Segunda-feira, 9 de Fevereiro de 2009

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO


 


A PRISÃO


A prisão de Abu Ghraib é um complexo penitenciário com área de 1,15 km² , situado em Abu Ghraib, cidade iraquiana 32km a oeste de Bagdá. Foi construída pelos britânicos quando o Iraque ainda era uma colônia da Grã-Bretanha.

Foi local de torturas em diferentes graus e diferentes momentos: à época da ocupação britânica, sob o governo de Saddam Hussein e, mais recentemente, sob a ocupação da coalizão Estados Unidos da América- Reino Unido, quando se tornou internacionalmente conhecida como lugar de tortura contra prisioneiros iraquianos.

Porém,já no governo Ba'ath de Saddam, foi mencionada algumas vezes pela imprensa ocidental como Saddam's Torture Central (Centro de tortura de Saddam). A prisão ganhou o nome de Baghdad Central Confinement Facility (BCCF) (Instalações do Centro de Reclusão de Bagdá) ou Baghdad Central Correctional Facility (Instalações do Centro de Recuperação de Bagdá), depois que as forças norte-americanas depuseram o governo iraquiano.

Em maio de 2004, um acampamento se instalou em Abu Graib com o intuito de oferecer segurança aos detentos, recebendo o nome de Camp Redemption (Acampamento da Libertação), a pedido de um membro de conselho do governo. O complexo prisional foi construído por empreiteiras inglesas em 1960,ocupando 280 acres (1,15 km²), sendo dotada de 24 torres de vigilância. Com o tamanho de uma pequena cidade, o lugar foi dividido em cinco áreas separadas por muros, para diferentes tipos de prisioneiros. Cada bloco continha uma sala de jantar, sala de orações, área de exercícios e instalações rudimentares de banho. As celas abrigavam mais de 40 pessoas em um espaço de 16 m². Com a queda do governo, em 2003, as cinco áreas foram destinadas prisioneiros estrangeiros, condenados tanto a longas quanto curtas penas, por crimes capitais e crimes "especiais".


Até agosto de 2006, o lugar conhecido como Prisão de Abu Ghraib foi usado pela frente de ocupação norte-americana e o governo do Iraque. A área das instalações conhecida como "o severo lugar" está sob total controle do poder iraquiano e é usada para abrigar criminosos condenados.

As alas de detentos 1 A e 1 B (conhecidas como "hard site", algo como "ala segura") é que gerou o maior número de informações sobre os abusos, com as célebres fotos que foram divulgadas. O restante das instalações foi ocupada pelos militares norte-americanos. Serviu como base de operação e local de detenção. Todos os detentos são abrigados em uma área conhecida como Acampamento Redemption. O acampamento é dividido em cinco níveis de segurança. Este acampamento recentemente construído (verão de 2004) substituiu a estrutura de nível três do Acampamento Ganci, Acampamento Vigilant e Tier 1.

A prisão tinha sido usada como instalações de detenção, mantendo mais de sete mil pessoas até início de 2004. A atual população, todavia, é muito pequena. Isto é, em partes, porque o novo acampamento tinha uma capacidade menor do que o que o Acampamento Ganci. Muitos detentos são enviados de Abu Ghraib para o Acampamento Bucca, por este motivo.

De acordo com a Cruz Vermelha Internacional, aproximadamente 90% das pessoas mantidas presas não são culpadas das alegações e muitas são pegas quase sempre sem motivos pelas patrulhas norte-americanas.

Opiniões declaradas publicamente pelos altos oficiais ingleses e americanos, sugeriam que a prisão deveria ser demolida o mais rápido possível, todavia isto foi rejeitado pelo governo interino iraquiano a "pedido" dos oficiais do governo dos Estados Unidos.

O LIVRO

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO
- Uma história de guerra

Philip Gourevitch
Errol Morris


Páginas - 336

As fotografias das torturas e humilhações impostas a prisioneiros iraquianos por soldados dos Estados Unidos na prisão de Abu Ghraib, no Iraque, estão entre as mais famosas cenas de guerra da história, comparáveis às dos campos de concentração nazistas.

Elas vieram a público pela primeira vez na última semana de abril de 2004, na revista The New Yorker e no programa de tevê 60 Minutes da rede CBS. Imediatamente, foram reproduzidas por meios de comunicação em todo o mundo e se tornaram tema de debate na opinião pública por vários meses.

A gênese do comportamento degradante registrado naquelas imagens é relatada neste livro por meio da história das vidas de seus principais personagens.

Sabrina Harman, Lynndie England, Megan Ambuhl, Charles Graner, Javal Davis eram jovens americanos, aparentemente normais. Responsáveis por milhares de prisioneiros num país que desconheciam por completo, sem nenhum tipo de orientação, controle ou restrições, deram vazão a um sadismo a tal ponto irresponsável que não viram problema em documentar as atrocidades que cometiam nem de aparecer como personagens das cenas de horror, invariavelmente com expressões de alegria, como se tudo não passasse da encenação de um espetáculo.

As imagens de Abu Ghraib são a síntese da Guerra do Iraque. Este livro explica como foi possível chegar a elas. Mais do que a prova de crimes cometidos e da degeneração humana que os permitiu, elas revelam como toda essa operação militar foi marcada por negligência, incapacidade, ignorância, descaso com princípios básicos de procedimento.
De cima a baixo na cadeia de comando - da Casa Branca aos soldados rasos - Gourevitch revela as características da intervenção americana no Iraque, tão bem representadas pelo circo selvagem de Abu Ghraib.

"Este livro realiza o admirável trabalho de situar aquelas fotos (que curiosamente não aparecem no volume) num contexto mais amplo, mostrando que as raízes dessas imagens repulsivas estavam nas decisões tomadas nos mais altos níveis do governo Bush, que deu início à avalanche de torturas ao decidir que não iria seguir as Convenções de Genebra em sua guerra ao terrorismo". - Michiko Kakutani, New York Times

A CRÍTICA

"Precisa ser lido." - Newsweek

"Um dos livros mais devastadores sobre o Iraque." - New York Times Book Review

"Fascinante." - The Economist


UM LANÇAMENTO
Justificar



 

publicado por o editor às 16:37
link do post | comentar | favorito

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

.FALE COM A GENTE


.subscrever feeds