Sexta-feira, 21 de Agosto de 2015

Desemprego surpreende e atinge 7,5% no mês de julho

 

 

 A taxa de desemprego medida pelo IBGE surpreendeu negativamente os analistas, que esperavam que o nível de desocupação passasse de 6,9% em junho para 7% no mês de julho, tendo registrado de fato crescimento para 7,5% no mês passado. Na comparação com o mesmo período de 2014, a taxa de desemprego passou de 4,9% para os atuais 7,5%, tendo se elevado em todas as regiões metropolitanas pesquisadas. O aumento do desemprego se deveu, em grande medida, ao crescimento da população não ocupada, que apresentou alta de 9,4% entre junho e julho e 56% na comparação com julho de 2014. Já a população ocupada se manteve estável, tendo variado negativamente em setores como indústria    (- 4%) e construção civil (-5,2%), mas se ampliando em setores como educação, saúde e serviços públicos (4,2%). O emprego com carteira assinada também apresentou redução, de 1,5% na comparação com junho e 3,1% em relação a julho de 2014, tendo o rendimento médio real habitual recuado 2,4% na comparação com o mesmo mês de 2014.

Comentário: O rápido crescimento do desemprego aparece como uma das preocupações centrais do governo, que após lançar o Plano de Proteção ao Emprego (PPE), anunciou ontem a constituição de linhas de crédito de bancos públicos para empresas que mantiverem seus trabalhadores empregados. Apesar disso, a situação se deteriora rapidamente, pois muitos jovens que estavam fora do mercado de trabalho estudando e se qualificando se veem obrigados a procurar empregos, dada a queda na renda da família e eventual perda de emprego dos pais. A reversão deste cenário só ocorrerá quando o processo recessivo no qual adentrou a economia brasileira for estancado, fato que certamente não ocorrerá caso se insista em aprofundar o malfadado “ajuste” que nos trouxe a situação atual. Conforme já apontado até por analistas liberais, a estratégia do “ajuste” fracassou pois errou em seus pressupostos, minimizou os efeitos recessivos e não foi capaz de recuperar a confiança da economia brasileira, jogando-a em uma espiral descendente. A saída deste cenário passa pela recuperação da capacidade de investimento do Estado, seja através de parcerias com o setor privado (concessões e PPPs) ou aumento dos investimentos públicos, assim como pela redução das injustificáveis taxas de juros que dilapidam os resultados fiscais do Brasil, impondo excessivo custo à dívida pública. A combinação de aumento dos investimentos, câmbio desvalorizado e juros mais baixos pode recriar as condições mínimas para o aumento da demanda e da confiança empresarial, revertendo o atual cenário recessivo no médio prazo e assentando as bases para um novo projeto de desenvolvimento nacional, que deve conter muitos outros elementos além da política de curto prazo aqui sugerida. A insistência e aprofundamento do “ajuste” fiscal apenas reforçará a espiral recessiva atual, sendo incapaz de reverter o grave cenário fiscal e de falta de confiança, arriscando as conquistas econômicas e sociais dos últimos doze anos.

 
publicado por o editor às 13:42
link | comentar | favorito

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

.subscrever feeds