Terça-feira, 19 de Agosto de 2008

Poesia tomará conta de todo o stand da Verus Editora na Bienal do Livro 2008


Dia 21 de agosto, às 19h, a poesia tomará conta de todo o stand da Verus Editora na Bienal do Livro 2008


Autor convida o leitor a reescrever a vida por meio de uma travessia poética



Lançado pela Verus Editora na Bienal do Livro de 2008, O visível e o invisível: alguma poesia é a reunião de três livros de Severino Antônio: A redescoberta do sagrado, O reencantamento do mundo e A matéria amada. O livro será autografado no stand da Verus Editora, no dia 21 de agosto, a partir das 19h00. Evento, que acontece na Bienal do Livro, marca mais de trinta anos de dedicação do autor neste livro.



“Há três décadas, procuro fazer uma experiência poética de recuperação da esperança, de reconstrução da utopia: o que ainda quase não existe, mas precisa existir”, afirma o autor, que acredita na convivência poética como educação dos sentidos – da percepção e dos sentimentos, da imaginação e da racionalidade.



Com um ritmo suave, carregado de silêncio, que ecoa por todos os lados, o livro sensibiliza o leitor para a necessidade de recriar a realidade caótica em que vivemos. Os poemas falam por si só, com voz própria. Escutar O visível e o invisível é como dançar a melodia da vida, de maneira tão marcante que o livro instiga o leitor a redesenhar seus passos existenciais.



Severino Antônio propõe que o universo seja tratado como um grande poema, e cabe ao leitor utilizar tal experimento para redescobrir a sua essência, reinventando um novo modo de viver a vida. Como ele mesmo diz, a poesia é uma necessidade vital.



Entre seus admiradores, estão os professores Carlos Rodrigues Brandão e Emília Amaral, seus amigos e companheiros de jornada. Ambos descrevem o livro com muito entusiasmo: “Essa poesia canta, entre amores vividos e sonhados, entre o que foi perdido, o que poderia ter sido e o que teima em existir, a gesta de um futuro que precisamos ‘pegar à unha’, com asas nas pontas dos dedos”, afirma Emília. Para Brandão, “Severino é um homem raro. Ele diz como quem tira as palavras-água do claro-escuro de um poço fundo. Ele fala como se criar uma frase fosse como escrever um poema”.



Os poemas do livro



Os poemas que compõem O visível e o invisível são filosóficos, lírico-reflexivos e, ao mesmo tempo, cotidianos e cósmicos. Escritos de modo constelar, contínuo-descontínuo, como se fossem poemas feitos de poemas. Cada poema desperta secretos poderes de comunhão e inconformismo, que os leitores às vezes pressentem. Cada página do livro é constituída com a mais rigorosa das lógicas. Cada imagem, cada ritmo, cada emoção, cada idéia – tudo está indissociavelmente interligado a tudo e aos silêncios, aos vazios e também ao mistério do além do dizível, o que sopra como quer. Não são poemas de decomposição da linguagem, em nenhum de seus campos: nem na dimensão sonora, nem na morfológica e sintática, menos ainda na questão semântica. Ao contrário, é uma poética de recriação de sentido, uma poética de religação, desde a materialidade primeira, da sonoridade de cada palavra, até as constelações de imagens e idéias, as tessituras de símbolos e


suas paixões medidas.



Severino Antônio



Quem já estudou com Severino Antônio jamais esquece. Além de ser unanimidade entre os alunos, é um daqueles professores que marca a vida dos estudantes. Foi citado inclusive pelo Ministro da Educação no Programa do Jô Soares. Severino participou do nascimento do Colégio Anglo-Campinas como professor, onde trabalhou por 18 anos. Há mais de dez anos trabalha no UNISAL-Americana, especialmente no Mestrado em Educação Sócio-comunitária. Foi por duas vezes professor convidado do curso de pós-graduação sobre sexualidade humana, realizada pela UNICAMP por meio da na Faculdade de Educação e Faculdade de Ciências Médicas.



Severino Antônio por ele mesmo



Em uma festa de Cosme e Damião, fui apresentado como “um irmão que se afastou de Deus pela razão, e agora se reaproxima de Deus pela razão”. Para mim, a poesia também é a procura dessa religação com o sagrado, com os outros e com a vida, a Terra, o cosmos. Cursei letras e, mais tarde, o doutorado em educação. Trabalho com ensino de redação e leitura, literatura, filosofia. Tenho ministrado palestras e cursos, em muitos lugares do Brasil, sobre como desenvolver a capacidade de criação – no escrever, no ler, no pensar. Alguns livros publicados: Escrever é desvendar o mundo (Papirus); A menina que aprendeu a ler nas lápides (Biscalchin Editor); Educação e transdisciplinaridade (Lucerna); A utopia da palavra (Lucerna); Novas palavras, com Emília Amaral e outros (FTD).

publicado por o editor às 22:10
link | comentar | favorito

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

.subscrever feeds