Quarta-feira, 11 de Março de 2009

Show do Viola Quebrada com trio de violeiros paulistas reverencia ritmos fronteiriços

O grupo Viola Quebrada faz duas apresentações neste fim de semana no Teatro Paiol junto com o trio Viola Sem Fronteira. No repertório, ritmos paraguaios e do norte da Argentina.
 

O grupo paranaense Viola Quebrada e o trio paulista Viola Sem Fronteira fazem juntos duas apresentações nesta sexta-feira e sábado (dias 13 e 14), às 21h, no Teatro Paiol, oferecendo ao público um repertório que reverencia gêneros fronteiriços, como o chamané, a guarânia, a chamarrita e a polca paraguaia. Ao misturar ritmos paraguaios e argentinos com a música caipira brasileira, o espetáculo proporciona um raro momento de resgate deste importante segmento da cultura popular.

“A polca e a guarânia são ritmos que representam a identidade musical do Paraguai enquanto o chamamé teve sua origem no norte da Argentina. Os componentes estruturais destes ritmos influenciam a produção musical da região, difundindo-se pelo Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e chegando até a região Sudeste do Brasil”, explica Milton Araújo, um dos integrantes do Viola Sem Fronteira.

Composto também pelos violeiros Júlio Santin e Levi Ramiro, o Viola Sem Fronteira desenvolve um repertório autoral e aproveita clássicos do gênero. Os três se revezam na utilização da viola caipira, violão e baixo acústico, para manter uma tradição cultuada durante gerações. Milton Araújo, por exemplo, vem de uma das mais conhecidas famílias de violeiros, cuja expressão máxima se deu com sua tia, Helena Meireles, a dama da viola caipira.

O Viola Quebrada, que completou 10 anos em abril de 2008, sempre manteve a proposta de mostrar o autêntico universo da música de raiz. Inicialmente formado por Margareth Makiolke (voz e violão), Oswaldo Rios (voz e violão), Rogério Gulin (viola caipira) e Rubens Pires (sanfona), o grupo ampliou para a formação de sexteto com a chegada dos músicos Marcão Saldanha (percussão) e Vanderlei Lima (contrabaixo).

Antes da formação do Viola Quebrada, seus integrantes atuavam em uma área musical distinta, da música brasileira ao rock, passando pela música erudita e jazz. “Cada um trouxe um pouco de sua experiência para o universo caipira”, explica Gulin, que ressalta diferenças fundamentais do gênero que eles tocam com a chamada música sertaneja romântica: “são estilos distintos que não devem ser confundidos”. Pouco a pouco, o Viola Quebrada foi garimpando um material precioso, tendo o cuidado de manter a essência de cada canção escolhida. “Nós imprimimos nossa personalidade sem, contudo, descaracterizar as composições originais”, completa.

Ao longo de sua carreira, o Viola Quebrada gravou quatro CDs (Viola Quebrada – 2000, Viola Fandangueira – 2002, Sertaneja – 2003 e Noites do Sertão – 2006) e duas coletâneas (Caipiríssimo – 2003, com Rolando Boldrin, Renato Teixeira, Pena Branca e Chico Lobo; e Violando Fronteiras – 2007, com o Grupo Violeiros Matutos, Viola Urbana e Moxuara). Foram, ainda, realizadas centenas de apresentações pelo Brasil (incluindo uma turnê no Projeto Pixinguinha). Além disso, o grupo já tocou ao lado de nomes fundamentais da música brasileira como Pena Branca & Xavantinho, Zeca Baleiro, Alaíde Costa, Roberto Correa e Tinoco.



Serviço:

Show do Viola Quebrada com o Trio Viola Sem Fronteira

Local: Teatro Paiol (Praça Guido Viaro, s/nº - Prado Velho)

Data: 13 e 14 de março de 2009 (sexta-feira e sábado), às 21h

Ingressos: R$20 e R$10

publicado por o editor às 11:25
link do post | comentar | favorito

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

.FALE COM A GENTE


.subscrever feeds