Sexta-feira, 30 de Outubro de 2015

Assista ao trailer de Uma Nova Onda de Liberdade: A História do Madame Satã

 

 

O documentário do jornalista Wladimyr Cruz traz histórias de uma das casas noturnas mais famosas do Brasil. O longa terá exibições pontuais nos cinemas e no próprio Madame Satã a partir de dezembro.

http://entretenimento.r7.com/videos/assista-ao-trailer-de-uma-nova-onda-de-liberdade-a-historia-do-madame-sata/idmedia/563260820cf242029b99313f.html

 
publicado por o editor às 08:16
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 29 de Outubro de 2015

Viagem no Tempo: Do Sucesso de Bilheteria “Interestelar” à Literatura Mais Antiga da Humanidade  

 

 

Viagem no Tempo: Do Sucesso de Bilheteria “Interestelar” à Literatura Mais Antiga da Humanidade


por Pedro Palmares

 
 
 
Os Vedas, escrituras da Índia antiga, bem como mitos celtas, chineses e japoneses, já descreviam o tipo de viagem no tempo retratada no filme “Interestelar” e teorizada por Albert Einstein.

Viagem no tempo. É possível? Esta ideia tanto tem sido uma das motivações para histórias surpreendentes da ficção científica quanto tem intrigado físicos. Ultrapassar os limites do Tempo parece ser até mais desafiador do que superar os limites do Espaço (e, possivelmente, os dois estão conectados). Nascimento, velhice e morte. Parece que nossa consciência almeja por libertar-se destas barreiras. Há algo que nos diz que há um fator dentro de nós que aspira por superar os limites temporais. Talvez este desejo interno seja um dos motivos pela busca da imortalidade, seja através de especulações e tentativas de caráter científico/materialista, seja através da transcendência da consciência, própria da poesia, das religiões e do misticismo.

O último filme do diretor Christopher Nolan, “Interestelar” (Interstellar), tem o Tempo como um dos temas principais. Apesar de o filme ser quase um tributo aos poderes do homem e da ciência (em oposição a outra corrente da ficção científica, que critica a sujeição do homem perante a tecnologia/ciência) e não representar a melhor realização de Nolan (que teve o seu canto de cisne em “O Grande Truque”), a obra apresenta um aspecto interessante que faz parte do mundo da ciência moderna, da ficção científica e dos mitos antigos da humanidade: viagem no tempo. Este tema faz parte da tradição sci-fi. Para citar alguns, temos a franquia “Exterminador do Futuro”, “Planeta dos Macacos”, “De Volta ao Futuro”, “Efeito Borboleta”, “X-Men: Dias de um Futuro Esquecido” e “Dragon Ball Z”. O conto de ficção científica do século XIX do autor H.G Wells pode ser considerado uma das obras axiais do gênero. Nela, o protagonista realiza viagens de milhares de anos no futuro.


No entanto, viajar no tempo, especialmente para o futuro, não é algo que apenas faz parte de obras pop ou das teorias da física moderna. Viagens no tempo (com alto grau de detalhes) já eram descritas em histórias antigas, especialmente nas narrativas dos Vedas (as escrituras milenares da Índia antiga). A seguir, analisaremos o conceito de dilatação do tempo da Teoria da Relatividade, de Einstein, com aspectos do filme “Interestelar” e com as narrativas antigas dos celtas, chineses, japoneses e autores dos Vedas.

Dilatação do Tempo e “Interestelar“: Vinte e Três Anos em Três Horas

Um dos aspectos mais interessantes do filme “Interestelar” é a forma como é mostrado o conceito de dilação do tempo. Os protagonistas decidem visitar o planeta de Miller, próximo a um buraco negro chamado Gargântua. Essa proximidade com a gravidade intensa do buraco negro faz com que o planeta tenha uma diferença de tempo muito grande: cada hora neste planeta equivale a 7 anos para as pessoas que estão fora dele. Os protagonistas astronautas acabam passando 3 horas no planeta, que é composto de água e ondas colossais, e, quando conseguem deixá-lo e voltar para a base espacial, reencontram lá o colega astronauta Romilly, porém 23 anos mais velho. Para eles, foram 3 horas – para Romilly, foram 23 anos.

De acordo com a Teoria da Relatividade, de Einstein, e com verificações empíricas na ciência física, isso realmente é possível. O tempo, diverso do conceito de Newton como algo absoluto, é diferente em diversas partes do universo, sendo uma das razões para isso a gravidade. Um astronauta que passasse muito tempo no espaço, com menor força da gravidade, envelheceria mais rápido em relação às pessoas na Terra, onde a gravidade é maior. Ou seja, a quantidade de gravidade de um planeta determina a diferença de como transcorre o tempo em relação a outro planeta de gravidade diferente: quanto maior a gravidade, mais devagar envelhecem seus habitantes.

No entanto, o tempo seria percebido, ou “correria”, de forma igual tanto para as pessoas da Terra quanto para os astronautas em um planeta com o dobro da gravidade da Terra, por exemplo. Elas não perceberiam mudanças no tempo a não ser que se encontrassem depois, constatando que os astronautas envelheceram menos e os terráqueos mais.

A animação japonesa Dragon Ball Z apresenta um exemplo disso na Câmara Hiperbólica do Tempo. Um dia dentro dessa câmara equivale a um ano fora dela.




Esse conceito que aparece de forma clara no episódio do planeta de Miller em “Interestelar” e na referida câmara puramente ficcional de Dragon Ball Z, no entanto, não faz parte apenas da Teoria da Relatividade e das verificações da física moderna. Tal conceito já existia nas narrativas antigas de outros povos, e as semelhanças são impressionantes.

Dilatação do Tempo nos Vedas: Milhares de Anos em Um Segundo

Os Vedas são as escrituras mais antigas da humanidade, estando também entre as mais sofisticadas. Esses imensos textos são a base de todas as linhas religiosas e filosóficas do que por convenção se chama de hinduísmo. O legado do conhecimento védico para a humanidade é imensurável. Desde a trigonometria até as artes marciais orientais, praticamente quase tudo o que existe no campo do conhecimento humano parece ter-se originado na Índia (ou ter tido uma grande influência da Índia). Não por acaso, a Índia, desde a Antiguidade, representou a terra prometida, o lugar da riqueza e do conhecimento. O sânscrito, por exemplo, a língua em que estão escritos os Vedas, é conhecido pelas suas refinadas regras gramaticais. O alfabeto devanágari, “a escrita dos deuses”, é um exemplo. Enquanto o alfabeto grego e latino antigo não possuem uma ordem lógica, o alfabeto do sânscrito é científico. Estudar a ordem de suas letras, por si só, já é uma aula de linguística.

No campo da espiritualidade e da filosofia, os Vedas estão entre os textos mais influentes e estudados. O Bhagavad-gita, “A Poesia do Ser Supremo”, por exemplo, era estudado por diversas personalidades importantes, inclusive cientistas: J. Robert Oppenheimer (famoso e influente físico que se tornou infame pela construção da bomba atômica), Herman Hesse, Sunita Williams (destacada astronauta), Carl Jung, Gandhi, Aldous Huxley, para citar alguns.



Bhagavad-gita Como Ele É, uma das edições do Bhagavad-gita mais popular em todo o mundo.

Esta riqueza intelectual dos Vedas também está na cosmologia e na forma como eles compreendiam o Tempo. Suas escalas temporais vão desde o tempo que o Sol leva para percorrer um átomo (relógio atômico) até o tempo de duração de todo o universo. A ideia de dilatação do tempo, de Einstein, mostrada no filme Interestelar, também faz parte do universo dos Vedas. Essas escrituras apresentam informações elaboradas das diferenças temporais de diferentes galáxias e sistemas planetários. De acordo com esses textos milenares, escritos há cerca de 5 mil anos, planetas e sistemas planetários (chamados de lokas) da porção superior do universo (de acordo com a cosmologia védica, o universo é fundamentalmente divido em três partes: inferior, média e superior. Este esquema tem forte semelhança com a cosmologia nórdica, grega e judaica) teriam uma forte dilatação de tempo em relação ao tempo terrestre. Por exemplo, no primeiro planeta do universo, chamado de Brahmaloka, a dilatação de tempo seria imensa. Nesse lugar, cada segundo equivaleria a 98.630 anos terrestres.

A escala colossal de como os Vedas lidam com a relação tempo/universo pode ser verificada também na seguinte informação encontrada nessas escrituras: a duração de todo o universo seria de 311 trilhões e 40 bilhões de anos. Nenhuma cultura antiga pensava em números tão altos. A única que chegou perto foi a cultura maia. Quando os europeus das navegações entraram em contato com essas duas culturas, o conceito de um universo tão antigo, utilizando números na casa dos bilhões, certamente influenciou uma nova visão do cosmos por parte da Europa.

O astrônomo Carl Sagan disse certa vez: “A religião da Índia é a única fé do mundo que possui uma concepção de Cosmos que passa por um imenso e infinito número de mortes e renascimentos. É a única religião na qual as escalas de tempo correspondem com a da cosmologia científica moderna”.



O conceito de dilatação do tempo é detalhadamente explicado nos Vedas, e há muitos casos semelhantes ao episódio do planeta de Miller do filme “Interestelar”. O conceito de múltiplos universos também está presente na cosmologia védica.

Como diz o pesquisador e cientista Richard L. Thompson: “A literatura védica aponta a existência de uma hierarquia de sistemas planetários, os quais também podemos considerar como mundos paralelos. O sistema mais elevado é Brahmaloka, o planeta de Brahma, onde se manifesta o grau mais elevado de dilatação do tempo em relação à Terra. Em outros sistemas planetários, os intermediários, manifestam-se graus intermediários de dilatação de tempo”.

Dilatação do Tempo nas Lendas da Europa: Trezentos Anos em Três

Há um conceito de dilatação do tempo peculiar na história celta de Ossian.

A narrativa envolve uma princesa sidhe (uma espécie de raça de fada/elfo que habita um mundo invisível para a maioria dos humanos, um mundo paralelo) que seduziu um humano, Ossian, a vir para o seu mundo, Tír na nÓg (“A Terra da Juventude”, um dos nomes dessa realidade paralela). Ali, ele se casou e viveu pelo que lhe pareceu serem três anos. Finalmente, porém, ele sentiu um desejo irresistível de retornar para o seu mundo natal, a Irlanda. Partiu montado no mesmo cavalo mágico, com capacidade de viajar sobre o mar, que o levara ao outro mundo, e a sua esposa fada alertou-o a não colocar os pés em terra firme.

Ao chegar à Irlanda, ele soube da morte de todos os seus antigos companheiros e de todas as mudanças pelas quais passara o país. Somente então se deu conta do longo tempo que estivera afastado dali: haviam se passado trezentos anos. Enquanto, para Ossian, foram apenas três anos vivendo na realidade paralela de Tír na nÓg; na Terra, haviam se passado trezentos anos.

Outra lenda irlandesa que envolve dilatação do tempo é “A Viagem de Bran”, do ano 700 d.C., resumida a seguir.

Certo dia, enquanto Bran caminha, ouve uma música esplendorosa que o faz dormir. Ao acordar, vê uma mulher do Outro Mundo (uma realidade paralela), que o convida a visitar essa outra dimensão, onde não há doença, sempre é verão e não há falta de água e alimentos. Bran reúne um grupo de marinheiros e decide cruzar o mar, seguindo as instruções da mulher fantástica. No meio da viagem, ele encontra o deus do Mar celta, Manannán, em uma carruagem sobre o mar, que afirma que, enquanto Bran pensa que está velejando sobre o oceano, para Manannán, o lugar é um campo florido, sugerindo dimensões paralelas. Ele também releva que há muitas carruagens no local, mas que elas parecem invisíveis para Bran.

Ao continuar sua viagem, o protagonista chega a uma terra mágica, a Terra das Mulheres, onde cada marinheiro enamora-se com uma fada, assim como Bran com a líder delas. Eles permanecem lá por um ano até um dos marinheiros sentir muita saudade de casa. A líder das mulheres fica relutante em deixá-los ir e os avisa para não pisar em solo quando chegarem à Irlanda.

Bran e seus companheiros viajam de volta para a Irlanda. As pessoas, ao verem o barco, aglomeram-se nas praias, mas não reconhecem seu nome a não ser nas lendas locais. Para Bran, apenas um ano tinha se passado no Outro Mundo, mas centenas de anos haviam se passado na Terra. Um dos marinheiros pula do barco e pisa em terra firme – imediatamente ele se torna cinzas.

As Órcades, um arquipélago localizado ao norte da Escócia, possuem uma lenda que também lida com dilatação do tempo, ligada ao Círculo de Brodgaré, uma misteriosa formação circular de pedras, como o famoso Stonehenge. A lenda diz que um violinista bêbado estava voltando para casa quando ouviu uma música vindo de uma colina perto do local. Ele encontra um grupo de trolls fazendo uma festa. Ele decide ficar por lá e toca por duas horas. Ao voltar para casa, por fim, descobre que 50 anos haviam se passado.


Outras lendas europeias, como a irlandesa “Viagem de Mael Duin”, e a alemã “Herla”, também lidam com o tema de dilatação temporal. A mesma temática se repete: mortais visitam uma dimensão paralela e lá ficam por alguns dias. Quando retornam à Terra, centenas de anos haviam se passado.

Dilatação do Tempo nos Mitos Chineses e Japoneses

Na China, o autor e erudito taoísta Tu Kuang-t´ing, que viveu de 850 a 933 d.C., escreveu um livro que descreve mundos paralelos, dez “paraísos subterrâneos” e 35 “pequenos paraísos subterrâneos”, que teriam existido debaixo das montanhas chinesas. Eis o relato das experiências vividas por um homem ao transpor uma passagem que levava a um desses paraísos subterrâneos:

Após caminhar vinte quilômetros, ele se viu subitamente em “uma bela região com um límpido céu azul, brilhantes nuvens róseas, flores exuberantes, salgueiros enormes, torres da cor do cinabre, pavilhões de jade vermelho e amplos palácios”. Foi recebido por um grupo de mulheres amáveis e sedutoras, que o levaram para uma casa de jaspe e tocaram belas melodias enquanto ele tomava “uma bebida vermelha como o rubi e um suco cor de jade”. Tão logo sentiu o impulso de se deixar seduzir, lembrou-se de sua família e voltou para a passagem. Conduzido por uma luz estranha a dançar em sua frente, caminhou de volta, pela caverna, até o mundo exterior. Contudo, chegando à sua casa, encontrou seus próprios descendentes de nove gerações posteriores à sua. Segundo lhe contaram, um de seus ancestrais desaparecera numa caverna trezentos anos antes e jamais fora visto de novo.

Há outra lenda chinesa chamada “Lan Ke” (“O Cabo Estragado do Machado”), ou “Ranka”, datada de 300 d.C., a qual também mostra uma viagem a uma dimensão diferente e um efeito de dilatação do tempo. Diz a tradição que o acontecimento ocorreu em uma montanha considerada sagrada, que seria um dos lares dos Imortais do misticismo taoísta. Essa montanha possui no topo uma formação natural de pedras na forma de uma ponte. Uma caverna localiza-se debaixo da ponte, e lá é onde a tradição diz que ocorreu o incidente. A lenda tem alguns detalhes diferentes nos diversos manuscritos em que foi gravada, mas a essência é a mesma.

A história é sobre um viajante em um cavalo, portando um machado, que entra cada vez mais em uma floresta. De repente, ele vê dois idosos estranhos jogando go, uma espécie de xadrez chinês. Em outra versão, ele encontra quatro jovens cantando uma música celestial. Esses seres, os dois idosos ou os quatro jovens, oferecem um alimento místico ao viajante, que, ao comer o mesmo, perde totalmente a fome e a sede. Após uma ou duas horas assistindo ao espetáculo, ele decide retornar para o cavalo e encontra apenas o esqueleto deste. Também percebe que o cabo do seu machado apodreceu. Ao retornar para casa, descobre que décadas se passaram, sua família não existe mais e ninguém mais se lembra do seu nome.

No Japão, há a famosa lenda de Urashima Tarō, do ano 700 d.C. Ela mostra dilatação do tempo e é sobre um pescador que resgata uma tartaruga e é recompensado com uma visita ao palácio do deus dragão, que fica debaixo do oceano. Ele fica lá por três dias e, quando retorna, percebe que, na Terra, passaram-se trezentos anos. A lenda é tão influente que serviu de inspiração para animações japonesas como Dragon Ball, Yuyu-Hakusho e Cowboy Bebop. A força da história é tamanha, com efeito, que há uma capela milenar em Kyoto, construída pelo imperador Junna, governante da época, em homenagem ao ocorrido.

A história é a seguinte: Um dia, um jovem pescador chamado Urashima Tarō estava pescando quando vê um grupo de crianças torturando uma pequena tartaruga. Tarō a salva e a deixa retornar para o mar. No próximo dia, uma tartaruga enorme se aproxima dele e conta que a pequena tartaruga que ele salvou é a filha do imperador do mar, Ryujin, que quer vê-lo e agradecer-lhe. A tartaruga mágica dá guelras a Tarō e o leva para o fundo do mar, para o palácio do deus dragão. Lá, ele se encontra com o imperador e a pequena tartaruga, que, na verdade, é uma amável princesa chamada Otohime.

Tarō permanece com Otohime por três dias, mas logo decide retornar para sua vila e ver a sua mãe idosa, e pede permissão para partir. A princesa diz que lamenta vê-lo ir embora, mas deseja o melhor para Tarō e lhe dá uma misteriosa caixa chamada Tamatebako, a qual o protegerá de qualquer mal, mas a qual ele jamais deve abrir. Tarō segura a caixa e monta a mesma tartaruga que o levou para aquele mundo, e logo está de volta à beira da praia.



Quando ele retorna para casa, tudo mudou. Sua casa se foi, sua mãe desapareceu e as pessoas que ele conhecia não são encontradas. Ele pergunta se alguém conhece o nome Urashima Tarō. Algumas pessoas respondem que ouviram falar de alguém com o mesmo nome que sumiu no mar muito tempo atrás. Ele descobre que 300 anos se passaram desde o dia em que ele partira para o mundo paralelo do Palácio do Rei Dragão, no fundo do mar. Tomado pelo pesar, ele distraidamente abre a caixa que a princesa lhe havia dado. Uma fumaça branca surge e de repente ele envelhece, com uma barba branca, longa e branca, e fica corcunda. Advinda do mar, ele escuta a voz suave da princesa: ”Eu disse a você para não abrir a caixa. Nela, estava a sua velhice”.

Conclusão

O conceito de dilatação do tempo, de Einstein, mostrado no filme “Interestelar” já era descrito 5 mil anos atrás nas escrituras da Índia antiga, os Vedas. As descrições desses textos mostram com rigor matemático as diferentes dilatações do tempo encontradas nos diferentes sistemas planetários da astronomia indiana. Tal efeito também ocorre nos mitos europeus, particularmente os celtas, assim como em mitos chineses e na lenda japonesa de Tarō. Muitas vezes, a viagem para esses outros planetas, dimensões e mundo paralelos não se dá por naves espaciais (apesar de naves intergaláticas serem descritas nos Vedas, chamadas de vimanas), mas por uma espécie de Buracos de Minhoca (wormholes) que transportam o viajante de uma dimensão para outra.

“Eu sou o tempo, o destruidor dos mundos”. (Bhagavad-gita 11.32)

Bibliografia

Bhagavad Gita Como Ele É – Tradução e Comentários de Srila Prabhupada – Editora BBT
Srimad Bhagavatam – Autor: Vyasadeva, Tradução e Comentários de Srila Prabhupada – Editora BBT
Identidades Alienígenas – Richard L. Thompson – Editora Nova Era
Vedic Cosmography and Astronomy – Richard L. Thompson – Editora Motilal Banarsidass
The Science of Interstellar – Autor: Kip Thorne – Editora W. W. Norton & Company
God and Science – Autor: Richard L. Thompson – Editora Govardhan Hill
https://en.wikipedia.org/wiki/Hindu_cosmology
https://en.wikipedia.org/wiki/Hindu_units_of_time
https://en.wikipedia.org/wiki/The_Voyage_of_Bran
https://en.wikipedia.org/wiki/Urashima_Tar%C5%8D
https://en.wikipedia.org/wiki/Ranka_%28legend%29

Este artigo foi originalmente publicado em Nerd Om Line. Curta a página no Facebook: https://goo.gl/XhLQFk. Conheça o blog: https://nerdomline.wordpress.com/. Todo o conteúdo das publicações de Volta ao Supremo é de inteira responsabilidade de seus respectivos autores, tanto o conteúdo textual como de imagens.



 

publicado por o editor às 11:31
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 28 de Outubro de 2015

Jaloo lança álbum de estreia

 

 

 

 

Depois do sucesso do EP “Insight” e dois clipes elogiados, Jaloo lança agora seu primeiro álbum, “#1” (Stereomono / Skol Music). Com direção artística de Carlos Eduardo Miranda e produção do próprio artista, o disco oferece uma sonoridade bem acabada e rica em diferentes elementos.

 

Esse é o disco de um ‘bedroom producer’ e quero continuar sendo assim por um bom tempo. Acho que o que posso acrescentar é que adicionamos mais tempero num caldo que estava bem grosso. Além da minha natureza de fazer música, de compor, que é bem natural, quero ter algo a dizer nesse momento do tempo no qual estamos inseridos, eternizar a passagem de alguma maneira, sentimentos, anseios, bobagens”, explica Jaloo.

 

O disco conta com o reforço do produtor Kassin, que já trabalhou com artistas como Nação Zumbi, Los Hermanos e Caetano Veloso. “No geral, ele nivelou as frequências de tudo que eu havia produzido no meu notebook. Pra quem era só do digital, passar por equipamentos analógicos traz um brilho extra para as faixas, elas soam mais macias”, conta ele.

 

Da flauta doce com elementos do electro-funk de “Odoia” à bass music melancólica e reflexiva de “Ah! Dor!” https://www.youtube.com/watch?v=uexsd00ep40&feature=youtu.be, o disco passeia por diferentes estilos e prenuncia um novo show, que vai ganhar formatos especiais e uma festa de lançamento exclusiva pela Skol Music.

 

O álbum ”#1” já está disponível nas plataformas digitais e pode ser ouvido na íntegra no YouTube: https://www.youtube.com/watch?v=qVHOjqqjRnU&list=PLnFV59amFCNy4l3-mstpUEiJ-R1ViaF8k.

 

Mais informações: http://www.skol.com.br/music/

publicado por o editor às 13:05
link do post | comentar | favorito

Casa Romário Martins expõe série de retratos de personalidades curitibanas

 

 

 

 
            A Casa Romário Martins apresenta a partir desta quinta-feira (29) a exposição fotográfica “A vida é perto – Perfis de quem passa na calçada”, com retratos de 24 personalidades curitibanas que fizeram parte da Série Perfil 2015, do jornal Gazeta do Povo. Os perfis foram publicados ao longo dos últimos seis meses, nas edições de domingo. Além da mostra fotográfica, também está sendo lançado um livro digital. 
O projeto reuniu histórias de quem encontrou seu próprio lugar – às vezes por caminhos tortuosos – e deixou sua marca. “O resultado é um registro riquíssimo de pessoas importantes. Isso permite que se pense a cidade a partir das pessoas retratadas e, mais que isso, demonstra a riqueza da cidade”, diz o jornalista José Carlos Fernandes, editor da série e curador da mostra.
As pessoas retratadas estão dotadas de uma humanidade que os aproxima do leitor. Isso fica bem sintetizado na frase atribuída a Millôr Fernandes e que dá título ao livro e à exposição. Além de mostrar uma face das personalidades, o trabalho também convida a entrar em suas respectivas intimidades, explorando aspectos pouco conhecidos dos entrevistados.
A mostra fotográfica foi divida em 23 blocos, cada qual composto por três fotos de cada um dos perfis da série. O trabalho reúne a delicadeza clássica dos retratos em preto e branco, assinados por oito fotógrafos. “É um gênero que parece simples, mas que tem justamente o desafio de captar a essência, a imagem verdadeira da pessoa. O resultado é muito rico”, diz o fotógrafo Alexandre Mazzo.
Além de Mazzo, a exposição reúne imagens dos fotógrafos Marcelo Andrade, Daniel Castellano, Brunno Covello, Henry Milléo, Hugo Harada, Albari Rosa e Jonathan Campos. As fotos virão acompanhadas de um texto sobre o personagem, redigido por Fernandes. Além disso, os retratos terão um QR-Code: com celulares, será possível ver os vídeos produzidos na série, sob direção do editor Thiago Costa.
 
Serviço:
Exposição “A vida é perto – Perfis de quem passa na calçada”
Local: Casa Romário Martins – Largo da Ordem, 30
Datas e horários: de 29 de outubro (abertura às 19h) a 13 de dezembro de 2015. De terça a sexta-feira, das 9h às 12h e das 13h às 18h; sábados, domingos e feriados, das 9h às 14h
Entrada franca.
 
 

 

 
publicado por o editor às 13:04
link do post | comentar | favorito

Corrente Cultural terá ópera, humor, batalha de rimas e danças de salão

 

 

 


Para contemplar todos os estilos e preferências a programação da Corrente Cultural, que acontece entre os dias 3 e 8 de novembro, vai muito além dos grandes shows marcados para os palcos da Boca Maldita, Ruínas São Francisco e Praça Espanha. Para edição deste ano, a Fundação Cultural de Curitiba em parceria com produtores da cidade programou uma série de eventos em diversos espaços da cidade. Confira:

Curitibaila
 – Na sexta-feira (6), às 20h, o Memorial de Curitiba recebe a primeira parte do evento CuritibaBaila. Na oportunidade, o público poderá conferir mais de 20 apresentações de diferentes danças de salão com grupos curitibanos. No sábado (7),  das 10h às 17h, a Casa Hoffmann – Centro de Estudos do Movimento terá aulas gratuitas de samba, forró, bolero, sertanejo, tango e outros estilos com orientação de professores profissionais. Para participar é preciso se increver na Fan Page do evento - https://www.facebook.com/curitibaila

Rindo na Corrente
 – Novidade na Corrente Cultural, o evento leva ao Teatro Londrina apresentações de stand up comedy. No elenco os humoristas Patrick Maia ( Pânico na TV Band), Rodrigo Capella (Programa da Sabrina Record),  Hallorino Jr, Marco Zenni, Emerson Ceará,Thiago Souza, Serginho Lacerda e Afonso Padilha. As apresentações acontecem no sábado (7), às 15h, 17h e 19h. Os ingressos são gratuitos e poderão ser retirados na bilheteria do teatro no dia do evento.

Batalha de Rimas
 - A grande final do Circuito CWB de Rimas acontecerá, no sábado (7), nas Ruínas São Francisco durantes os intervalos dos shows. A última etapa do desafio reunirá 8 concorrentes que se enfrentarão em rounds de 30 segundos com ataque e defesa. A cada round uma votação com o público presente será feita e o vencedor passa adiante até a final. Viabilizada pela Lei de Incentivo à Cultura, por meio do edital "Difusão em Música" do Fundo Municipal da Cultura, a ação colaborativa pretende ser um ponto de convergência entre as diversas vertentes do RAP, em Curitiba. O projeto teve início em agosto na praça 29 Março e passou por cinco regionais de Curitiba. Horário 13h, 15h, 17h e 19h.

Feira do Vinil – 
No domingo (8), das 9h às 15h, o Memorial de Curitiba recebe a Feira do Vinil. O evento reunirá expositores, de diferentes lugares do Brasil, que somarão milhares de LP's, de todos os gêneros e preços, além de artigos de música no geral. A entrada é gratuita.

Ópera 
- Na sexta-feira e no sábado (dias 6 e 7), às 20h30, a Capela Santa Maria recebe o espetáculo da Opera Orchestra Curitiba Gala Lírica. A óperá reunirá árias e duetos de Verdi, Puccini, Donizetti, Mozart, Gomes, Lalo, Bizet, Wagner, Gershwin interpretadas por Ana Paula Brunkov (soprano), Karolyne Liesemberg (soprano), Norbert Steidl (baritono), Eduardo Maldonado (tenor), Rubens Rosa (tenor), Ivan Moraes (tenor), Priscila Malansky (piano) com direção Musical de Alessandro Sangiorgi. Os ingressos custam R$20 e 10.

A Corrente Cultural 2015 é uma realização da Fundação Cultural de Curitiba (FCC) e do Instituto Curitiba de Arte e Cultura (ICAC). Tem patrocínio do Hard Rock Cafe Curitiba, Revista Rolling Stone, Coca-Cola, Spotify, Banco do Brasil e Mundo Livre FM. Apoio cultural Bienal Internacional de Curitiba, Instituto Goeth, Instituto Cervantes, Consulado Geral da Itália, Gepetto Pizzaria, Radiola, Caixa Cultural, Fecomércio/Sesc-PR, Governo do Estado do Paraná e Gazeta do Povo.

CORRENTE CULTURAL 2015
PALCO BOCA MALDITA (FCC/HARD ROCK)
08 de novembro – domingo (das 10h às 22h)
08h às 11h – Passagem de som – Emicida
11h – Emicida
13h30 – Big Time Orcherstra 
15h às 18h – Passagem de som – Pitty
18h30 – Orquestra + convidado 
20h30 – Pitty
PALCO RUÍNAS DE SÃO FRANCISCO (FCC)
07 de Novembro – Sábado
10h – Passagem de som – Duda Brack
13h, 15h, 17h e 19h – Circuito CWB de Rimas
12h – Djoa 
14h – Leash
16h – Duda Brack
18h – Trombone de Frutas
20h – Monreal
21h às 23h30 – Passagem de som – Suricato
00h – Suricato
08 de novembro – Domingo 
07h às 09h – Passagem de som – Far From Alaska
10h – Cirandar
12h – Rodrigo Lemos (Lemoskine)
14h – Jenni Mosello 
16h – Relespública
18h – Far From Alaska
20h – Machete bomb
PALCO TUC (FCC)
07 de Novembro – Sábado
11h – Mens sana (aposta Mundo Livre Fm)
12h30 – KlanDestinos (aposta Mundo Livre Fm)
14h – Majordomus (aposta Mundo Livre Fm)
15h30 – Expresso Vermelho (aposta Mundo Livre Fm)
17h – Perna Leiga (aposta Mundo Livre Fm)
18h30 – Fauno (aposta Mundo Livre Fm)
20h – SARA 5.7.2
21h30 – CEFA
23h – BraveHeart
08 de novembro – Domingo 
10h – Nenhum (aposta Mundo Livre Fm)
12h30 – * aconfirmar
14h – Gentileza (contrapartida)
15h30 – Locomotiva Duben (contrapartida)
17h – Namorada Belga
18h30 – Lenhadores da Antártida ( vencedores do concurso Viva Rock Latino)
PALCO PRAÇA DA ESPANHA (ASCORES) 
07 de novembro – Sábado
12h – Orquestra À Base de Sopro toca Pixinguinha
14h – Saul do Trumpet e convidados
16h – Lucian Araújo
18h – Os irmãos Carrilho
20h – Du Gomide
08 de novembro – Domingo 
14h – Sapato furado Orquestra de Gafieira
16h – Pietro Domiciano
18h – Naked Girl and Aeroplanes
AUDITÓRIO LONDRINA
07 de novembro – Sábado 
Rindo na Corrente (Stand-up) – Sessões às 15h, 17h e 19h
MEMORIAL DE CURITIBA
06 de novembro – sexta-feira
Curitibaila, o show
08 de novembro – Domingo
Feira de Vinil – das 09h às 15h
PALCO ELETRÔNICO – Praça 29 de Março
07 de novembro – Sábado
12h às 22h
CMPB
07 de novembro (sábado)
14h às 18h – Canja de Viola
Casa Hoffmann
07 de novembro (sábado)
10h às 18h – Curitibaila, as aulas
Mais eventos no site http://correntecultural.com.br/

 

 
publicado por o editor às 13:03
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 27 de Outubro de 2015

Here Comes the Sun – A Jornada Espiritual e Musical de George Harrison

 

 



Aclamada biografia de George Harrison finalmente
é lançada em português




Uma das maiores estrelas da música popular de todos os tempos, George Harrison ganha em português a biografia “Here Comes the Sun – A Jornada Espiritual e Musical de George Harrison”, do premiado historiador Joshua M. Greene (Yogesvara Dasa). O lançamento acontece neste mês de outubro, com a venda pelo site www.sankirtanashop.com.br.

Uma história como nenhuma outra: em meio à fama avassaladora dos Beatles, a busca por Deus. Nesta biografia íntima, Greene fornece um relato comovente de uma das pessoas mais extraordinárias do século XX. “Here Comes the Sun” aborda a ascensão vertiginosa de George com os Beatles, a sua submersão na religião oriental, desde as suas primeiras visões, em meados dos anos 1960, até sua prática crescente de meditação, sua amizade duradoura com Ravi Shankar, lenda da música indiana, que lhe mostrou a ligação harmoniosa entre música e espírito, sua relação com Srila Prabhupada, além de sua profunda devoção nos últimos anos.

Greene dá uma atenção especial à extraordinária fase final de George com os Beatles e sua carreira solo, revelando como grandes sucessos dele como “Something”, “Here Comes the Sun” e “My Sweet Lord”, por exemplo, foram tomados pela crescente espiritualidade do compositor. O compromisso espiritual do então “beatle calado” o levou a organizar o famoso “Concert for Bangladesh”, o primeiro grande show beneficente da história do rock, e um disco apenas com mantras em sânscrito, ao lado dos primeiros devotos Hare Krishnas ocidentais, que ficou semanas em primeiro lugar nas paradas de sucesso. Esta reverência a Deus foi o que, sem dúvida, fez uma celebridade como ele alcançar a verdadeira paz e amor e viver assim até sua morte, aos 58 anos.

O livro inclui histórias nunca antes publicadas de George com ícones da música, como Bob Dylan, Eric Clapton e Elvis Presley, além de descrições detalhadas de seus encontros e relacionamentos com emblemáticos líderes espirituais. Uma leitura essencial para todos, incluindo fãs dos Beatles e interessados no caminho espiritual. “Um elemento fundamental do legado dos Beatles nunca foi explorado antes, que é a busca espiritual de George Harrison. Até agora, ninguém havia explicado essa questão e o que ela significava pra ele”, comenta Greene. “Ele se tornou rico e famoso além da conta aos 23 anos e teve muitas experiências profundas nesse curto período. Sua vida foi compactada. Ele tinha tudo que valia a pena ter, já havia encontrado com todos que queria, mas teve uma inteligência inata para saber que ‘há algo mais na vida do que apenas curtir’”, acrescenta o autor.

Joshua M. Greene

Após 13 anos de vida integralmente dedicada a templos na Europa e Índia, Joshua M. Greene, iniciado por Srila Prabhupada com o nome de Yogesvara Dasa, voltou para Nova York, onde ganhou prêmios por seus livros infantis e filmes para PBS e Disney Channel. Seu filme “People” foi indicado a um prêmio Emmy, e ele já recebeu por cinco oportunidades o prêmio “TV Guide’s Best Program” do ano. Greene é, ainda, o autor de dois premiados livros para adultos: “Justice at Dachau” e “Witness: Voices from the Holocaust”, que virou um documentário da TV PBS. Atualmente, além de um popular palestrante, leciona no Departamento de Religião da Hofstra University.

Comentários

"Uma leitura fascinante, especialmente para aqueles que estão menos familiarizados com a vida de Harrison pós-Beatles. Claramente, Harrison era um homem profundamente religioso, e “Here Comes the Sun” faz bem para desenvolver ainda mais esse aspecto da carreira de Harrison, que muitas vezes é mantido no escuro".
− Associated Press

"Muitos artistas são conhecidos por terem tocado o coração das pessoas com sua música, mas poucos já conseguiram tocar a alma delas. Esse foi o presente de George, e sua história é descrita aqui com carinho e bom gosto. Um livro maravilhoso”.
− Mia Farrow

"Eu amo este livro por muitas razões. Sobretudo pelo seu retrato justo e sensível do irmão de mente aberta para a espiritualidade. Ele viu o Espírito como pertencente a todos, e esta qualidade maravilhosa dele aparece aqui com dignidade e discernimento”.
− Louise Harrison (irmã de George)

"Eu tenho boas lembranças dos tempos em que George e eu passamos juntos e "Here Comes The Sun" realmente o capta, não apenas como um beatle, mas como um artista e um ser humano”.
− Peter Frampton



Comprar em
https://www.sankirtana.com.br/br/produto/2113/here-comes-the-sun/

 

publicado por o editor às 15:03
link do post | comentar | favorito

Envelhecimento saudável: relatório da OMS discute respostas às mudanças demográficas no mundo  

 

 

 
Segundo relatório recém lançado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), hoje a maioria das pessoas pode esperar viver até os 60 anos ou mais, o que, combinado à queda acentuada nas taxas de fertilidade, levam ao rápido envelhecimento das populações em todo o mundo. Contudo, a amplitude das oportunidades que surgem com o aumento da longevidade dependerá muito de sua saúde. Essas questões exigem estratégias de políticas públicas para preparar os países para as mudanças demográficas em curso e garantir o envelhecimento saudável.
Um dos desafios a essa questão, segundo o relatório, é que muitas percepções e suposições são baseadas em estereótipos ultrapassados e ainda é necessário combater a discriminação etária. O relatório propõe o envelhecimento saudável como uma perspectiva que integre as políticas de Estado (referindo-se às políticas de transporte, habitação, trabalho, proteção social, informação e comunicação, bem como serviços de saúde e cuidados de longo prazo) e com a preparação ao longo da vida para atingir uma velhice saudável e com autonomia.
Segundo o relatório, o ritmo de envelhecimento da população, em muitos países, é bem maior do que no passado: a figura abaixo mostra, por exemplo, que enquanto a França teve em torno de 150 anos para se adaptar ao aumento de 10% para 20% de sua população de mais de 60 anos, países como o Brasil, China e Índia farão a mesma transição em um período de 20 anos.
Período requerido ou previsto para que a porcentagem da população de 60 anos ou mais aumente de 10% para 20% da população
O relatório ainda cita como exemplos os programas brasileiros Saúde da Família e Farmácia Popular (nacionais) e o projeto de planos de cuidados personalizados para idosos na Rocinha (Rio de Janeiro – RJ) como exemplo de boas práticas.

 

publicado por o editor às 12:21
link do post | comentar | favorito

Nasi lança clipe de "Sol e Chuva" de Alceu Valença

 

 

 


foto Nasi 2015 - fotógrafo Marcelo Rossi​

 

Especial será exibido pelo Canal Brasil dia 14 de novembro às 18h

 

Um dos maiores roqueiros do Brasil, o músico Nasi, além de vocalista da banda Ira! tem uma inventiva carreira solo. Ele acaba de lançar seu novo DVD, “Egbe”, em coprodução com o Canal Brasil. O DVD traz composições que passeiam pelas mais diversas influências, como blues, hard rock, r&b, country rock e algumas pérolas escondidas; entre elas a regravação de “Sol e Chuva”, de Alceu Valençahttps://www.youtube.com/watch?v=QxbWO1ukoJQ&feature=youtu.be. “Curti muito o álbum “Vivo!”, do Alceu, quando era garoto. Gostava dessa música especialmente, pois me identifico com a letra. Sempre quis gravá-la e, assim que decidi incluir nesse projeto, veio a ideia dos berimbaus do Dinho Nascimento. Um toque baiano no som desse grande pernambucano” – conta Nasi.

 

O especial “Egbe” será exibido pelo Canal Brasil dia 14 de novembro às 18h com reprise dia 20 às 10h. O DVD e CD estão à venda e disponíveis nas principais plataformas digitais, com distribuição da gravadora Deck.

 

publicado por o editor às 12:19
link do post | comentar | favorito

FLY e Heffron Drive se apresentam em São Paulo dia 01 de novembro

 

 

 

O FLY, maior sensação da música jovem da atualidade, faz show em São Paulo dia 01 de novembro ao lado do Heffron Drive no Carioca Club. A dupla norte-americana de indie pop, formada pelos ex-participantes do Big Time Rush, Dustin Belt e Kendall Schmidt, vai tocar seus maiores sucessos. O FLY, formado por Caíque Gama, Paulo Castagnoli e Nathan Barone, vai mostrar o repertório do EP “Mais Um”, além de hits como “Você Se Foi”, “Antes que o Dia Acabe”, “De Frente pro Mar” e "Quero Você”. 

 

Além de tocarem na mesma noite, Heffron Drive e FLY aproveitam para gravar uma música juntos. Será a primeira parceria internacional do FLY, que acabou de completar 02 anos de carreira em setembro.

 

Esse show faz parte da turnê “Mais Um”, que está rodando o país. O EP, que contou com a produção de Pe Lu e Koba, da banda Restart, em parceria com Bruno Didio (Manu Gavassi), traz quatro faixas, todas assinadas por Caíque, Paulo e Nathan: “Sinal Aberto”, “O Que Você Tem” (com participação do rapper Mael Maria), "Teu Olhar” e o grande sucesso, “Cabelos de Algodão“ (https://www.youtube.com/watch?v=rezGbTZco38), que está em alta rotação nas rádios. As novas músicas mantém a pegada pop - marca registrada do FLY - inovando e explorando rumos criativos que apontam para o reggae, o rock e o hip hop. Uma versão acústica de “Você Se Foi” completa o EP como bônus track.

 

“Mais Um” está à venda nos formatos CD, digital e também disponível em todas as plataformas de música via streaming.

 

Serviço

​Teenage Party​ Internacional

​S​how: FLY e Heffron Drive

Local:​ ​Carioca Club

Endereço:​ ​Rua Cardeal Arcoverde, 2899​ ​-​ ​Pinheiros - São Paulo/SP (ao lado da estação Faria Lima do​ ​Metrô)

Data:​ ​01 de novembro​ ​(domingo)

Horário: 17h

Ingressos Antecipados:

1º lote ESGOTADO

2º lote Pista R$60 (meia entrada) / Camarote + Meet & Greet FLY R$150 (meia entrada)

3º lote Pista R$70 (meia entrada) / Camarote + Meet & Greet não disponível no 3º lote

Ponto de venda:​ ​Bilheteria do Carioca Club (Rua Cardeal Arcoverde, 2899 - Pinheiros - São Paulo/SP​)​

Venda Online:​ ​http://www.clubedoingresso.com/teenagepartyinternacional

Censura: 14​ ​anos (Menores de 14 anos somente​ ​acompanhados dos pais ou ​responsável legal munido de autorização e RG original​)​

Capacidade da casa:​ ​1.500​ ​pessoas

 

Canais Oficiais FLY:

http://www.youtube.com/OficialFlyBr

https://www.facebook.com/FlyBr

http://instagram.com/oficialflybr

 

https://twitter.com/flybr

publicado por o editor às 12:18
link do post | comentar | favorito

JAMES PROGRAMAÇÃO DA SEMANA DE FERIADO

 

 

 

PROGRAMAÇÃO DA SEMANA DE FERIADO
DE 28 DE OUTUBRO A 1º DE NOVEMBRO


QUARTA 28.out: 22h
QUARTA ROCK especial de Halloween
DJs residentes Ale Dantas, Claudia Bukowski e Pablo Busetti.
DJs convidados Old School Gang (do terror).
FANTASIADOS têm desconto de 50% na entrada e não pegam fila até as 24h.
DRINK ESPECIAL “SANGUE DA MORTE” a preço promocional a noite toda.
DOUBLE DRINK de destilados nacionais até as 24h.
50% DE DESCONTO na entrada até as 23h.
R$ 15.

QUINTA 29.out: 22h
INVDRS
DJs residentes Sweet Grooves.
DJs convidados Ruxell (RJ) e Migsur.
R$ 20 até as 24h, depois R$ 25.


SEXTA 30.out: 22h
DISCOTRAXX edição Spotify
DJs residentes Ale Dantas, Claudinha Bukowski, Denis James e Renata Worst.
PROMO SPOTIFY pela fan page e evento, no Facebook.
DOUBLE DRINK ESPECIAL até as 24h.
50% DE DESCONTO até as 24h.
RODADAS DE SHOTS DE TEQUILA EL JIMADOR, nos balcões dos bares, ao longo da noite.
R$ 25.

SÁBADO 31.out: 22h
POP LINE
DJs residentes Ale Dantas, Celso Ferreira e Denis James.
SORTEIO DE VIPS + DRINKS com participação na fanpage do Facebook, ao longo da semana.
PROMO DESPERADOS: na compra de uma Desperados, ganhe outra, até as 23h.
DOUBLE VODKA COM ENERGÉTICO até as 24h.
DEGUSTAÇÃO DE DRINKS ao longo de toda a noite.
R$ 30.

DOMINGO 01.nov: 22h
BATALHA DE IPOD DE FERIADO
Oito equipes duelam no palco do James.
Apresentação Sandra Carraro (BDay).
DJs Denis James e Lu Padilha.
SORTEIO DE VIPS + DRINKS com participação na fanpage do Facebook, ao longo da semana.
R$ 25.


* Todas as infos e releases sobre nossa programação estão disponíveis em nosso site www.barjames.com.br.
*PROGRAMAÇÃO SUJEITA A ALTERAÇÃO SEM AVISO PRÉVIO.
 
Av. Vicente Machado, 894. Curitiba/PR. (41) 3222-1426. Formas de pagamento: Todos os cartões de débito e crédito Amex, Diners, Master, Visa e Visa Vale-Refeição.

 

 
tags:
publicado por o editor às 12:17
link do post | comentar | favorito

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

.FALE COM A GENTE


.subscrever feeds