Quinta-feira, 9 de Abril de 2009

O riso do ogro

O riso do ogro
de Pierre Péju


Páginas: 304
 

No início dos anos 1960, na floresta que cerca uma pequena e supostamente sossegada cidade da Baviera, ocorre um terrível drama que o segredo e o silêncio rapidamente encobrem.

Paul Marleau é um adolescente francês que está passando uma temporada na Alemanha, na casa de um correspondente. Ele conhece Clara, filha de um antigo médico da Wehrmacht. Filhos da paz, eles compreendem que “fissuras da guerra” se propagam na serenidade aparente de sua época. Guerras que se acreditavam acabadas ou guerras em curso nunca muito distantes.

Mas os anos passam. Clara se torna fotógrafa, e Paul, escultor. Eles se atraem com a mesma intensidade com que fogem um do outro, e seus caminhos se cruzam incessantemente para depois se separarem. Outros personagens transtornam suas existências: Max Kunz, professor de filosofia e ex-soldado da Argélia, Philibert Dodds, artista solitário que mora no Vercors, ou Jeanne, a jovem parteira cheia de energia.

Romance de guerra, romance de amor, meditação sobre o mal, sobre a arte e a felicidade, O Riso do Ogro é a história de todas essas vidas confrontadas com a ambiguidade e a brutalidade do século.
 
“De uma guerra a outra, os heróis de Pierre Péju tentam esquecer os crimes que os assombram. Uma história grave tratada com delicadeza.” L’Express

“O Riso do Ogro oscila entre o horror e a ternura, em uma no man’s land onde os personagens avançam tateando.”
Valeurs

“Temos nas mãos um romance emocionante e poderoso pelas intrigas e personagens.”


La Quinzaine Litteraire “Um romance de amor e de guerra que nunca esqueceremos.”

Prima
“Como o Schiller de O Visionário, Péju é obcecado pelo problema da culpa e da redenção. A narrativa, desprovida de cronologia, mescla astuciosamente as épocas.” Le Figaro Litteraire

“Romance perturbador, cravado na rocha das selvagerias humanas, da solidão, das guerras, dos amores. Uma grande história trágica, este livro é de uma beleza romântica sem concessões.”
Soir

Um lançamento

publicado por o editor às 13:11
link do post | comentar | favorito

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

.FALE COM A GENTE


.subscrever feeds