Quinta-feira, 31 de Outubro de 2013

GRUPOO MUSICAL WE SPOKE FAZ CONCERTOS NA CAPELA SANTA MARIA

 

Nos próximos dias 6 e 7 de novembro (quarta e quinta-feira), às 20 horas, a Capela Santa Maria recebe as apresentações do grupo suiço-londrino We Spoke, companhia de música contemporânea dirigida pelo percussionista Serge Vuille. O nome do grupo vem da fusão das palavras “we speak” (nós falamos) e “bespoke” (sob medida), referindo-se a ideia principal da companhia de explorar a enorme variedade estilística da arte musical contemporânea em produções que trazem colaborações de compositores, dançarinos, artistas plásticos e coreógrafos, entre outros. Cada produção foca um determinado tema, onde elementos teatrais, musicais e visuais interagem com cenários, iluminação, figurino e coreografia. O grupo trabalha com o objetivo de proporcionar ao público uma visão da música erudita contemporânea interessante e divertida. 
Para os concertos na Capela Santa Maria, em que se apresenta com os músicos curitibanos Vina Lacerda e Luis Fernando Diogo, o We Spoke traz o projeto “Table”. Nele é apresentada a linguagem da música erudita atual chamada de “Theatre Musical”. Misturando elementos como o ritmo, o timbre, o movimento e a imagem, o grupo explora diversas possibilidades musicais e artísticas sem utilizar propriamente “instrumentos” musicais.
O We Spoke propõe em suas apresentações uma submersão a música por caminhos não só auditivos mas também visuais e plásticos, trabalhando a cenografia, a projeção de imagem e também sons eletroacústicos. Situações do dia-a-dia como “ruídos”, o “trocar de roupa” e o ‘’tomar café do jeito italiano’‘, são alguns dos elementos musicais e visuais apresentados, que trazem originalidade às obras.
O repertório musical dos concertos apresenta obras escritas para duo, trio, quarteto e quinteto. Peças clássicas do teatro musical como “Living Room Music”, de John Cage, ganha uma nova montagem integralmente cenográfica  onde cada um dos quatro movimentos da obra faz referência a um aspecto diferente da música: ritmo, timbre, voz e melodia. O momento alto do concerto é a obra para três percussionistas e mesa, a composição de Thierry de Mey intitulada “Musique de Tables”. A obra trabalha  gestos, timbres, muito ritmo e movimentos.
WE SPOKE: TABLE - PROGRAMA
Music for Pieces of Wood - Steve Reich, 1972
Schaffur - Fritz Hauser, 2008 
Jogo de Pandeiro - Leonardo Gorosito, 2012
Musique de Tables - Thierry de Mey, 1987
Living Room Music - John Cage, 1966
Vous avez du Feu? - Emanuel Séjourné, 2001
SERVIÇO:
Concertos da We Spoke New Music Company – Projeto Table
Data: 6 e 7 de novembro de 2013
Horário: 20h
Ingressos: R$ 30,00 e R$ 15,00
Local: Capela Santa Maria – Espaço Cultural (Rua Conselheiro Laurindo, 273)
Informações:3321-2840

Workshop para formação de plateia
Data: 5 de novembro
Horário: 9h30
Ingresso: Gratuito
Local: Salão Nobre da Escola Júlia Wanderlei
Ensaio didático aberto / formação de plateia
Data: 5 de novembro
Horário: 15h
Ingresso: Gratuito
Local: Capela Santa Maria

 

publicado por o editor às 00:54
link do post | comentar | favorito

Delegação Cultural Brasileira vai ao Reino Unido em programa de intercâmbio de Artes e Deficiência

 



Entre 28 de outubro e 2 de novembro, uma delegação brasileira visitará instituições britânicas em Glasgow (capital da Escócia) e Londres para discutir o tema Artes e Deficiência, com particular referência às experiências e ao legado do programa cultural para os Jogos Paraolímpicos de Londres em 2012. A delegação, formada por mais de 11 profissionais de instituições como MAM-SP e SESC-SP, além das Secretarias Municipais de Cultura do Rio e de Belo Horizonte e da Autoridade Pública Olímpica, também verá as conexões com os Commonwealth Games 2014 e os preparativos para a Paralimpíada do Rio em 2016.

Dentre as diversas organizações britânicas que a delegação irá conhecer estão: Creative Scotland, National Theatre of Scotland, Glasgow 2014, LOCOG (Comitê Organizador do Jogos Olímpicos e Paraolímpicos Londres 2012), Arts Council England, The Legacy List , Graeae, Shape Arts, Southbank Centre, The Albany,  The Citz,  Liberty Festival, Dada Arts, StopGAP Dance and Candoco.  

Esta iniciativa chamada Pontos de Contato é um programa para artistas, gestores e financiadores que busca o desenvolvimento de novas ações culturais dinâmicas e transformadoras entre o Brasil e o Reino Unido. Produzido pela organização People’s Palace Projects, em parceria com o British Council, o programa conta com o apoio das instituições britânicas Arts Council England, e Department for Culture, Media and Sport e além de diversos parceiros brasileiros, incluindo o Ministério da Cultura.

“Com este intercâmbio, decisores de cultura no Brasil conhecem o modelo britânico e podem influenciar políticas públicas e instituições nos temas que abrangem acessibilidade nas artes como investimento em infraestrutura, adequação dos espaços culturais, legislação apropriada e programas de acesso a artistas deficientes desenvolverem seu trabalho com excelência”, diz Lucimara Letelier, Diretora Adjunta de Artes do British Council.

O Pontos de Contato integra a programação do Transform, programa de artes do British Council de 2012 a 2016 com ênfase no legado olímpico e no desenvolvimento de projetos de cooperação a longo prazo entre Reino Unido e Brasil.

Programação completa no site www.transform.org.br.  

Conheça a delegação brasileira:

1. Claudia Garcia - SESC SP

2. Daina Leyton – MAM SP

3. Luciana Itapema - SESC SP

4. Ivam Cabral -  Escola de Teatro SP

5. Oscar Silva - Escola Teatro SP

6. Claudia Pedrozo – Secretaria Municipal de Cultura do Rio de Janeiro

7. Luis Mauch - Mais Diferenças

8. Leonidas Oliveira - Fundação Municipal de Cultura de Belo Horizonte

9.  Luis Carlos Lopes - Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiencia - SP 

10. Cassio Rodrigo Silva – Secretaria de Cultura de São Paulo

11. Cid Blanco – Autoridade Publica Olímpica

Perfil de alguns membros da delegação

Daina Leyton – MAM (SP): Educadora, psicóloga e especialista em acessibilidade. Com vasta experiência em educação, formação cultural e promoção de saúde, idealiza e realiza projetos para o público diverso. Atualmente, é coordenadora do setor educativo e da área de acessibilidade do Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM).

Ivam Cabral – SP Escola de Teatro: Graduado em Artes Cênicas pela PUC de Curitiba, é doutorando em Pedagogia Teatral, com mestrado em Prática Teatral pela Escola de Comunicações e Artes da USP e um dos fundadores da companhia teatral Os Satyrus.

Cid Blanco Jr – APO: Arquiteto e urbanista, diretor de infraestrutura cultural da Secretaria Executiva do MinC e responsável pela implementação do projeto Praça dos Esportes e da Cultura – PEC.

Leonidas Oliveira – Secretaria Municipal de Cultura de Belo Horizonte: Presidente da Fundação Municipal de Cultura de Belo Horizonte, é graduado em Arquitetura e Urbanismo pela PUC - Minas Gerais, mestre em Restauração e Reabilitação do Patrimônio Arquitetônico pela Universidade de Alcalá de Henares, ES, RAE, em Roma, e doutor em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de Valladolid.

Claudia Pedrozo – Secretaria Municipal de Cultura do Rio de Janeiro: Chefe de gabinete da Secretaria Municipal de Cultura da Cidade do Rio de Janeiro. Anteriormente, foi diretora de administração e finanças na RioFilme. Formada em Direito, é especialista em Administração Pública. Atualmente, se dedica a estudar a indústria criativa.

Luis Mauch – Mais Diferenças (SP): Fundador e coordenador geral da associação Mais Diferenças, com dez anos de experiência em iniciativas que objetivam a inclusão de pessoas com deficiência. Administrador, é especialista em Acessibilidade e Tecnologia Assistiva pela FELUMA – MG e membro do CB 40ABNT, grupo responsável pela proposição de normas brasileiras.

publicado por o editor às 00:53
link do post | comentar | favorito

Rádio Lumen vai arrecadar livros para as Tubotecas

 

 


Uma parceria entre a Fundação Cultural de Curitiba e a Rádio Lumen FM vai incrementar a arrecadação de livros para o projeto Tubotecas. A campanha de incentivo à leitura “Se Liga No Livro” da Lumen FM agora também arrecada livros usados para a população curitibana. A ideia é tirar os livros da estante e deixar que eles encontrem novos leitores pela cidade.

As doações vão começar na Feira Alto Juvevê Gastronomia, dias 02 e 03 de novembro, no espaço da Lumen FM na Feira. Ou seja, quem vai aproveitar o fim de semana na praça com a família e amigos, vai poder também deixar sua contribuição para a campanha, doando um livro de literatura usado. A Lumen FM vai levar os livros arrecadados para as Tubotecas, que são as bibliotecas que funcionam dentro de dez Estações Tubo de Curitiba.
Quem não puder participar da feira, mas também quer contribuir com a campanha fazendo doações, pode deixar os livros usados na sede da Lumen FM. A campanha de arrecadação continua a funcionar sem data para acabar.

“Escolhemos essa parceria com as Tubotecas da Prefeitura de Curitiba porque, além de incentivar a leitura entre os ouvintes da rádio com os produtos da nossa programação diária dentro do Se Liga no Livro, sentimos a necessidade de uma ação concreta para ajudar a estimular a leitura na cidade, principalmente entre a população que não tem acesso fácil ao livro, ou que não possui o hábito de ler”, diz o diretor geral da Lumen Comunicação, Rulian Maftum.
Para o presidente da Fundação Cultural de Curitiba, Marcos Cordiolli, a efetivação da parceria com o Grupo Lumen de Comunicação é uma demonstração que todos os setores da sociedade curitibana estão engajados em incentivar cada vez mais a leitura.
”Unir projetos criativos como o Se Liga no Livro e as Tubotecas nos motiva ainda mais a buscar novos parceiros para continuar ampliando o interesse das pessoas pela literatura”, afirma Cordiolli.
Se Liga no Livro – Desde setembro de 2013, a Lumen FM está no ar com a campanha Se Liga no Livro, que conta com o apoio da Rede Marista de Solidariedade, para incentivar os ouvintes da rádio a estarem cada vez mais conectados com o mundo da leitura. Para isso, a emissora conta com boletins diários informativos sobre projetos, iniciativas e diversas ações que envolvem a leitura na cidade, no Brasil e no mundo. O objetivo é despertar o interesse pela leitura e mobilizar aqueles que já gostam de ler a praticar e participar de projetos e compartilhamento de livros e experiências com a leitura.

Também faz parte da campanha o programa semanal Se Liga na Letra. Apresentado e produzido pelo professor de literatura e poeta curitibano Marcelo Sandmann, o programa Se Liga na Letra une as linguagens da música e literatura, chamando a atenção do ouvinte para a canção e transformação da palavra por meio da música e fala sobre como encontrar a literatura em suas mais variadas formas.

Tubotecas – As doações da campanha Se Liga no Livro vão ser encaminhadas para o projeto Tubotecas, da Prefeitura de Curitiba. Nas Tubotecas, qualquer pessoa pode pegar um livro, sem custo, ou necessidade de cadastro. É leitura de fácil acesso e sem burocracia. As doações de livros podem ser feitas em qualquer equipamento mantido pela FCC, nas Casas da Leitura, na sede da Fundação Cultural de Curitiba, localizada na Rua Engenheiros Rebouças, 1.732 (Rebouças), no IPPUC, instalado na Rua Bom Jesus, 669 (Juvevê) e na sede da Prefeitura, Avenida Cândido de Abreu, 817 (Centro Cívico).
Aceitam-se livros de literatura, contos, crônicas, romances, poesia, história em quadrinhos, infantil e infantojuvenil.
Serviço:
Se Liga no Livro – Lumen FM na Feira Alto Juvevê Gastronomia – doações de livros podem ser feitas durante o evento, que acontece nos dias 02 e 03 de novembro, na praça Brigadeiro Mário Eppinghauss, entre as rápidas José de Alencar e Almirante Tamandaré.

Se Liga no Livro – Lumen FM – ponto de coleta permanente de livros na Lumen FM, que fica na rua Amauri Lange Silverio, 270, Pilarzinho.

Boletins Se Liga no Livro – Diariamente às 8h, 12h30, 18h30 e 21h, na 99.5.

Se Liga na Letra – Domingo às 18h30. Reprise nas quartas-feiras, às 23h, na 99.5.
publicado por o editor às 00:51
link do post | comentar | favorito

1/12 A MANDRÁGORA com GRUPO TAPA

 

TAPA no ARENA traz de volta aos palcos
um dos espetáculos de maior sucesso da história do grupo
A Mandrágora
de Nicolau Maquiavel
Estreia dia 1º de Dezembro
O projeto TAPA no ARENA traz de volta a São Paulo
um dos espetáculos de maior sucesso da história do grupo:
a peça  A Mandrágora, de Maquiavel.
A Montagem, que estreou em 2004 e
rendeu a Guilherme Sant`Anna o
premio APCA de melhor ator e uma indicação
ao prêmio Shell, na mesma categoria,
fica em cartaz de  1º  até 22 de dezembro,
com espetáculos somente aos domingos, às 21h.
A Mandrágora peça conta a história de um jovem e rico italiano
que se faz passar por médico para conquistar o amor de uma
mulher casada, que sofre por não conseguir engravidar.
Com o consentimento do marido, do padre e da mãe da moça,
o falso doutor receita um suspeito tratamento à base de mandrágora,
uma raiz conhecida por suas propriedades afrodisíacas.
Escrita em 1503 por Nicolau Maquiavel – o mestre da ciência política –
 A Mandrágora, é considerada um marco do teatro ocidental:
  é a primeira comédia moderna que atinge a dimensão de grande peça.
Nela a engrenagem da inteligência e da astúcia humana vem para primeiro plano e se exibem com todo vigor,
com a liberdade e o brilho do homem do Renascimento.
“Os fins justificam os meios”, dizia Maquiavel, que constrói um texto
em que a conquista amorosa, com suas urgências e exaltações, serve como pretexto
para desenvolver um tratado prático e saboroso sobre estratégia política, sobre a arte de envolver, manipular,
convencer e, por fim, conquistar um objetivo.
Serviço:
A Mandrágora, de Nicolau Maquiavel
Direção: Eduardo Tolentino
Elenco: Guilherme Sant`Anna , Brian Penido, Flavio Tolezani
Paulo Marcos, Bruno Barchesi.
(completam o elenco duas atrizes com nomes ainda não definidos).
Estreia: dia 1º de dezembro
Temporada: até 22 de dezembro, aos domingos,  às 21h.
Classificação: 14 anos
Duração: 1h15 minutos
Capacidade: 98 lugares
Ingressos: R$ 20,00 / R$ 10,00 meia
Bilheteria abre uma hora antes do espetáculo
Vendas só em dinheiro
Teatro de Arena Eugênio Kusnet
Rua Dr. Teodoro Baima, 94 – República
Tel: 11. 3256.9463

Domingo Onze e Meia com o samba de Ciro Morais


O tradicional programa Domingo Onze e Meia, que acontece no Conservatório de MPB de Curitiba, tem como atração, às 11h30 deste domingo (3), o cantor curitibano Ciro Morais. O artista divide o palco com os músicos Gustavo Moro (violão de 7 cordas), Caio Murilo (cavaquinho), Zezinho do Pandeiro (percussão) e Marcela Zanetti (flauta). A entrada é franca.
Considerado como um dos mais importantes intérpretes de samba no sul do país, Ciro Morais preparou para o espetáculo um repertório que reúne composições de Cartola, Martinho da Vila, Paulinho da Viola, Vinicius de Moraes, Arlindo Cruz, Nelson Cavaquinho, Zeca Pagodinho, Tom Jobim e Dona Ivone Lara, proporcionando ao público uma viagem pela música popular brasileira. 
Com 37 anos de carreira musical, Ciro Morais já participou de vários festivais, entre eles Paraná Canta, organizado pela Secretaria de Cultura do Paraná, e Voz Itaú, quando concorreu com intérpretes do Brasil inteiro. Apresentou-se ao lado de Jorge Aragão, Zeca Pagodinho, Monarco da Portela e muitos outros. Em 2006, gravou seu primeiro CD solo – Ciro Morais “BONS MOMENTOS” –, mostrando sua verdadeira identidade musical, com obras representativas do samba tradicional, de autores como Sereno (grupo Fundo de Quintal), Jorge Aragão e Cleber Augusto (antigo integrante do Fundo de Quintal).
Atualmente o cantor divulga seu trabalho solo por todo o Brasil, com apresentações em espaços culturais, feiras e casas noturnas. Em seu repertório constam composições de importantes nomes da MPB, como Chico Buarque, Pixinguinha, Cartola, Adoniran Barbosa, João Nogueira, Arlindo Cruz, Juvelina Pérola Negra, Dona Ivone Lara, além de autores paranaenses.
Serviço:
Programa Domingo Onze e Meia com o cantor curitibano Ciro Morais e os instrumentistas Gustavo Moro (violão de 7 cordas), Caio Murilo (cavaquinho), Zezinho do Pandeiro (percussão) e Marcela Zanetti (flauta).
Local: Conservatório de MPB de Curitiba (Rua Mateus Leme, 66 – Setor Histórico).
Data e horário: dia 3 de novembro de 2013 (domingo), às 11h30.
Entrada franca.
Classificação: livre
Informações: (41) 3321-2855
Programa:
O sol nascerá – Cartola
Corra e olhe o sol – Cartola
Não quero mais amar a ninguém – Cartola
Roda Ciranda – Martinho da Vila
Segure tudo – Martinho da Vila
Batuque na Cozinha – Martinho da Vila
Onde a dor não tem razão – Paulinho da Viola
Trama – Paulinho da Viola
Meu laiá-raiá – Arlindo Cruz
Chega de saudade – Vinicius de Moraes
Quando eu me chamar saudade – Nelson Cavaquinho
Garota de Ipanema – Tom Jobim
Poxa – Zeca Pagodinho
Alvorecer – Dona Ivone Lara
Acreditar – Dona Ivone Lara
             Sonho meu – Dona Ivone Lara 
publicado por o editor às 00:48
link do post | comentar | favorito

6/11 ESTREIA PASSAGEIROS - COM CÉSAR GOUVÊA E GUSTAVO MIRANDA

 

César Gouvêa e Gustavo Miranda apresentam
PASSAGEIROS 
Uma experiência teatral com o roteiro da sua vida

Após turnê internacional,  estreia no dia 6 de novembro, às 21h, no teatro CIT-ECUM, em São Paulo, Passageiros, espetáculo de teatro improvisação, pesquisa pela qual são reconhecidos internacionalmente.

Um avião de papel sobrevoa o teatro e cai no palco.  Um dos atores desdobra e lê uma lembrança da sua vida que você mesmo escreveu. A partir dai inicia-se uma viagem única onde os personagens são passageiros daquele momento.
Diferente do que estamos acostumados a ver em espetáculos de improvisação, em Passageiros você é mais que uma inspiração, você pode definir uma passagem.
O público é convidado a revelar fatos reais de suas vidas: um encontro inusitado, uma decisão importante, uma notícia reveladora, um segredo, um tema nunca antes falado...  Os atores  entram em cena já sabendo as histórias escolhidas, mas desconhecendo como elas vão ser interpretadas, vividas. E, sem isenção, cada momento vivido por outros seres humanos  também os afeta,  provocando discussões, curiosidades, lembranças e desejos sobre cada uma destas passagens pelo mundo.
“A peça faz uma reflexão  sobre  a nossa  passagem pela vida,  e nela, estar pronto para o improviso me parece essencial”, fala César Gouvêa, diretor da Cia do Quintal, idealizador e ator do espetáculo, ao lado de  Gustavo Miranda, da Cia Acción Impro, da Colômbia.
Passageiros já teve sua grande estreia em dois dos festivais mais importantes da América: O FIMPRO Brasil 2013, onde foi apresentado em três cidades (Salvador, Aracaju e Belo Horizonte). E Lima Divergente, o festival de Improvisação de Lima Peru, onde “Pasajeros” teve duas apresentações. 
Passageiros
Direção, dramaturgia e atuação: César Gouvêa (Brasil) / Gustavo Miranda (Colômbia) 
Música e atuação: Rodrigo Geribello (Brasil)
Operação de Luz e atuação : Almir Rosa (Brasil)
Temporada: de 6 de novembro a 5 de dezembro, sessões as quartas e quintas-feiras, às 21h.
Duração: 80 min.
Censura: 14 anos
Capacidade: 134 lugares
Ingressos: R$ 40,00 / R$ 20,00 meia
Local: Teatro CIT-ECUM
Rua da Consolação, 1623
Ar condicionado• Acesso e banheiro para deficientes
Ingressos: Pela internet: www.compreingressos.com
tel: 11.2122.4074
Bilheteria:  abre 2 horas antes do espetáculo
Aceita: Crédito: Diners, Mastercard, Visa / Débito: Maestro, Rede Shop, Visa Electron
Ficha Técnica
Direção e dramaturgia: César Gouvêa (Brasil) / Gustavo Miranda (Colômbia) 
Música e sonoplastia: Rodrigo Geribello (Brasil)
Operação de Luz : Almir Rosa (Brasil)
Cenotécnico: Pado
Contra regra: Getulio Cristovan
Figurino: Daniel Infantini
Confecção de narizes e treinamento de máscara: Elisa Rossin (Brasil)
Treinamento corporal: Mauricio Flórez (Colômbia)
Iluminação: Aline Barros (Brasil
Coordenação de Produção: Ludmilla Picosque (Brasil)
Produção Executiva: Beto Souza (Brasil)
Produzido por: Cia. Do Quintal (Brasil) 
Sobre a Cia do Quintal
Dirigida por César Gouvêa, existe desde 2002, agregando à pesquisa teatral o diálogo das técnicas da improvisação e do palhaço. Hoje a companhia possui cinco espetáculos em seu repertório e é bastante conhecida pelo seu primeiro espetáculo, “Jogando no Quintal - Jogo de Improvisação de Palhaços”, encenado no clima de um estádio de futebol, há onze anos em cartaz e visto por mais de 250 mil pessoas. “Jogando no Quintal...” por ser um dos pioneiros no teatro de improviso no Brasil, se converteu em uma importante referência para muitos grupos que surgiram no país na última década.
 
Sobre a Acción Impro
Dirigida por Gustavo Miranda, é uma das companhias de improvisação teatral mais importante da América Latina, com mais de treze anos de experiência, onze espetáculos em repertório e um importante número de participações em encontros, festivais e campeonatos em países como Espanha, Chile, Argentina, México, Equador, Peru e Brasil. Este grupo, pioneiro na Impro colombiana, se apresenta semanalmente no seu próprio teatro na cidade de Medellín. Há um ano, graças à parceria da Cia. do Quintal, tem casa em São Paulo. 
 
 
A VIAGEM DOS PASSAGEIROS
Mas nem tudo foi tão fácil assim. O processo de criação começou com encontros esporádicos aqui e lá. Um mês no Brasil, um mês na Colômbia. Até que surgiu “A Cocina”, nosso primeiro rascunho, um espetáculo que nasceu a partir de improvisações e acabou sendo uma peça de teatro com um roteiro feito através da criação coletiva. Vários personagens, quadros de diferentes linguagens que se misturavam numa história só, com o único objetivo do encontro, queríamos literalmente “deter o tempo” e levar ao palco nossa experiência do encontro. 
 
Cada vez que nos encontrávamos, os desejos e as necessidades da pesquisa mudavam. Assim, em 2010 ganhamos o apoio Iberescena e decidimos retomar de “A Cocina” o que achamos mais interessante. Manter personagens fixos e carregados com cenas de diferentes cores. Entretanto, decidimos mudar radicalmente a estrutura dramática e voltar ao que nos fez apaixonar pelo trabalho: a improvisação como base.
 
Assim nasceu “El Pasajero, Uma Viagem Improvisada” nosso primeiro espetáculo em cartaz. Tanto em São Paulo quanto em Medellín o espetáculo foi ovacionado. Uma experiência inesquecível que aos poucos foi se transformando ainda mais com o passar do tempo e com as novas intenções dos dois atores e diretores que tínhamos na cabeça, em cada encontro, objetivos e pesquisas diferentes. 
 
A partir deste trabalho decidimos nos radicar numa mesma cidade para dar um último retoque no espetáculo, para os nossos desejos não se separarem com a distância e continuar no mesmo rumo com o espetáculo. Assim em 2012, Miranda decidiu morar no Brasil e “El Pasajero” transformou-se em Passageiros. Mas não foi só o título que mudou. Conservamos os mesmos personagens, o trabalho da máscara e as cenas de diferentes cores. Aproveitamos a improvisação como base e preenchemos o espetáculo de teatralidade. Aprofundamos na construção dramatúrgica do ator improvisador, fizemos um novo cenário, uma nova iluminação, uma nova história menos representativa e mais perto à linguagem teatral.
Novos encontros e novas parcerias trouxeram música, sonoplastia e iluminação para o campo da atuação. Rodrigo Geribello improvisa em cena com música e sonoplastia e Almir Rosa ilumina com cores e climas.
Agora Passageiros inicia uma nova etapa, uma nova passagem. E você, é passageiro do que?
 
publicado por o editor às 00:46
link do post | comentar | favorito

22/11 ESTREIA TAPA - ANTI-NELSON RODRIGUES

 

O Grupo TAPA finaliza a ocupação do Teatro de Arena,
com a estréia nacional de
ANTI- NELSON RODRIGUES
“O dinheiro compra tudo, até o amor verdadeiro.”
“O sexo é uma selva de epiléticos.”

O Grupo TAPA finaliza a ocupação do Teatro de Arena,
com a estréia nacional de “Anti-Nelson Rodrigues”,
prevista para o dia 20 de novembro, às 21h,
no Teatro de Arena Eugênio Kusnet.
Autor freqüente no repertório do TAPA,
Nelson recebeu a cada década montagens de grande repercussão:
“Viúva , porém honesta”  na década de 80,
“Vestido de Noiva”  em 90 e “A Serpente” em 2000.
Escrita em 1973, essa penúltima peça do maior
dramaturgo brasileiro é um sumário das melhores
e mais saborosas situações rodrigueanas.
Entre humor e o drama, as personagens transitam
à deriva em busca de amor e redenção.
Texto repleto de frases antológicas, tão marcantes no universo do autor,
desde a sua primeira montagem há quarenta anos
“Anti-Nelson Rodrigues” não foi mais encenada profissionalmente,
o que lhe dá um tom de quase ineditismo.
“Anti-Nelson Rodrigues” é um texto surpreendente
à espera de ser redescoberto por várias gerações que
conhecem sobretudo as obras canônicas do autor.
ANTI-NELSON RODRIGUES
Direção: Eduardo Tolentino de Araújo
Elenco:
Augusto Zacchi,
Carol Cashie,
Clara Carvalho,
Conrado Sardinha / Cesar Baccan
Oswaldo Mendes
Riba Carlovich
Estreia prevista: 20 de novembro
Temporada: em novembro, de quarta a sábado, às 21h.
Em dezembro, quartas e quintas-feiras, às 21h.
Duração: 90 minutos
Capacidade: 98 lugares
Ingressos: R$ 20,00 / R$ 10,00 meia
Bilheteria abre uma hora antes do espetáculo
Vendas só em dinheiro
Teatro de Arena Eugênio Kusnet
Rua Dr. Teodoro Baima, 94 – República
Tel: 11. 3256.9463
A ponte que liga o TAPA ao Arena tem um eixo central em comum: o foco sobre o trabalho do ator e o repertório dedicado à dramaturgia. O Teatro de Arena, fundado por José Renato em 1953, implantou pioneiramente no Brasil a estrutura cênica que lhe deu o nome, e teve de enfrentar o desafio de desenvolver padrões de interpretação compatíveis com a natureza camerística desse espaço.
A esse desafio somou-se outro alguns anos depois: o de desenvolver uma dramaturgia que figurasse as condições reais do país, e que o fizesse a partir de uma perspectiva crítica e não meramente cronística. Estava-se então em 1958, e desse momento em diante as etapas que se seguiram configuraram transformações fundamentais para a dramaturgia tanto sob o ponto de vista da matéria representada como de seus parâmetros formais e estilísticos.
O projeto do TAPA na ocupação do Teatro de Arena propõe-se a dialogar de três maneiras com essas etapas e com seu significado histórico: revisitando peças que integraram tanto o repertório do Arena como o seu próprio em algum momento; introduzindo peças contemporâneas condizentes com o espaço cênico; e incorporando montagens voltadas também ao público escolar e infantil. Neste último aspecto em particular o grupo ao mesmo tempo repassa a experiência do Arena em montagens de sua primeira fase, retoma o ponto de partida de seu próprio percurso profissional, em 1979, e remete ao Panorama do Teatro Brasileiro, que desenvolveu durante os anos 90.

A confluência entre o projeto ora apresentado e a história do Arena não resulta só da programação de títulos em comum: o processo de estudo interno que caracteriza o TAPA, e que tem mantido em foco peças de Machiavelli, Martins Pena, Tennessee Williams e Pirandello, representa em si uma forma importante de trabalho que evoca, em muitos pontos, o processo formativo do Arena ao longo de seu trabalho. A montagem de “O longo adeus”, de Tennessee Williams, reporta-se à peça de estréia do Arena, traduzida por Esther Mequita como “O demorado adeus” e dirigida por José Renato em 1953. A comédia social de Martins Pena, mais uma vez pautada pelo TAPA, teve papel importantetambém no Arena em seus anos iniciais. “A Mandrágora”, de Machiavelli, que integra o repertório do TAPA, traz à pauta a fase de nacionalização dos clássicos do Arena, na primeira metade dos anos 60.
Algumas outras peças dos autores desses títulos comuns aos dois grupos foram programadas agora pelo TAPA em sua ocupação do Teatro de Arena: é o caso de “Alguns Blues do Tennessee”, coletânea de três peças em um ato de Tennessee Williams (“O quarto escuro”, “Verão no lado” e “A dama da loção antipiolho”) já anteriormente encenada em traduções dos próprios atores, e de “Out Cry”, inédita e que estreará em tradução também feita pelo TAPA. De Pirandello, outro dramaturgo cujo trabalho tem sido objeto de estudo interno continuado, as duas peças programadas, “Amargo Siciliano” e “De um ou de nenhum”, foram igualmente traduzidas pelo grupo e exaustivamente revisadas durante os ensaios.
A caracterização de uma confluência com o trabalho do Arena se dá, em todos esses casos, não só pela importância histórica desses textos ou por suas possibilidades interpretativas específicas, mas também - e principalmente - pelo papel que o próprio projeto de encená-los desempenha para os atores e público do TAPA, na correlação histórica entre seu trabalho e o do Teatro de Arena.
Maria Sílvia Betti
 
tags: ,
publicado por o editor às 00:45
link do post | comentar | favorito

22/11 ESTREIA TAPA - ANTI-NELSON RODRIGUES

 

O Grupo TAPA finaliza a ocupação do Teatro de Arena,
com a estréia nacional de
ANTI- NELSON RODRIGUES
“O dinheiro compra tudo, até o amor verdadeiro.”
“O sexo é uma selva de epiléticos.”

O Grupo TAPA finaliza a ocupação do Teatro de Arena,
com a estréia nacional de “Anti-Nelson Rodrigues”,
prevista para o dia 20 de novembro, às 21h,
no Teatro de Arena Eugênio Kusnet.
Autor freqüente no repertório do TAPA,
Nelson recebeu a cada década montagens de grande repercussão:
“Viúva , porém honesta”  na década de 80,
“Vestido de Noiva”  em 90 e “A Serpente” em 2000.
Escrita em 1973, essa penúltima peça do maior
dramaturgo brasileiro é um sumário das melhores
e mais saborosas situações rodrigueanas.
Entre humor e o drama, as personagens transitam
à deriva em busca de amor e redenção.
Texto repleto de frases antológicas, tão marcantes no universo do autor,
desde a sua primeira montagem há quarenta anos
“Anti-Nelson Rodrigues” não foi mais encenada profissionalmente,
o que lhe dá um tom de quase ineditismo.
“Anti-Nelson Rodrigues” é um texto surpreendente
à espera de ser redescoberto por várias gerações que
conhecem sobretudo as obras canônicas do autor.
ANTI-NELSON RODRIGUES
Direção: Eduardo Tolentino de Araújo
Elenco:
Augusto Zacchi,
Carol Cashie,
Clara Carvalho,
Conrado Sardinha / Cesar Baccan
Oswaldo Mendes
Riba Carlovich
Estreia prevista: 20 de novembro
Temporada: em novembro, de quarta a sábado, às 21h.
Em dezembro, quartas e quintas-feiras, às 21h.
Duração: 90 minutos
Capacidade: 98 lugares
Ingressos: R$ 20,00 / R$ 10,00 meia
Bilheteria abre uma hora antes do espetáculo
Vendas só em dinheiro
Teatro de Arena Eugênio Kusnet
Rua Dr. Teodoro Baima, 94 – República
Tel: 11. 3256.9463
A ponte que liga o TAPA ao Arena tem um eixo central em comum: o foco sobre o trabalho do ator e o repertório dedicado à dramaturgia. O Teatro de Arena, fundado por José Renato em 1953, implantou pioneiramente no Brasil a estrutura cênica que lhe deu o nome, e teve de enfrentar o desafio de desenvolver padrões de interpretação compatíveis com a natureza camerística desse espaço.
A esse desafio somou-se outro alguns anos depois: o de desenvolver uma dramaturgia que figurasse as condições reais do país, e que o fizesse a partir de uma perspectiva crítica e não meramente cronística. Estava-se então em 1958, e desse momento em diante as etapas que se seguiram configuraram transformações fundamentais para a dramaturgia tanto sob o ponto de vista da matéria representada como de seus parâmetros formais e estilísticos.
O projeto do TAPA na ocupação do Teatro de Arena propõe-se a dialogar de três maneiras com essas etapas e com seu significado histórico: revisitando peças que integraram tanto o repertório do Arena como o seu próprio em algum momento; introduzindo peças contemporâneas condizentes com o espaço cênico; e incorporando montagens voltadas também ao público escolar e infantil. Neste último aspecto em particular o grupo ao mesmo tempo repassa a experiência do Arena em montagens de sua primeira fase, retoma o ponto de partida de seu próprio percurso profissional, em 1979, e remete ao Panorama do Teatro Brasileiro, que desenvolveu durante os anos 90.

A confluência entre o projeto ora apresentado e a história do Arena não resulta só da programação de títulos em comum: o processo de estudo interno que caracteriza o TAPA, e que tem mantido em foco peças de Machiavelli, Martins Pena, Tennessee Williams e Pirandello, representa em si uma forma importante de trabalho que evoca, em muitos pontos, o processo formativo do Arena ao longo de seu trabalho. A montagem de “O longo adeus”, de Tennessee Williams, reporta-se à peça de estréia do Arena, traduzida por Esther Mequita como “O demorado adeus” e dirigida por José Renato em 1953. A comédia social de Martins Pena, mais uma vez pautada pelo TAPA, teve papel importantetambém no Arena em seus anos iniciais. “A Mandrágora”, de Machiavelli, que integra o repertório do TAPA, traz à pauta a fase de nacionalização dos clássicos do Arena, na primeira metade dos anos 60.
Algumas outras peças dos autores desses títulos comuns aos dois grupos foram programadas agora pelo TAPA em sua ocupação do Teatro de Arena: é o caso de “Alguns Blues do Tennessee”, coletânea de três peças em um ato de Tennessee Williams (“O quarto escuro”, “Verão no lado” e “A dama da loção antipiolho”) já anteriormente encenada em traduções dos próprios atores, e de “Out Cry”, inédita e que estreará em tradução também feita pelo TAPA. De Pirandello, outro dramaturgo cujo trabalho tem sido objeto de estudo interno continuado, as duas peças programadas, “Amargo Siciliano” e “De um ou de nenhum”, foram igualmente traduzidas pelo grupo e exaustivamente revisadas durante os ensaios.
A caracterização de uma confluência com o trabalho do Arena se dá, em todos esses casos, não só pela importância histórica desses textos ou por suas possibilidades interpretativas específicas, mas também - e principalmente - pelo papel que o próprio projeto de encená-los desempenha para os atores e público do TAPA, na correlação histórica entre seu trabalho e o do Teatro de Arena.
Maria Sílvia Betti
 
tags: ,
publicado por o editor às 00:44
link do post | comentar | favorito

Iced Earth apresenta duas músicas novas em shows na Europa

 



O Iced Earth, um dos nomes mais respeitados do cenário metal mundial, está em turnê pela Europa já divulgando o novo álbum “Plagues of Babylon”, que será lançado apenas em janeiro de 2014. Recentemente, o grupo apresentou duas composições deste trabalho em shows na França e Espanha. A banda faz única apresentação no Brasil, no dia 23 de Março de 2014, no Carioca Club, em São Paulo.



Banda é uma das principais atrações a desembarcar no Brasil em 2014 – crédito da foto: divulgação

 

Apesar de estar totalmente concentrada no lançamento do seu tão aguardado disco de inéditas “Plagues of Babylon”, a banda Iced Earth tem optado em não ficar mesmo longe dos palcos. O grupo segue em uma longa turnê pela Europa e já está aproveitando para executar algumas composições deste trabalho que será lançado apenas em 6 de janeiro de 2014 via Century Media Records.

 

Stu Block (vocal), Jon Schaffer (guitarra/vocal), Troy Seele (guitarra), Luke Appleton (baixo) e Raphael Saini (bateria) tem apresentado set lit composto por diversos clássicos, além das principais composições do novo álbum "Plagues Of Babylon".

 

Confira abaixo dois recentes vídeos:

“Plagues of Babylon” em Strasbourg (FRA): http://www.youtube.com/watch?v=8WCE23VCd8A

"If I could see you" em Madri (ESP): http://www.youtube.com/watch?v=8EwORhY_d34

 

Com quase 30 anos de carreira, o Iced Earth retorna ao Brasil, no próximo dia 23 de Março de 2014, no Carioca Club, em São Paulo. Esta será a única performance da "Worldwide Plagues Tour 2014" no país. Os ingressos para esta exibição já estão à venda pelos sites da Ticket Brasil (www.ticketbrasil.com.br) e Clube do Ingresso (www.clubedoingresso.com), nas bilheterias do Carioca Club, Galeria do Rock (loja Hole), CadaQual (Jardim Paulista), Shopping Oriente 500 (Brás), Santo André (Metal Music) e São Bernardo (Age Of Dreams). Mais informações no serviço abaixo.

 

A promoção especial “Metal do bem” todos aqueles que levarem 1 kg de alimento não-perecível (exceto sal e açúcar) no dia do evento terão direito a adquirir seus ingressos com 50% de desconto sobre o valor do ingresso inteiro.

 

Links relacionados:

http://www.icedearth.com

https://www.facebook.com/OfficialIcedEarth

http://www.youtube.com/user/OfficialIcedEarth

https://twitter.com/_IcedEarth

http://www.8X8Live.com

https://www.facebook.com/8x8Live

https://twitter.com/8X8Live

http://www.cariocaclub.com.br

http://theultimatemusic.com

http://www.icedearth.com.br

 

Serviço São Paulo

ICED EARTH – Worldwide Plagues Tour 2014

Data: 23/03/2014

Local: Carioca Club

Endereço: Rua Cardeal Arcoverde 2899, Pinheiros

Abertura da casa: 19:00

Inicio show Iced Earth: 20:30

Classificação etária: A partir de 18 anos

 

Os ingressos da promoção “Metal do bem” serão vendidos antecipadamente em todos os pontos de vendas físicos e pela internet. Aqueles que comprarem os ingressos da Promoção Metal do bem antecipados ou no dia do evento devem levar 1 (um) kilo de alimento não perecível (exceto sal e açúcar) para doação na entrada do evento. Os alimentos serão doados para a instituição Caminhando que realiza um trabalho de inclusão social de jovens e adolescentes com deficiência física e intelectual.

 

Ingressos online:

www.ticketbrasil.com.br (em até 12 vezes no cartão)

www.clubedoingresso.com.br

 

Ingressos

 

1º Lote

Pista Meia entrada = R$ 85,00

Pista Metal do bem = R$ 85,00

Pista Inteira = R$ 170,00

Camarote Meia entrada = R$ 150,00

Camarote Metal do bem = R$ 150,00

Camarote Inteira = R$ 300,00

 

2º Lote

Pista Meia entrada = R$ 95,00

Pista Metal do bem = R$ 95,00

Pista Inteira = R$ 190,00

Camarote Meia entrada = R$ 160,00

Camarote Metal do bem = R$ 160,00

Camarote Inteira = R$ 320,00

 

3º Lote

Pista Meia entrada = R$ 105,00

Pista Metal do bem = R$ 105,00

Pista Inteira = R$ 210,00

Camarote Meia entrada = R$ 170,00

Camarote Metal do bem = R$ 170,00

Camarote Inteira = R$ 340,00

 

Na porta

Pista Meia entrada = R$ 120,00

Pista Metal do bem = R$ 120,00

Pista Inteira = R$ 240,00

Camarote Meia entrada = R$ 200,00

Camarote Metal do bem = R$ 200,00

Camarote Inteira = R$ 400,00

 

Pontos de venda em São Paulo:

Bilheterias do Carioca Club (SEM TAXA DE CONVENIÊNCIA)

Rua Cardeal Arcoverde, 2899

Horário: Segunda à sábado das 9hrs às 20hrs.

Pinheiros, São Paulo – SP Tel: 3813-8598

Formas de pagamento: Somente dinheiro.

 

Hole - Galeria do Rock*

Av. São João, 439 - 1º andar loja 275 - São Paulo - SP

Horário: Segunda à sábado das 10h às 19h.

Formas de pagamento: Dinheiro, Débito e Crédito à vista nos cartões Visa, MasterCard, American,Express, Diners Club International, Elo.

 

CadaQual*

Rua Augusta, 2171 - Jardim Paulista - São Paulo - SP

Horário: Segunda à sábado das 11h às 20h.

Formas de pagamento: Dinheiro, Débito e Crédito à vista nos cartões Visa, MasterCard, American

Express, Diners Club International, Elo.

 

Metal Music - Santo André*

Rua Dona Elisa Fláquer, 184 - Centro - Santo André - SP

Horário: Segunda à sexta das 10h às 18h30, sábado das 10h às 17h30.

Formas de pagamento: Dinheiro, Débito e Crédito à vista nos cartões Visa, MasterCard, American

 

Age Of Dreams - São Bernardo*

Av. Marechal Deodoro, 1754 - 2º Andar loja 33/36 - Centro - São Bernardo do Campo - SP

Horário: Segunda à sábado das 9h às 19h.

Formas de pagamento: Somente dinheiro

 

Shopping Oriente 500*

Rua Oriente, 500 2º andar - Brás - São Paulo - SP

Horário: Segunda à sexta das 9h às 17h, sábados das 9h às 13h30.

Formas de pagamento: Dinheiro, Débito e Crédito à vista nos cartões Visa, MasterCard, American, Express, Diners Club International, Elo.

 

*Ponto de venda sujeito à taxa de conveniência

 

Capacidade: 1.500 pessoas

Acesso para portadores de necessidades especiais

Ar condicionado

Estacionamentos na região: de R$ 20,00 a R$ 30,00 o período

Chapelaria no local: R$ 5,00

 

Informações:

8X8 Live – Email: contato@8x8live.com

Ticket Brasil – 4901-1165 – Email: contato@ticketbrasil.com.br

Carioca Club – 3813-4524 – Email: reservas@cariocaclub.com.br

 

publicado por o editor às 00:41
link do post | comentar | favorito

SUCESSO PRORROGA TEMPORADA DE MARCELO MANSFIELD

 

Devido ao sucesso, a temporada será
prorrogada até o dia 16 de novembro
Marcelo Mansfield em
NOCAUTE
Integrante do programa “Agora é Tarde” (BAND),
com Danilo Gentili, volta em cartaz em temporada no Tatuapé
Em NOCAUTE, Marcelo Mansfield traz
um nocaute no nariz da sociedade, com observações
do dia a dia que o ator
foi colecionando como mestre de cerimônia
no Clube da Comédia
(Inicialmente formado pelos humoristas Diogo Portugal,
Marcela Leal, Rafinha Bastos e Oscar Filho).
Temas como política, viagens,
programas de tv e sexo, são abordados no show
com duração aproximada de 60 minutos.
Com o seu olhar bem humorado sobre a vida,
o público irá perceber que o espetáculo trata
de uma conversa sincera entre ator e plateia,
como se eles tivessem acabado de se conhecer.
 Mansfield agora vem à cena num espetáculo
único na forma de stand-up comedy,
estilo que privilegia o texto e o humorista de cara limpa.
A supervisão é do seu amigo e parceiro Rafinha Bastos.
SERVIÇO
Nocaute
Texto, direção e interpretação: MARCELO MANSFIELD
Supervisão: RAFINHA BASTOS
Temporada: de 21 de setembro a 26 de outubro
Prorrogada até 16 de novembro: mais 3 apresentações
Horário: 23h30
Preço: R$ 50,00
Meia: R$ 25,00
Duração: 60 minutos
Recomendação: 14 anos
Capacidade:  687 lugares
Teatro Fernando Torres
Rua Padre Estevão Pernet, 588 - Tatuapé
11. 2227-1025
Ingressos:
Pela Internet: www.ingressorapido.com.br
tel: 4003.1212
Bilheteria: das 14h às 20h de terça a domingo e até o horário do espetáculo aos sábados
Aceita todos os cartões
Café no local
Estacionamento conveniado no subsolo
Próximo aos metros Carrão e Tatuapé





BIOGRAFIA
Atualmente participa do programa “Agora é Tarde” (BAND), com Danilo Gentili. Integrou o elenco do programa "Zorra Total" (REDE GLOBO) como o “Seu Banana”, inspirado em um personagem de grande sucesso, o “Seu Merda”, criado para o show da Terça Insana. Foi mestre de cerimônias do Clube da Comédia, em cartaz há mais de quatro anos em SP.
Participou de várias novelas e minisséries, destacando-se em Mulheres de Areia, Chiquinha Gonzaga, Celebridade e Desejos de Mulher, além dos programas Mulher e Armação Ilimitada, todos pela TV Globo. Na TV Cultura, fez parte do elenco dos premiados Rá-Tim-Bum e X-Tudo. Trabalhou em O Direito de Nascer no SBT e Uma Luz na Escuridão na Record. Na década de 80 teve seu próprio programa de humor na TV Gazeta, o Marcelo Mansfield Show e por oito anos esteve à frente do TVLÂNDIA, pelo Canal de SP da TVA.
Em cinema, atuou em 17 filmes, destaque para o premiado filme de Ugo Giorgetti, Festa e o cultuado Durval Discos, de Anna Muylaert, alem do trash Loira Incendiária, onde foi co-autor junto com Ângela Dip e Mauro Lima, baseado na PECa de memso nome.
Manteve uma coluna semanal por mais de um ano na Folha de SP e colaborou com várias revistas e jornais, tais como: Marie Claire, Set, Contigo, Transamérica, Jornal da Tarde, entre outros. Nesse ínterim ainda achou tempo para se dedicar a pesquisa para Bolsa Vitae e para um estágio em comédia de situação em Hollywood, acompanhando as gravações dos seriados The Nanny e The Naked Truth.
 
publicado por o editor às 00:38
link do post | comentar | favorito

Dia Nacional do Saci-Pererê e Lançamento de Livro da jornalista Elaine Tavare

 

A celebração do Dia Nacional do Saci-Pererê será no dia 31 de outubro, quinta-feira, das 15 às 17 horas, na Esquina Democrática, em frente à igreja São Francisco, na capital, Florianópolis. A promoção é  da Revista Pobres & Nojentas, com apoio do Sindicato dos Trabalhadores no Poder Judiciário Federal do Estado de Santa Catarina (Sintrajusc) e do Sindicato dos Trabalhadores da Universidade Federal de Santa Catarina (Sintufsc). No dia também será lançado o novo livro da jornalista Elaine Tavares, da equipe da Pobres & Nojentas, intitulado "Olímpia Gayo visita o diabo". O trabalho conta a história da freira franciscana Olímpia Gayo, que iniciou um fecundo trabalho de organização das mulheres prostituídas em Lages (veja no final do release). No dia haverá música, contação de histórias, brincadeiras e distribuição de “sacizinhos”.
A lenda é assim! Basta que exista um bambuzal e, de repente, de dentro dos caniços, nascem os sacis. É como eles vêm ao mundo, dispostos a fazer estripulias. Conta a história que esses seres já existiam bem antes do tempo que os portugueses invadiram nossas terras. Ele nasceu índio, moleque das matas, guardião da floresta, a voejar pelos espaços infinitos do mundo Tupi-Guarani. Depois, vieram os brancos, a ocupação, e a memória do ser encantado foi se apagando na medida em que os próprios povos originários foram sendo dizimados.
Quando milhares de negros, caçados na África e trazidos à força como escravos, chegaram no já colonizado Brasil, houve uma redescoberta. Da memória dos índios, os negros escravos recuperaram o moleque libertário, conhecedor dos caminhos, brincalhão e irreverente. Aquele mito originário era como um sopro de alegria na vida sofrida de quem se arrastava com o peso das correntes da escravidão.
Então, o moleque índio ficou preto, perdeu uma perna e ganhou um barrete vermelho, símbolo máximo da liberdade. Ele era tudo o que o escravo queria ser: livre! Desde então, essa figura adorável faz parte do imaginário das gentes nascidas no Brasil.
O Saci-Pererê é a própria rebeldia, a alegria, a liberdade. Com o processo de colonização cultural via Estados Unidos – uma nova escravidão - foi entrando devagar, na vida das crianças brasileiras, um outro mito, alienígena, forasteiro. O mito do Haloween, a hora da bruxa e da abóbora, lanterna de Jack, o homem que fez acordo com o diabo. A história é bonita, mas não é nossa. Tem raízes irlandesas e virou dia de frenéticas compras nos EUA e também no Brasil. Na verdade, a lógica é essa. Ficar cada vez mais escravo do consumo e da cultura alheia. Jeito antigo de colonizar as mentes e dominar. É por isso que a Pobres & Nojentas quer recuperar o Saci, o brasileiro moleque das matas, guardião da liberdade, amante da natureza que hoje está ameaçada de destruição.
Queremos vida digna, um país soberano na política, na economia, na arte e na cultura. Cada região deste Brasil tem seus próprios mitos. Caipora, Boitatá, Curupira, Bruxa, Negrinho do Pastoreio... São os amigos do Saci que estão presentes na atividade do Dia do Saci Pererê, saudando e buscando a liberdade.
publicado por o editor às 00:31
link do post | comentar | favorito

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

.FALE COM A GENTE


.subscrever feeds