Domingo, 22 de Março de 2009

PORQUE BETTY BOOP ?

Um livro de autoajuda é um livro de autoajuda e pronto, é um livro de autoajuda e ponto. Mas porque comentar tal estilo de fenômeno editorial? Realmente seria uma inutilidade uma vez que a compra do referido livro é quase que por impulso. Não nos cabe tecer comentários sobre essas verdadeiras caixinhas de surpresas mas, esse em especial, não poderia passar em branco sem qualquer tentativa de trocadilho. A "dona" Sherrie Krantz é uma, no mínimo, equivocada senhora que ou nunca assistiu os desenhos animados de Max Fleischer ou se assistiu não teve idade mental para alcançar as sutilezas. No seu livro de "muito ajuda quem não atrapalha", faz um verdadeiro guia para moças casadouras dispostas a usar algumas armas para conquistar seus objetivos, tudo irritantemente politicamente correto, fazendo a pobre darling das branquelas obesas e emos se revirar nas latas de celulóide. O livro graficamente é um primor, mas a nossa deliciosa trambiqueira nunca emprestaria seu boop-oop-a-doop para abrilhantar semelhante tolice. (E.C.)

QUEM É BETTY BOOP

Betty Boop é uma personagem de desenho animado que apareceu nas séries de filmes Talkartoon e Betty Boop, produzidas por Max Fleischer e distribuídas pela Paramount Pictures.

Betty tinha um jeito de garota independente e provocadora, sempre com as pernas de fora, exibindo uma cinta-liga. Foi em 1930 que a personagem imigrante judaica começou sua "carreira", em Dizzy Dishes, espelhando-se nas divas desta década, ao som de muito jazz. Mas Betty Boop ficou famosa mesmo quando interpretou "Boop-Oop-a Doop-Girl", de Helen Kane, e, enfim, entrou para a história, participando de mais de 100 animações.

Entretanto, após 1934, o novo Código de Produção impôs uma censura à personagem. Em nome da moralidade, Betty não poderia mais exibir seus decotes nem suas roupas insinuantes. Acredita-se que o comportamento progressivo da personagem era algo para o qual a população dos Estados Unidos da época não estava preparada para receber. Afinal, eram tempos de Disney e seus bichinhos. Os irmãos Fleischer modificaram a imagem de Betty, vestindo-a até o pescoço. Contudo, mantiveram em evidência o contorno de seus seios sobressaindo das malhas colantes, o que a deixou mais sensual. Em 1939, Betty Boop foi proibida de aparecer nas telas pelo Comitê Moralizador após anos de perseguição.

Com a sua enorme sensualidade, Betty foi um grande sucesso nas platéias de teatro, e apesar de ter decaído durante a Década de 1930, ela continua popular atualmente pelo ar de sensualidade. Sua última aparição foi no cinema, em 1988, quando fez uma ponta em Uma Cilada para Roger Rabbit com o mesmo biquinho, as mesmas pernas de fora e cinta-liga aparente que lhe é peculiar.

ASSISTA AQUI BETTY BOOP E SEUS AMIGOS A DAREM UM GOLPE NOS CRÉDULOS LEITORES DE "LIVROS ELIXIRES"



O LIVRO
Como ser uma BETTY -
O Guia Indispensável para libertar a BOOP que há dentro de você
de Sherrie Krantz


Páginas: 96
Capa dura

Com sua mistura irresistível de inocência e sensualidade envolvente, Betty Boop sabe que chegou lá e não tem medo de alardear isso. Agora, você poderá explorar a Betty que há dentro de você - e triunfar no amor e na vida!
Mais de 70 anos depois de sua estréia, Betty Boop continua sendo um ícone internacional de glamour. Ela ganhou milhões de fãs com seus lábios vermelhos, o adorável rosto de bebê, o charme efervescente e o estilo moderno-chique.
Ela irradia autoconfiança e independência. Agora você também despertará o seu Boop! Este guia divertido contém tudo o que você precisa saber para ser uma Betty, pois com ele você aprenderá como:
Ter o poder de atração da Betty
Demonstrar desenvoltura e ter um estilo fabuloso
Fazer amigos e atrair admiradores
Impressionar o seu chefe
Dizer a coisa certa e mostrar o seu melhor.
Há uma Betty dentro de toda mulher. Ela é despreocupada, atraente e está apenas esperando o momento de fazer uma entrada triunfal em sua vida. Lembre-se: ser uma Betty está a exatamente um boop-oop-a-doop de distância!


UM LANÇAMENTO




 
publicado por o editor às 12:58
link do post | comentar | favorito

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

.FALE COM A GENTE


.subscrever feeds