Quarta-feira, 28 de Janeiro de 2009

Vitrola psicanalítica. Canções que tocam na análise.


Vitrola Psicanalítica
de Leonardo Luiz.




Leonardo Luiz nos convida a explorar o tema e nos mostra que, quando analista e analisando compartilham da dimensão do prazer musical, o campo das significação se torna musical e se transforma naquilo que Leonardo denomina de “vitrola analítica”, re-escutando melodia e canções, evocando e realocando antigos sentidos guardados alhures. Em especial, Leonardo enfatiza o fenômeno da canção. Todos já nascemos musicados, marcados por uma genética musical da espécie, mas é preciso ocorrer o encontro dos primeiros sons com as primeiras visões, cheiros, sabores e sensações de dor e prazer para que se crie um campo sonoro pessoal, experiencial e anterior ao discurso. Um mundo arcaico, atravessado pelos sons e, especialmente, pelas melodias que nos marcam. Neles se condensam os sentidos e se produz uma expriência sonora íntima que, mais tarde, ao se amalgamar à palavra compreendida, conferirá à palavra cantada, à canção, o poder de transitar através das camadas de memória e de evocar e desvelar vivências que o discurso não alcança.

Além de trazer reflexões sobre a natureza de nossas relações com as várias facetas do fenômeno musical (timbres, ritmos e melodias) e de discutir os processos associativos e o papel do “terceiro analítico” - que dá sentido à experiência psicanalítica -, Leonardo nos apresenta vinhetas clínicas. Com elas busca ilustrar como, pela música e especialmente pelas recordações evocadas por canções que marcam nossa história, é possível infiltrar-se pelos meandros das sensações indizíveis, dos nascedouros onde as memórias arcaicas se manifestam, desvelando desejos e propiciando insights, ressignificando idéias ou simplesmente expondo afetos, aproximando o sujeito de sua própria verdade.

UM LANÇAMENTO





 

publicado por o editor às 13:25
link | comentar | favorito

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

.subscrever feeds