Segunda-feira, 12 de Dezembro de 2016

"Rádio Kriola" novo disco CATARINA DOS SANTOS | lançam/ showcase 15.Dez FNAC CHIADO | 19h00

 

 

 

O novo disco de Catarina dos Santos"Rádio Kriola", tem lançamento marcado para esta quinta-feira, 15 de Dezembro, pelas 19h00, na Fnac Chiado
 
 
 
O que tem de comum EUA, Brasil, África, Londres e Lisboa? Diríamos que a música de Catarina dos Santos. A artista lança o seu mais recente trabalho, “Rádio Kriola”, uma “celebração à multiplicidade de sons de onde bebe a noção de ser português que em si mesmo, já é múltipla.” Rádio Kriola será apresentado na Fnac do Chiado, quinta 15 de Dezembro, pelas 19h00 com o concerto, conversa com a artista e sessão de autógrafos
“Rádio Kriola” surge como uma estação de rádio na qual podemos sintonizar as terras e as gentes, as estórias e caminhos, que fazem parte de Catarina dos Santos. E é neste caminho que descobrimos as viagens, os locais, as línguas. É nesta sintonia que encontramos as participações do escritor angolano Ondjaki, do músico cabo-verdiano Toy Vieira, do rapper Chullage, ou da Porto-Riquenhas Raquel Z. Rivera. 
As raízes da música portuguesa e as suas conexões com o Brasil e com África tem sido o foco de estudo de Catarina dos Santos. “É um disco criado por alguém que não vive em Lisboa. Todos os temas falam de Portugal ou de cultura relacionadas à portuguesa e falam de expressões que estariam inseridas numa realidade de emigrantes, como por exemplo a minha: portuguesa, emigrada em Nova Iorque durante 10 anos ou agora mais recentemente, em Londres.”
 
CRÍTICA
“A música da Catarina dos Santos conduz-nos pela geografia humana que converge no Atlântico e no Mediterrâneo. Rádio Kriola é o reflexo de uma portugalidade que se veste de muitas roupagens, mas que desassumiu a sua própria mestiçagem. “Nós somos de todo o lado”, sussurra na voz da sereia, que nos faz percorrer uma cartografia feita dos poemas escritos nas salinas da nossa infância. 
Este álbum é dedilhado por uma “Menina-Barco”, título de um dos temas, com a participação dos Rapazis di V.A. e Chullage. Menina que parte da periferia construída por mãos morenas, semba, kuduro e sal. Menina que ruma na proa do bairro, que Lisboa viu crescer até Nova Iorque, para compreender mundo, e lá conhecer mestres como John Pattitucci, Sheila Jordan, Paquito de Rivera... Recebeu um “Inverno Tropical” de Ondjaki e laborou um Ondja, lembrança da Avó 19. “Caminho” nasce da colaboração com Dom La Nena. “A Dancer’s Redemption” é fado dançado em lundu Marajoara. E continua “Ninita”, funaná, mais dança, “Minha Maria” nessa litania do porto que já não é abrigo, mas ponto cruz, candomblé que redime o espírito das carpideiras. “Redención - Lo Transparente”, com Raquel Rivera, palavras Porto Riquenhas com “iris de sal pulida”. “Canto do Pescador” nasce do trabalho com Toy Vieira, voz do tempo, canto de sereia esperado em terra.
E eu oiço, mandingada, este disco concebido em tom de manifesto porque “sou da terra branda, aqui se fala em silêncio”. Manifesto ou não, Catarina vive diáspora de menina barco que “traz um mundo no braço, uma história no rosto” e a latitude no coração.”
 
 
Sofia Amado
(jornalista e escritora)
 
BIO
Catarina dos Santos esteve desde pequena exposta a música tradicional Portuguesa, de Angola, Cabo Verde e do Brasil, e muito Jazz. Entre 1996 e 2003 estuda Pintura na Sociedade de Belas-Artes, e Pintura e Cerâmica na Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa, ganhando prémios em Desenho e em Cerâmica. 
É também durante este período que estuda no Conservatório de Lisboa, e na Escola de Jazz Luís Villas-Boas, onde durante 2003 lecciona Improvisação e é assistente do Professor Pedro Moreira, nas aulas de Ensemble Vocal. Nesta altura trabalha como cantora de jazz, e é escolhida para representar a Escola do Hot Clube de Portugal no Festival de Jazz do São Luís, em 2003. No mesmo ano toca com a sua banda, “Crackin’ the Quintet”, no Hot Clube de Portugal, e em outros locais de música ao vivo. Paralelamente ao jazz estuda e canta música Angolana, e música tradicional Portuguesa, em colaboração com os At-Tambur.         
Em 2003 vai para Nova Iorque estudar Jazz Performance, no City College of New York, sendo bolseira da Kaye Scholarship, e recebendo vários prémios de mérito; conclui o curso Suma Cum Laude. Estuda com John Pattitucci, Sheila Jordan, Neil Clark, Paquito de Rivera, Ed Simmons, Ben Street, Jim Black, Cyro Baptista, Luciana Souza, Duduka da Fonseca. Tem aulas de percussão com Zé Maurício (Choro Ensemble), Café (Djavan). Em 2006 faz o Curso de Orquestração da Juilliard School, e canta na Juilliard School Choral Union.
A sua experiência como músico em Nova Iorque vai desde o jazz, à música de Cuba e Porto Rico, e à música Brasileira. Entre 2005 e 2008 é a cantora e letrista da banda Nation Beat, que faz um trabalho de pesquisa da música do estado de Pernambuco, Nordeste do Brasil, e fundindo esta com ritmos de New Orleans, e funk. É com esta banda que grava o disco “Maracatuniversal”, em 2006, em Recife, numa colaboração com os músicos da Nação de Maracatu Estrela Brilhante, e músicos de Nova Iorque como Frank London (The Klezmatics), ou Rob Curto (Lila Downs). A banda faz turnées pelos Estados Unidos, e em Nova Iorque apresenta-se no Blue Note, Joes Pub, Makor, The Stone (John Zorn), Barbes, SOB’S, e outros. Em Fevereiro de 2007 toca no Festival Porto Musical, Recife, e faz vários concertos na mesma cidade, e no Festival Nova Consciência, em Campina Grande, Paraíba. É em Recife que constrói pontes de amizade e trabalho, na Música e na Educação, com Jorge Martins (percussionista da banda Cascabulho, colaborador com Nation Beat, e director da Escola de Percussão e ONG Corpos Percussivos), e mestres de percussão como Naná Vasconcelos, Mestre Salustiano, e outros grandes da música tradicional.
Outras colaborações em Nova Iorque incluem Maracatu NY, Montego Joe, Carol Lester and the World Women, Arthur Dutra e Timbatu, o pianista e flautista cubano Oriente Lopez, Los Pleneros de la 21 (música tradicional de Porto Rico), Eduardo Nazarian, Billy Newman e o Brazillian Acoustic Ensemble, entre outros. Faz também parte do Ensemble Musical da Companhia de Teatro Porto Riquenha Pregones Theatre, sediada no Bronx, Nova Iorque, onde foi solista na estreia mundial de duas obras para orquestra do compositor Desmar Guevara, “The Ponce Massacre”, e “Cantata a Pales”, bem como integra o elenco da peça “Game Over”. 
Quando em Portugal trabalha com Jon Luz, Paulo Temeroso, e Marco Santos no projecto de música brasileira e jazz, Aué, e com o seu recente projecto, Tambor de Três, com Mick Trovoada e Oswaldo Santos (Grupo Tempo, São Tomé). 
Em Fevereiro de 2009 Catarina trabalha em Recife com o Corpos Percussivos, e em Maio o Tambor de Três apresenta-se no Festival Cineport, em João Pessoa, Paraíba. Faz o lançamento do seu disco “No Balanço do Mar” em Nova Iorque em Junho de 2009 no Pregones Theatre. 
Em Agosto de 2009 lança o “Balanço do Mar” em Lisboa, e é convidada para participar no Festival CCB Fora de Si, ao lado de grandes como Seun Kuti e Branford Marsalis. No Verão de 2010 faz uma turnée na West Coast dos Estados Unidos, tocando em festivais de renome, como o San Jose Jazz Festival, e toca na Festa do Avante!, abrindo a Festa no Palco 1o de Maio. Em Maio desse ano Catarina criou o show “Os Pés da Sereia”, juntamente com a cantora Raquel Rivera, de Porto Rico, com música original das duas. O show foi patrocinado pela Rockefeller Foundation e apresentado no Hostos Center for the Performing Arts, Bronx, New York. 
Em Novembro de 2011 Catarina apresenta o seu trabalho musical e de pesquisa na ASWAD Conference na Rutgers University, em Pittsburgh. O tema da Conferencia é AFRICAN LIBERATION AND BLACK POWER, The Challenges of Diasporic Encounters Across Time, Space and Imagination
Em 2012 Catarina é convidada pela instituição Nova Iorquina City Lore, para participar no projeto Ironbound Fado, escrevendo novos arranjos e interpretando fados tradicionais, baseados em sonoridades Luso-Afro-Brasileiras. No mesmo ano viaja para Izmir, Turquia, com seu grupo com Oswaldo Santos (São Tomé) e Mick Trovoada (Angola). Em 2013 participa no concerto em homenagem a Mary Lou Williams com solista e parte do coral, com alguns dos melhores cantores de jazz da cena Nova Iorquina, e em Abril deste ano fez a produção artística e foi cantora convidada de dois grandes espetáculos: Concerto em homenagem a Chiquinha Gonzaga, no Brazilian Endowment for the Arts, e “Viagem pelo Mundo de Língua Portuguesa” para a CPLP, 2 de Maio, na sede das Nações Unidas, Nova Iorque, onde Catarina juntou músicos tão importantes como Tony Cabral, membro fundador do Tabanka Djaz, ou Chude Mondlane, cantora e activista moçambicana, e filha do presidente Eduardo Mondlane, entre outros. Em 2014 toca com Forroteria no New Orleans Jazz and Heritage Festival, EUA.
Catarina encontra-se neste momento a lançar o seu segundo álbum de originais, Rádio Kriola, e a trabalhar em três projectos em paralelo: o seu trabalho em Visual em Vídeo Art e Sound Art (projectos de instalações multimédia) o qual está a ser desenvolvido em Londres, o seu próprio projecto educativo, ‘Escola Nómada”, e “Taking Off the Masks – a Lisbon to Newark Conversation”, projecto de intercâmbio entre artistas de Newark e de Lisboa, a ser concretizado em 2017.

 

publicado por o editor às 12:38
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 19 de Março de 2015

Convite “Não Houve Quem Ouvisse…” Dia Mundial da Poesia  

 

 




O Dia Mundial da Poesia será celebrado pela Edita-Me numa parceria com a FNAC, com uma tertúlia no fórum da sua loja do Mar Shopping.

Numa sessão com o título “Não Houve Quem Ouvisse…”, iremos explorar o tema da poesia como forma de comunicação.

A sessão conta com a participação dos poetas Alexandra Malheiro, Ana Sofia Pereira, João Habitualmente, Maria Sofia Magalhães, Teresa Brinco, e do especialista em comunicação Paulo Salgado.

As leituras estarão a cargo de Celeste Pereira e contaremos com a presença especial do fotógrafo convidado Mandrake ZP.

Local: FNAC do Mar Shopping
Hora: 22:00

ver mais >>

 

 
publicado por o editor às 18:40
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 20 de Janeiro de 2015

MAESTRO ANTÓNIO VITORINO D’ALMEIDA DE REGRESSO AOS PALCOS

 

 

 

“Duelo de Titãs” reúne os virtuosos Maestro Vitorino D’Almeida e Luiz Avellar

 

O grande auditório do Centro Cultural Olga Cadaval, em Sintra, recebe dia 13 de Fevereiro, pelas 21h30, "Duelo de Titãs", um espetáculo que reúne os virtuosos Maestro Vitorino D'Almeida e Luiz Avellar.

“Duelo de Titãs” surge de um desafio musical que o Maestro português António Vitorino D’Almeida faz ao pianista brasileiro Luiz Avellar. Um espetáculo feito na arte do improviso que desvenda a genialidade destes dois grandes artistas.

Passando sem reservas por vários ambientes e estilos musicais, este saudável duelo faz com que o público tenha a oportunidade de testemunhar o que acontece quando um artista alcança um virtuosismo tal, que o seu instrumento passa a ser a extensão de si próprio.

Um piano para dois pianistas: “Duelo de Titãs” é mais que um espétaculo, é uma experiência inesquecível.

 

Uma produção Casa da Língua Portuguesa

 

 

 

 

MAESTRO ANTÓNIO VITORINO D’ALMEIDA

Maestro, pianista e compositor, António Vitorino d’Almeida dispensa apresentações. Aos cinco anos compôs a sua primeira obra, aos sete deu a primeira audição e interpretou obras de Mozart e Beethoven, para além de duas peças de sua autoria. Conclui com mérito o curso superior de Piano no Conservatório Nacional de Lisboa e vai estudar para Viana de Áustria, na Academia de Música, onde finaliza esta pós-graduação com a mais alta classificação dada por aquela escola: a distinção por unanimidade do júri e consequentemente Prémio Especial do Ministério da Cultura da Áustria, país onde viveu duas décadas tornando-se Adido Cultural da Embaixada Portuguesa em Viana, cargo que lhe valeu uma honrosa condecoração.

A sua obra é muito vasta, e abrange os mais variados géneros musicais, desde a música a solo, para piano e outros instrumentos, à música de câmara, música sinfónica e coral-sinfónica, ao “Lied” ou ópera, além de muita música para cinema ou para teatro e fado, sendo sem dúvida um dos compositores portugueses que mais obra produziu.

Tem a sua música publicada na AvA Musical Editions.

A 9 de Junho de 2005 foi feito Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique.

 

LUIZ AVELLAR

O pianista e compositor brasileiro, Luiz Avellar iniciou os estudos de piano aos seis anos de idade. Em 1976, estudou Orquestração na Mannes School of Music em Nova Iorque. Com uma longa trajetória como pianista e arranjador de grandes nomes da música brasileira, entre eles Djavan, Gal Costa, Simone e Milton Nascimento. Em paralelo, surge ao lado de variadíssimos nomes do panorama internacional, Billy Cobham, Toots Thielemanns, Phil Purim e Airto Moreira, são algumas referências.

Em 1994, surge o primeiro disco solo “Bons amigos”, com a participação de Hermeto Pascoal, Paulo Moura e Robertinho da Silva, entre outros nomes da música instrumental brasileira. Contabilizam-se na sua discografia 14 discos. Tocou em concerto como solista da Orquestra Sinfónica Brasileira, enquanto a sua música era executada, estabelecendo assim um intercâmbio permanente entre todos os seus talentos, desde os ritmos brasileiros, à música clássica ou jazz.

Tornou-se um convidado frequente do Encontro da Música Internacional realizado no Rio de Janeiro; “Cello Encounter”, onde a sua execução é elogiada e partilhada por nomes internacionais da música clássica como, Armen Ksajikian, Mats Lidstrom e Eugene Friesen.

Considerado um dos maiores talentos da sua geração.

Em 2011 lança o seu primeiro disco em terras lusas “Contrastes”.

 

 

publicado por o editor às 22:28
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 30 de Setembro de 2014

REAL COMPANHIA | Centro Cultural Olga Cadaval | 04 Outubro | 21h30

 

 

 

São pelos trilhos das Serranias que os tempos pisam e que a poesia embalada pela música dos faunos ecoa, que a tradição as aconchega num abraço de conforto e calor do fogo da lareira onde as brasas dançam em bailados de sombras vivas nas casas de xisto dos seus socalcos.
Com esta música celebramos os encantos e recantos dos caminhos e os carreiros das nossas Serras, das Estrelas e da Lua que iluminam as intermináveis cordilheiras da nossa história, cultura e tradição.
É este o convite da Real Companhia, para uma celebração conjunta da alegria, da amizade e dos sons que ecoam nas Serranias.
Ficha Artística e Técnica 
Real Companhia Fernando Pereira, Eduardo Miranda, Filomena Pereira, José Salgueiro, João Ramos, Carlos Lopes, Paulo Loureiro, Guilherme Salgueiro | Convidados Ana Laíns e Sebastião Antunes 
Classificação Etária: > 6 anos
Duração aproximada: 90 minutos (sem intervalo)
Bilhetes: à venda no Centro Cultural Olga Cadaval e em http://ticketline.sapo.pt/evento/real-companhia-apresenta-serranias-9311
Preços:
1ª Plateia: 10,00 euros
2ª Plateia: 7,50 euros

 

publicado por o editor às 20:47
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 18 de Julho de 2014

Convite Lançamento "(Em) Pedaços" de Ana Granja

 

 


Este sábado, pelas 17h00 na Casa das Artes do Porto (Casa Allen) irá ter lugar o lançamento da nova obra de Ana Granja, com o título
"(Em) Pedaços"


Apresentada pelo editor Carlos Lopes, contará com as especiais participações de 
Celeste Pereira nas leituras e 
José Peixoto na viola.

Um evento único, para uma obra única, de coragem e partilha.


Sinopse

Há dias que não deviam acontecer nas nossas vidas, enganos do tempo, erros do universo, lapsos de um deus que não queremos conhecer.

Há dias que contaminam todos os que se lhe seguem, que lhes sugam o sol, que nos deixam sem chão. De quando em quando, pequenas brechas, breves cais onde aportar… para seguir viagem.

Neste livro, pedaços de alma por onde a vida vai fluindo. Em cada texto, tentativas de justificar o assombro, a cada dia renovado, de ser possível sobreviver a uma filha morta.

Alma em pedaços e pedaços de texto… a dizer o indizível.

Porque houve um dia (que não podia ter acontecido!) em que nos roubaram, para sempre, o melhor pedaço.

publicado por o editor às 15:58
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 24 de Dezembro de 2013

Cotovia lança Malagueta, Perus e Bacanaço

 

Caro Leitor,

 

Acabamos o ano em grande com um novo título da Colecção Sabiá:
 

MALAGUETA, PERUS E BACANAÇO
 

 
Livro de estreia em que João Antônio, aos 26 anos, se viu imediatamente apontado pela crítica como sucessor da tradição fundada por Mário de Andrade e Antônio de Alcântara Machado, na qual a literatura e a capital paulistana são indissociáveis. Os contos de abertura equilibram com maestria a emotividade de histórias simples e uma notável ausência de sentimentalismo. Os últimos instauram aquele que seria um dos temas primordiais da obra do escritor: o mundo da "sinuca" e da malandragem, com seus tipos, sua ética, sua estética, por meio de uma estilização brilhante da linguagem oral. 
 
João Antônio nasceu em 27 de Janeiro de 1937 e foi encontrado morto em sua casa no dia 1º de Maio de 1996. Escreveu sobre prostitutas, cafetões, porteiros e malandros, emprestando a profundidade da filosofia e da teoria literária aos tipos marginais e os abandonados pela vida que povoam suas histórias. Malagueta, Perus e Bacanaço, que conta a história de três malandros paulistas, seu primeiro livro, ganhou dois Prêmios Jabuti e foi traduzido para oito idiomas.
 
No volume 15 do Curso Breve de Literatura Brasileira, de nossa edição, publicámos a antologia organizada e apresentada por Alcir Pécora, intitulada "Lembranças do Presente. O conto contemporâneo". Nesta antologia foram incluídos os contos de João Antônio "Joãozinho da Babilónia" e "Maria de Jesus de Souza (Perfume de gardênia)".
 

Esperamos por si na nossa livraria, na Rua Nova da Trindade 24 em Lisboa, de segunda a sexta das 10h às 18h.
 
Aproveitamos a ocasião para lhe desejar Boas Festas!!!
 
A equipa da Cotovia.
 


 
 

 

publicado por o editor às 21:27
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 19 de Dezembro de 2013

Cotovia lança Malagueta, Perus e Bacanaço

 

Caro Leitor,

 

Acabamos o ano em grande com um novo título da Colecção Sabiá:
 

MALAGUETA, PERUS E BACANAÇO
 

 
Livro de estreia em que João Antônio, aos 26 anos, se viu imediatamente apontado pela crítica como sucessor da tradição fundada por Mário de Andrade e Antônio de Alcântara Machado, na qual a literatura e a capital paulistana são indissociáveis. Os contos de abertura equilibram com maestria a emotividade de histórias simples e uma notável ausência de sentimentalismo. Os últimos instauram aquele que seria um dos temas primordiais da obra do escritor: o mundo da "sinuca" e da malandragem, com seus tipos, sua ética, sua estética, por meio de uma estilização brilhante da linguagem oral. 
 
João Antônio nasceu em 27 de Janeiro de 1937 e foi encontrado morto em sua casa no dia 1º de Maio de 1996. Escreveu sobre prostitutas, cafetões, porteiros e malandros, emprestando a profundidade da filosofia e da teoria literária aos tipos marginais e os abandonados pela vida que povoam suas histórias. Malagueta, Perus e Bacanaço, que conta a história de três malandros paulistas, seu primeiro livro, ganhou dois Prêmios Jabuti e foi traduzido para oito idiomas.
 
No volume 15 do Curso Breve de Literatura Brasileira, de nossa edição, publicámos a antologia organizada e apresentada por Alcir Pécora, intitulada "Lembranças do Presente. O conto contemporâneo". Nesta antologia foram incluídos os contos de João Antônio "Joãozinho da Babilónia" e "Maria de Jesus de Souza (Perfume de gardênia)".
 

Esperamos por si na nossa livraria, na Rua Nova da Trindade 24 em Lisboa, de segunda a sexta das 10h às 18h.
 
Aproveitamos a ocasião para lhe desejar Boas Festas!!!
 
A equipa da Cotovia.
 


 
 

 

publicado por o editor às 00:30
link do post | comentar | favorito
Sábado, 30 de Novembro de 2013

Sankirtana Books lança o primeiro livro de S.G. Urmila Devi Dasi em português


 
“A Perfeição do Cantar – Desabrochando o lótus da bem-aventurança”, de Sua Graça Urmila Devi Dasi, uma das mais ativas e respeitadas lideranças da ISKCON – Sociedade Internacional Para a Consciência de Krishna, famosa como palestrante e professora, acaba de ser providencialmente lançado durante o último Kirtan Fest, em Nova Gokula. O livro faz uma análise concisa e profunda do ato de cantar o maha-mantra Hare Krishna e as possíveis ofensas que impedem o avanço nesse processo espiritual sublime. Este mantra-yoga, apesar de fácil e eficiente, requer um estado de consciência progressivamente elevado para a obtenção do mais alto nível de transcendência. Objetivando esse primor, Urmila Devi nos presenteia com toda a sua vivência, rumo ao cantar perfeito.
Segundo S.S. Hrdayananda Dasa Goswami, ”uma vida inteira de prática espiritual estrita e dedicada, em aliança com uma carreira distinta de educadora e estudiosa de educação, qualifica de maneira única Urmila Devi a oferecer uma guia poderosa e envolvente no caminho da consciência de Krishna. Repleto de histórias atrativas, rigorosa teologia e aconselhamentos maduros e práticos, este livro oferece agradável e valiosa orientação a todos aqueles que buscam compreender sua identidade espiritual eterna como devotados servos e associados do Senhor Supremo”.
Urmila Devi Dasi (Edith E. Best, Ph.D.) possui mestrado em Administração Escolar e doutorado em Educação na área de concentração de Liderança Educacional, ambos conferidos pela Universidade da Carolina do Norte, Chapel Hill. Atua como editora associada da revista Back to Godhead, especializada no pensamento védico, e integra o corpo docente da Bhaktivedanta College, Bélgica. Urmila Devi Dasi, na ordem de vida vanaprastha desde 1996, também é membro do Shastric Advisory Council da ISKCON, onde também é a primeira e única mulher candidata à posição de guru iniciador.
O livro pode ser adquirido pelo site www.sankirtanabooks.com.br por apenas 15 reais. Urmila Devi Dasi virá ao Brasil pela primeira vez em janeiro, ainda sem roteiro definido.

INGLÊS A1 | LAST MINUTE | 50% DESCONTO

Se encontra a decorrer a campanha LAST MINUTE, que confere 50% de desconto ao curso de Inglês A1:

-        Duração: 50 horas
-        Cronograma: 07.12.2013 a 29.03.2014
-        Horário: Sábados, das 10.00 às 13.00
-        LAST MINUTE: para inscrições realizadas até dia 29-11-2013
Caso não tenha disponibilidade para se deslocar às nossas instalações, solicite-nos a ficha de inscrição e dados de pagamento e proceda à sua inscrição online.
Estamos ao dispor para esclarecimentos adicionais.
Com os melhores cumprimentos,
City School – Training Centre
tel: (+351) 220 15 16 17
porto@cityschool.pt
Rua Domingos Sequeira 234
4050-230 Porto
www.cityschool.pt
publicado por o editor às 23:23
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 21 de Novembro de 2013

Curso Breve de Literatura Brasileira que estavam esgotadíssimos!!!

 

A partir desta semana voltam a estar disponíveis 4 títulos da colecção Curso Breve de Literatura Brasileira que estavam esgotadíssimos!!!
CLARO ENIGMA - Carlos Drummond de Andrade
2ª edição, 14€, 194 páginas
ISBN 978-972-795-148-2
“Claro enigma merece a nossa atenção em tempo de refluxo da arte e da existência, já porque se procura uma explicação da vida que nem o amor pode iluminar.” - António Carlos Cortez, JL - Jornal de Letras, Artes e Ideias                                                                                                                    
"Nota essencial do pessimismo drummondiano: que a poesia se inscreva e até sobreviva, mas não se iluda com sonhos de perenidade." Abel Barros Baptista

LAÇOS DE FAMÍLIA - Clarice Lispector
3ª edição, 13€, 158 páginas
ISBN 978-972-795-150-5
Laços de família é um dos mais extraordinários livros de contos escritos em língua portuguesa. [...] Situando-se numa zona de fronteira, a literatura de Clarice implica a exclusão de qualquer tipo de hierarquizações e propõe a instauração de um espaço de errância: não ser de nenhum lugar ou amplamente existir numa gravitação que é de todos os lugares. (Carlos Mendes de Sousa)

MEMÓRIAS PÓSTUMAS DE BRÁS CUBAS - Machado de Assis
4ª edição, 20€, 342 páginas
ISBN 978-972-795-111-6
As Memórias Póstumas de Brás Cubas foram publicadas entre 15 de Março e 15 de Dezembro de 1880, na Revista Brasileira, do Rio de Janeiro. A primeira edição em livro surgiu em Janeiro de 1881. O romance viria a ter mais duas edições em vida de Machado, a última das quais (em 1889 e designada "quarta edição", por se considerar primeira a publicação em folhetim) inclui significativo " Prólogo do Autor". Seguimos a edição da Livraria Garnier (Rio de Janeiro, 1988), com texto estabelecido por José Galante de Sousa. Mantivemos a ortografia brasileira.
"Memórias Póstumas de Brás Cubas é uma exaltação daquilo a que Kundera chamou o «espírito do romance» e desdobra-se em consciência da sua forma - da forma romance na sua plena autonomia e na medida em que se realiza precisamente no contramovimento que tende a abolir os confins entre a arte e a vida. Brás Cubas faz parte de uma galeria de anti-heróis - invenções do espírito moderno - que traduziram no humor a relatividade das coisas humanas."  - António Guerreiro, Expresso        
                                                    
"É uma obra-prima do humor e da construção literária. Provavelmente um dos livros mais divertidos da nossa língua." Francisco José Vieigas

UM HOMEM CÉLEBRE - Machado de Assis
3ª edição, 16€, 304 páginas
ISBN 978-972-795-113-0
“ Se nem todos os contos de Machado de Assis são excepcionais, o decisivo assenta noutra qualidade: serem exemplos brilhantes do género literário "conto" e, ao mesmo tempo, absolutamente singulares, como se Machado fosse o inventor dum género por que mais ninguém se tivesse interessado.” (Abel Barros Baptista, "Posfácio”)
 


publicado por o editor às 17:25
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 30 de Agosto de 2013

O musica-portuguesa esta de volta

 

O musica-portuguesa esta de volta e com algumas novidades.

visitem www.musica-portuguesa.net

Se tiverem problemas em entrar no forum entrem em contacto connosco na nossa pagina do facebook.

https://www.facebook.com/MusicaNacionalPortuguesa

Tambem precisamos da vossa ajuda para continuar com o projeto pra frente.

Visite este topico: http://musica-portuguesa.net/index.php?topic=969.0

Agradecemos a vossa ajuda.



http://musica-portuguesa.net/index.php

publicado por o editor às 02:40
link do post | comentar | favorito

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

.FALE COM A GENTE


.subscrever feeds