Quinta-feira, 2 de Abril de 2009

MOSTRA BERNHARD WICKI

De 3 a 5 de abril de 2009

Realização:

Instituto Goethe de Curitiba

Cinemateca de Curitiba

Classificação: 14 anos para todos os filmes – entrada franca

Durante sua carreira, Bernhard Wicki arriscou-se por detrás e em frente às câmeras. Arriscou-se talvez não seja a palavra certa. O melhor seria dizer que Wicki brilhou com as câmeras. Câmeras essas que não são somente as cinematográficas, capazes de registrar a imagem em movimento, mas também as suas precursoras, as fotográficas. O caminho percorrido não foi linear, mas Wicki pôde expressar-se e experimentar todas as vertentes, como ator, fotógrafo e, posteriormente, diretor de cinema. Como o astro da grande tela, esteve presente nas obras que mostraram as agruras da Segunda Grande Guerra, mas também naquelas que apenas exaltavam o amor. Suas fotografias são a pura expressão do real, os momentos instantâneos, despercebidos por aqueles que se deixavam fotografar, embutidas de uma linguagem própria e inconfundível. Seu filme mais conhecido como diretor, “A Ponte”, fundamentou sua fama como um dos mais importantes diretores do pós-guerra, abrindo-lhe caminho para Hollywood. Um artista completo, no que diz questão à manipulação, criação e absorção de imagens, cuja obra pode ser revisitada na exposição “Bernhard Wicki – Fotografias”, no Instituto Goethe, e na mostra em cartaz na Cinemateca de Curitiba.

A exposição BERNHARD WICKI – FOTOGRAFIAS estará aberta ao público até dia 16 de abril, no Instituto Goethe - Rua Reinaldino S. de Quadros, 33
Tel. 3262-8244
www.goethe.de/curitiba
 

Dia 3, às 16h e 20h:

A ÚLTIMA PONTE (Die letzte Brücke), p/b, 98’, 1954. Direção de Helmut Käutner. Elenco: Maria Schell, Bernhard Wicki, Barbara Rütting , Carl Möhner, Horst Hächler, Tilla Durieux.

O drama de Helga, uma jovem médica alemã que trabalha em um hospital nos Balcãs durante a Segunda Guerra Mundial. Certo dia, é sequestrada por soldados iuguslavos. Procura fugir, mas logo compreende que não poderá negar sua ajuda como profissional. Com o passar do tempo, surge uma epidemia de cólera no acampamento e a falta de medicamentos a leva ao contrabando destes do hospital militar alemão. A ponte que separa os acampamentos inimigos se transforma em persistente símbolo do absurdo da guerra. Maria Schell, conhecida principalmente como intérprete de papéis melodramáticos, atua com grande sensibilidade vivendo o papel da médica em um conflito “entre dois incêndios“.

Legendas em português

Dia 4, às 16h e 20h:

COMPROMISSO EM ZÜRICH (Die Zürcher Verlobung) color, 101 min., 1957. Direção de Helmut Käutner. Elenco: Liselotte Pulver, Paul Hubschmid , Bernhard Wicki, Wolfgang Luckschy, Rudolf Platte; Helmut Käutner, Anny Ondra, Max Schmeling y Sonja Ziemann.

Uma comédia sobre o amor e o mundo do cinema. Juliane é uma jovem escritora que acaba de separar-se do seu noivo e está escrevendo um relato sobre suas infelizes experiências no amor, porém projetando um final feliz na cidade de Zürich. Logo, um estúdio cinematográfico demonstra interesse pelo roteiro. O diretor do filme será Paul, quem Juliane havia conhecido no consultório odontológico de seu tio. Além disso, existe Jean, um amigo de Paul, pelo qual ela se entusiasmou logo. Como diretor, Paul não somente roda o filme, mas também inclui a vida real de Juliane, antes dela se dar conta. Esta comédia, ao mesmo tempo de ter um sabor romântico, ironiza os filmes alemães típicos dos anos 50.

Legendas em português
 

Dia 5, às 16h e 20h:

A PONTE (Die Brücke). Direção de Bernhard Wicki, preto/branco, 103 min., 1959. Elenco: Volker Bohnet, Fritz Wepper, Michael Hinz, Volker Lechtenbrink, Cordula Trantow, Günter Pfitzmann.

Abril de 1945. Uma pequena cidade alemã nos últimos dias da guerra. Uma bomba atinge uma ponte próxima, o front se aproxima rapidamente e o exército mobiliza seus últimos soldados. Sete alunos de uma mesma classe escolar são recrutados de última hora. Para estes adolescentes, a guerra tinha sido até este dia apenas uma aventura que eles acompanhavam de longe. Agora terão de enfrentar a brutal realidade da guerra.

Legendas em espanhol.

publicado por o editor às 14:14
link do post | comentar | favorito

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

.FALE COM A GENTE


.subscrever feeds