas



Tamanho: 15 x 21 centimetros.



 O Yoga Sutra descreve a essência do yoga - elementos práticos, obstáculos, resultados intermediários e seu objetivo final.



Este livro é baseado na tradução do sânscrito ao inglês dos sutras feita pelo Doutor Resnick, que especial atenção devido às suas imensas qualificações.



Dr. Resnick também conhecido como Hridayananda Dasa Gosvami, é doutor em Sânscrito e Estudos Indianos pela Universidade de Harvard.



 É praticante dedicado de bhakti-yoga desde 1969, tendo viajado mundo afora treinando pessoas em bhakti-yoga e palestrando sobre o assunto de yoga e filosofia védica.



Esta apresentação do Yoga Sutra se destaca por sua clareza e praticidade, desmistificando o texto e mostrando sua sempre atual relevância para todos aqueles interessados em evoluir como pessoas.



Gustavo Dauster estuda e pratica o yoga metafísico sob a guia do Dr. Resnick há 20 anos, e ocupa-se em tempo integral a ensinar o palestrar sobre o assunto desde 1998.


Biografia de Acharyadeva Hrdayananda Dr. Howard J. Resnick




O AUTOR

Giridhari Das (Gustavo Dauster)

-          Nascido em Praga, Tchecoslováquia, 6 de maio de 1969
-          1ª Iniciação em 1998, sob o guru Srila Hridayananda Das Goswmami Acharyadeva, membro da ISKCON e discípulo de Sri Srimad A.C. Bhaktivedanta Swami Prabhupada, fundador-acarya da ISKCON
-          2ª Iniciação em 2001
-          Casado com Carana Renu DD em 26 de setembro de 2008

Estudos

1979-1987      American School in London, Londres, Inglaterra
Middle and High School
1987-1988      Brown University, Providence - Rhode Island, EUA
1989-1991      Universidade de Brasília, Brasília, Brasil
1999                Diploma em Economia, Charter Oak State College,
New Britain, Connecticut
2003                Diploma de Bhakti-shastri, com menção de honra

Ocupação em Auto-realização e Yoga

1998-presente - Coordenador do Programa Amigos de Krishna

2001-2010 - Presidente da Associação BBT Brasil (Editora da ISKCON)
2004-presente - Presidente e fundador da ONG Paraíso dos Pândavas
2005-presente - Membro do CGB (Conselho Governamental do Brasil)
2008-2010 - Vice-Presidente e membro do Comitê Executivo do CGB
2009-presente – Membro do Conselho Nacional de Nova Gokula
2010-2011 - Presidente e membro do Comitê Executivo do CGB
2011-presente – Secretário Zonal para a ISKCON Brasil

Livros Publicados (em Português)

Ciência Espiritual - Uma Introdução à Sabedoria do Yoga, 2005
Yoga Sutra de Patanjali - Uma Abordagem Prática, 2007
-  Publicado também em Chinês em 2008 (9000 exemplares)
Notas:
- ISKCON - Sociedade Internacional da Consciência de Krishna - www.harekrishna.com.br.
- Bhakti-shastri é um título da ISKCON que é concedido apenas a aqueles que demonstram grande competência na compreensão filosófica das escrituras védicas.
- Amigos de Krishna é o programa da ISKCON do Brasil de aconselhamento e ensino de bhakti-yoga à distância.
- A BBT (Bhaktivedanta Book Trust) é a maior editora de livros de filosofia védica do mundo.
- ONG Paraíso dos Pândavas é uma OSCIP dedicada a difusão dos valores do yoga, ecologia e assistência social.
- O CGB é órgão administrativo máximo da ISKCON do Brasil.
- RGB – Regional Governing Body, corpo administrativo regional da ISKCON mundial.
- Nova Gokula é a projeto rural mais antigo e proeminente do Brasil - www.novagokula.com.br.
- O livro “Yoga Sutra - Uma Abordagem Prática” já está disponível em 5 idiomas (Português, Chinês, Polonês, Inglês e Espanhol)


UM LANÇAMENTO





publicado por o editor às 00:45
link do post | comentar | favorito

O Menino da mala de Lene Kaaberbøl e Agnete Friis

 

O Menino da mala

de Lene Kaaberbøl e Agnete Friis



256 pág.


O LIVRO
“Você adora salvar as pessoas, não é? Bem, aqui está a sua chance.” Mesmo sem entender o que sua amiga Karin quer dizer com isso, Nina atende seu pedido e vai até a estação ferroviária de Copenhague buscar uma mala no guarda-volumes. Dentro, encontra um menino de 3 anos nu e dopado, mas vivo.

Chocada, Nina mal tem tempo de pensar no que fazer, pois um brutamontes furioso aparece atrás do garoto. Será que ela está diante de um caso de tráfico de crianças? Sem saber se deve confiar na polícia, ela foge com o menino e vai à procura de Karin, a única que pode esclarecer aquele absurdo.

Quando descobre que a amiga foi brutalmente assassinada, Nina se dá conta de que sua vida está ameaçada e que o garoto também precisa ser salvo. Mas, para isso, é necessário descobrir quem ele é, de onde veio e por que está sendo caçado.

Neste primeiro livro da série da enfermeira Nina Borg, vendido para 27 países, as autoras Lene Kaaberbøl e Agnete Friis apresentam uma heroína que luta contra seus demônios e busca fazer justiça em meio à crueldade e à indiferença do mundo.


Nina Borg é uma enfermeira da Cruz Vermelha que, em segredo, cuida de imigrantes ilegais. Obcecada pelo trabalho, já percorreu diversos países para ajudar os mais necessitados e presenciou horrores inimagináveis.

Quando sua amiga Karin lhe pede um favor simples, ela aceita na mesma hora e recebe a chave de um guarda-volumes que abrirá a porta para um mundo cruel em que um frágil menino de 3 anos é preso em uma mala e deixado dentro de um armário.

O exagerado senso de dever da enfermeira a força a levar o garoto sem pedir ajuda à polícia e resolver tudo por conta própria. Ela sabe que esse sentimento de obrigação já vem arruinando seu casamento e afastando-a do convívio familiar, mas acaba, mais uma vez, inventando uma história para o marido e sumindo sem dar notícias.

Vagando pelas ruas de Copenhague, seu caminho se cruza com os dramas de uma mãe solitária e desesperada, um dinamarquês rico que zela pela família e um lituano que só deseja casar e ter uma vida feliz.

O que mais importa para Nina é entender o que está acontecendo e salvar a criança, mesmo que, para isso, seja necessário arriscar a própria vida.



A CRITICA
“Os fãs de Stieg Larsson irão adorar O menino da mala. Nina Borg é uma versão ainda mais atraente de Lisbeth Salander e agradará especialmente ao público feminino.” - Publishers Weekly

“Fãs de romances policiais, comemorem: há algo de podre no reino da Dinamarca. Mas não tenham medo, pois a enfermeira Nina Borg está no caso, em uma trama alucinante.” - New York Post

“Comovente e dilacerante, um exemplo perfeito da nova literatura policial escandinava.” - The Washington Post

“Um livro arrepiante e tenso que mostra até onde se pode ir por dinheiro e em nome da família.” - USA Today

“Uma história sobre crimes cometidos contra mulheres e crianças, contada do ponto de vista feminino e com personagens bastante verossímeis.” - The New York Times Book Review (Destaque de Literatura Policial de 2011)



Leia um Trecho



AS AUTORAS
Lene Kaaberbøl e Agnete Friis




Agnete Friis é jornalista e escritora infantojuvenil. Lene Kaaberbøl já publicou mais de trinta títulos e vendeu mais de dois milhões de livros como autora de fantasia, ganhando prêmios nacionais e


Kaaberbol and Friis "The boy in the suitcase" - about the writers and the book





UM LANÇAMENTO


 
publicado por o editor às 00:43
link do post | comentar | favorito

Livro Completo da Astrologia de Kris Brandt Riske, Me

 

 

Livro Completo da Astrologia


de Kris Brandt Riske, Me


Páginas: 432
   

O LIVRO
O modo mais fácil de aprender Astrologia é começar com você mesmo. Seu mapa astral é uma ferramenta poderosa para obter uma compreensão mais profunda de seus dons, talentos e desafios únicos e também de seu objetivo de vida. Conforme começar a decifrar a riqueza de informações em seu próprio mapa, você experienciará a Astrologia de modo pessoal e significativo, tornando-a mais fácil de entender e de lembrar. E, quando aprender o básico da Astrologia, será capaz de ler o seu próprio mapa e o mapa de outras pessoas. Este guia é a introdução mais completa para a Astrologia disponível. A conhecida astróloga Kris Brandt Riske apresenta o essencial da Astrologia de forma clara, passo a passo, dando uma atenção especial às três áreas de mais interesse: relacionamentos, carreira e dinheiro. Ela explica o significado dos planetas, dos signos do zodíaco, das casas e dos aspectos e como interpretar o significado deles em seu mapa. Cerca de 30 ilustrações, além dos mapas astrais de muitas pessoas famosas - Al Gore, Oprah Winfrey, Brad Pitt, Tiger Woods, entre outros - acrescentam uma característica visual útil para a sua experiência de aprendizado. Prático e positivo, O Livro Completo da Astrologia oferece técnicas para usar a Astrologia a fim de identificar as qualidades que você busca em um parceiro ideal, concretizar sua carreira e o potencial financeiro, calcular sua sorte e descobrir sua força interior.

A AUTORA
Kris Brandt Riske
, Me., é diretora executiva e membro profissional da American Federation of Astrologers, a organização astrológica mais antiga dos Estados Unidos, fundada em 1938. Ela também é membro do NCGR (National Council for Geocosmic Research) e trabalhou em seu quadro de diretores. Kris tem participado como oradora em várias conferências sobre astrologia e escrito para várias publicações astrológicas. Atualmente escreve para Llewellyns Sun Sign Book, Llewellyns Moon Sign Book e American Media. Kris também é autora de Mapping Your Future e Mapping Your Money e coautora de Mapping Your Travels & Relocation. Tem interesse especial por astrometeorologia (previsão do tempo por meio da astrologia) e é autora de Astrometeorology: Planetary Power in Weather Forecasting e da previsão de tempo anual publicada no Llewellyns Moon Sign Book. Kris é uma fã ávida de stock car (NASCAR), embora ela preferiria estar dirigindo a assistindo. Também gosta de jardinagem, costura e jogos de computador. Nativa de Illinois, Kris possui mestrado em jornalismo e estuda a língua chinesa. Marcador: Prático e positivo, O Livro Completo da Astrologia oferece técnicas para usar a Astro¬lo¬gia a fim de identificar as qualidades que você busca em um parceiro ideal, concretizar sua carreira e o potencial financeiro, calcular sua sorte e descobrir sua força interior.


Marcelo Gleiser - A Astrologia e A Astronomia

 



LANÇAMENTO

 
VISITE

https://www.facebook.com/madraseditora
   
publicado por o editor às 00:42
link do post | comentar | favorito

Vivendo do Ócio lança clipe de “Bomba Relógio”

 

 

A banda baiana Vivendo do Ócio lança o novo clipe do seu segundo álbum, “O Pensamento É um Imã” (Deck/2012). “Bomba Relógio” http://www.youtube.com/watch?v=xOLYf33DBjE foi a música escolhida para esse vídeo, que traz trechos do mocumentário (filme feito como um documentário, mas com uma história fictícia) “Vive Le Rock”.
O filme, dirigido por Alessandro Valenti,  narra a vida de um jovem que pensava em suicídio e é salvo pelo rock`n`roll, mais especificamente o rock do Vivendo do Ócio. O clipe de “Bomba Relógio” mostra um pouco da história desse mocumentário, que ainda não tem data certa para estrear no Brasil.
Mais informações: http://deckdisc.com.br/
 
publicado por o editor às 00:41
link do post | comentar | favorito

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

.FALE COM A GENTE


.subscrever feeds