Segunda-feira, 7 de Setembro de 2015

Censo: estratificação por raça/cor e gênero no ensino superior  

 



Em Estratificação horizontal da educação superior no Brasil de 1960 a 2010, uma série de autores analisa o impacto da origem socioeconômica sobre o acesso e a progressão educacional dos jovens no Brasil a partir dos Censos, de 1960 a 2010.

Os artigos mostram que, nos anos recentes, ampliou-se o número de formandos em Enfermagem, Marketing, Administração, Turismo, Farmácia e Terapia e Reabilitação, cursos superiores em geral com custo mais baixo. Os autores argumentam que nestas áreas houve queda pronunciada dos salários médios, enquanto entre formados em Medicina, Arquitetura, Engenharias, Economia e Ciências Sociais – que decresceram percentualmente no total de formados – houve aumentos de salários.

Quanto à questão de cor/raça, os autores mostram que, entre 1980 e 2010, houve aumento da diversificação nos cursos, com aumento do percentual de negros no ensino superior, sendo a única exceção o curso de medicina (em que não teria sido alterada a baixa proporção de negros). Ainda, apontam os autores que a inclusão dos negros tendeu a ocorrer em carreiras de renda média baixa e em áreas que tiveram grande crescimento de formados.

Os autores também mostram que as cinco carreiras com pior rendimento são as cinco com maior porcentagem de não brancos: religião, serviço social, pedagogia, história e geografia. E brancos têm vantagens em carreiras de maior prestígio, não só pela sua alta porcentagem entre os alunos, mas também dado que alunos negros têm menor probabilidade de terminar e, mesmo se terminam, a renda média recebida tende a ser menor que a dos colegas com mesmo curso superior.

Ainda, os autores mostram que as mulheres tendem a seguir carreiras em que a renda média é menor e que as carreiras com mais mulheres são também as com mais negros (com renda média menor que carreiras com mais homens brancos/amarelos).

Assim, segundo os autores, nos 50 anos analisados houve alguns avanços no acesso das mulheres ao ensino superior e uma certa melhoria da estratificação, mas o mesmo não pode se dizer quanto à estratificação por raça/cor.

 
publicado por o editor às 18:28
link | comentar | favorito

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

.subscrever feeds