Sexta-feira, 7 de Agosto de 2015

Gravado no Paraíso

 

Entrevista com Giridhari Dasa

Canal de YouTube sobre a consciência de Krishna completou um ano em maio, e Volta ao Supremo entrevistou seu criador para saber como o canal teve início, qual foi a inspiração, quais os vídeos favoritos e mais.

Volta ao Supremo: Seu canal de YouTube completou um ano de atividades em maio, com quase 100 mil visualizações e bem mais de 1000 inscritos [hoje está com 143 mil visualizações e 1832 inscritos]. Para quem não o conhece, pode comentar sobre qual é a proposta do seu canal de vídeos?

Giridhari: A proposta do meu canal é igual a tudo mais que tento fazer: facilitar às pessoas em geral o acesso ao maravilhoso caminho da consciência de Krishna e Srila Prabhupada.

Volta ao Supremo: Além da plataforma relativamente inovadora, a forma como o conhecimento é apresentado também é, de alguma forma, inovadora?

Giridhari: De fato estou, sim, explorando novas maneiras de apresentar nossa milenar tradição e seus pontos mais importantes. Estou buscando uma linguagem bem acessível e universal. Busco tocar em assuntos corriqueiros e enfatizar a aplicação real, no dia-a-dia, dos nossos conceitos.

Volta ao Supremo: São, em geral, vídeos curtos. Por quê?

Giridhari: Pesquisas mostram que os vídeos mais compartilhados no YouTube têm uma duração média de 3 minutos. Tem muita gente, falando muita coisa, muitos vídeos, muitos textos, muitos livros... estamos sobrecarregados. Assim, para ser ouvido, é melhor manter sua mensagem curta e simples, bem como facilmente digerível. Caso contrário, são poucos e raros os que terão tempo (vontade) para lhe dar atenção todas as semanas.

Volta ao Supremo: Qual vídeo mais gostou até agora?

Giridhari: Difícil dizer. Gosto de todos, para ser sincero! Fico feliz que um dos mais visualizados seja o primeiro, onde ensino a fazer a meditação de japa, nossa meditação mântrica. Já está com quase 9 mil visualizações. (goo.gl/7TuwhD) Outro que gosto muito é aquele que explico a importância histórica de Srila Prabhupada. (goo.gl/YHhPZl)

Volta ao Supremo: A que acha que se deve o sucesso do vídeo sobre meditação mântrica?

Giridhari: Acho que preencheu uma lacuna: um vídeo prático ensinando esta poderosa e milenar prática de meditação em português. Simplesmente não tinha um, que eu saiba.

Volta ao Supremo: O público interage bem com os vídeos? As pessoas costumam escrever comentando o impacto dos mesmos em suas vidas?

Giridhari: Sim, isso tem me inspirado muito. Tenho recebido muitos e muitos comentários incríveis. Pessoas me escrevem pelo Facebook, pelo meu site e direto na página dos vídeos, com testemunhos belíssimos. Isso tem me motivado e me mostra que esta abordagem é muito válida e eficaz.

Volta ao Supremo: De onde surgiu a ideia do canal? No princípio, imaginou que teria o sucesso que tem?

Giridhari: Krishna tem me inspirado, há anos, a trabalhar com vídeos. Ficava sem saber por onde começar, como fazer. Fiquei enrolando Krishna! Aí finalmente venci minha inércia e comecei a fazer, em maio de 2014.

Imaginei que, no começo, teria algo em torno de 60 visualizações para um vídeo, ou até menos. Me surpreendi com o resultado. Ao mesmo tempo, nunca esqueço que, no mundo YouTube, um vídeo com mil visualizações é um zero à esquerda. Não é nada. Então, estou ciente que 100 mil visualizações em um ano é completamente insignificante. Mas neste caminho fazemos nosso melhor e oferecemos o resultado a Krishna. Assim, não dou bola quando surge na minha mente essa ânsia sobre o número de visualizações ou de inscritos. Deixo isso com Krishna e simplesmente tento fazer bons vídeos.

Volta ao Supremo: Qual a periodicidade dos vídeos?

Giridhari: Sempre coloco um novo vídeo no ar todas as terças-feiras, às 8 da manhã.

Volta ao Supremo: Qual o perfil do público alcançado? É um público amplo ou mais específico?

Giridhari: Creio que seja um público bem amplo, até pelo fato de tantas novas pessoas me procurarem pelo Facebook, pessoas que não conhecia antes.

Volta ao Supremo: Onde acontecem as gravações? Como são feitas?

Giridhari: As gravações acontecem aqui no Paraíso dos Pândavas. Temos 400 hectares aqui, com muitos lugares bonitos – afinal, é realmente um paraíso. Faço em diferentes lugares, de acordo com a inspiração e o horário do dia. Faço de forma muito simples. Até o final do ano passado, estava fazendo com meu celular mesmo! Agora estou com uma câmera de vídeo simples, mas boa: a Canon Vixia Mini X. Faço tudo sozinho. Levo o tripé, a câmera e uma almofada (às vezes esqueço a almofada e me arrependo!) e gravo o vídeo. Faço sem script, na inspiração, sem cortes.

Volta ao Supremo: Você comentou sobre ter demorado para haver um vídeo explicando como cantar japa. Que outras coisas básicas você acha que já deveríamos ter há muito tempo e ainda não temos?

Giridhari: Acho que temos que ter tudo bem explicado em vídeo: como adorar a Deidade, como oferecer prasada, tocar harmônio, aulas e cursos completos etc.

Volta ao Supremo: Você pretende fazer tudo isso ou parte disso? Quais os planos agora com um ano de experiência?

Giridhari: Tenho um estilo mais intuitivo. Deixo Krishna me guiar, sem planos muitos distantes. Vou sentindo e vendo o que Krishna quer e tentando satisfazê-lO.

Volta ao Supremo: Gostaria de deixar uma última mensagem?

Giridhari: Gostaria de encerrar esta entrevista encorajando mais devotos a explorarem este recurso, o YouTube. É uma questão de tempo, pouco tempo, eu imagino, até chegarmos ao ponto de termos redes 4G pelo Brasil nas grandes cidades e, assim, planos de celular cada vez mais baratos de uso livre de dados. Com isso, haverá um tremendo aumento na visualização de vídeos na internet. Diferentes devotos podem fazer diferentes canais, cada um com seu ângulo. Já imaginou um canal de culinária Hare Krishna? E, então, outro de música, de palestras, outro no estilo do meu com curtas mensagens, ainda outro só sobre adoração de Deidade etc.? Vamos pensar nisso?

Inscreva-se no canal: www.youtube.com/user/gdtubebr.

Se gostou deste material, também gostará destes: Grupo de Estudos Védicos:  Quando o Facebook é Sadhu-sangaMinistério Prisional da ISKCON: Liberdade Espiritual Atrás das GradesSankirtana: Nós e o Público.

 

 

Do Blog Volta ao Supremo. Leia outros artigos em www.voltaaosupremo.com.

 

publicado por o editor às 13:22
link | comentar | favorito

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

.subscrever feeds