Terça-feira, 31 de Março de 2015

I Colóquio de Estudos Sobre Hinduísmo e Vaishnavismo

 

Por Dhanvantari Swami

 



Introdução

O “Colóquio”, como ficou conhecido entre os participantes, surgiu como uma oportunidade especial de demonstrarmos nossa base científica, nossa tradição e história dentro do contexto da academia, onde o proselitismo não encontra espaço.

Sem dúvida alguma a característica mais interessante do Colóquio foi ser a primeiríssima iniciativa acadêmica de reunir em formato universitário padrão os pesquisadores dos temas Hinduísmo e Vaishnavismo neste país. Surpreendentemente, aconteceu em Campina Grande, do dia 17 a 20 de março deste ano, 2015, como uma iniciativa de parceria entre as universidades públicas locais (UFCG e UEPB), o NEHVA (um núcleo de pesquisa do CNPQ) e o Instituto Jaladuta. Se quiser, visite o site:

http://coloquiovaishnavismo.wix.com/coloquiovaishnavismo

 

Para o Instituto Jaladuta, receber o voto de confiança de ser uma insitituição séria de ensino no campo de pesquisa proposto foi o momento mais glorioso em seus 15 anos de existência. A parceria com as universidades e o núcleo do CNPQ em um evento não-religioso estimulou no Jaladuta o desafio mais exigente em seu caminho rumo à emancipação de sua natureza exclusivamente confessional para a vocação científica conjugada com a prática de bhakti. Reconheço que ainda temos de “comer muito feijão” para merecer a respeitabilidade que recebemos nesse evento, mas, estamos muito motivados e até “famintos” por isso.

Além dessa pequena apresentação, pretendo expor neste texto minhas observações sobre os seguintes tópicos:

  1. Participação de alguns dos mais reconhecidos pesquisadores do tema no Brasil.
  2. Importância de representatividade nossa na Academia.
  3. Nova geração de devotos cultos, sóbrios e responsáveis.
  4. Publicação de Livros.
  5. Festival Hare paralelo.

1- Participação de alguns dos mais reconhecidos pesquisadores do tema no Brasil.

No território nacional, apenas duas universidades federais têm o curso de Ciência da Religião nos níveis de graduação, especialização, mestrado e doutorado, são: Universidade Federal de Juiz de Fora, no estado de Minas Gerais, e a Universidade Federal da Paraíba em João Pessoa. A Universidade Estadual do Rio Grande do Norte e algumas universidades privadas também oferecem Ciência da Religião como curso de graduação.

O fenômeno religioso tem sido estudado em várias áreas do conhecimento como sociologia, antropologia e filosofia. O estudo de línguas antigas como sânscrito, latim e grego também atraem linhas de pesquisa no campo da religião, mas, no Brasil, o tema Hinduísmo e Vaishnavismo tem especialmente sido pesquisado pelos cursos de Ciência da Religião.

No campo do Hinduísmo estão o Yoga, a Literatura Védica, o Vedanta, o sânscrito, e sua interação com os interesses atuais como arquitetura (Vastu Sastra), saúde (Ayur-veda), arte (dança, música e artes plásticas) e religião. É principalmente nessa última categoria que nós, membros da ISKCON, temos sido observados sob o ponto de vista científico.

O Colóquio atraiu onze pesquisadores de universidades brasileiras e um da Espanha que não são membros da ISKCON. Atraiu também vinte pesquisadores membros da ISKCON, sendo dezesseis inseridos no contexto da academia em diferentes países como Brasil, Inglaterra, Bélgica e Argentina, e quatro que são pesquisadores independentes no Brasil. Além dos palestrantes, o Colóquio também atraiu participantes inscritos como ouvintes, em sua grande maioria alunos e professores da UFCG e membros das ISKCONs local e regional. (vejam foto em anexo)

Por favor, vejam nas três listas abaixo os palestrantes não-membros e membros da ISKCON em suas duas categorias. Observem seus nomes, currículos resumidos, as instituições de pesquisa com as quais estão comprometidos e os temas por eles abordados. Vejam como o panorama da congregação ISKCON no Brasil Yatra está se modificando, e considerem esta nova vertente de interesse e vocação que desponta entre os devotos.

Não membros da ISKCON:

  1. Dilip Loundo. Doutor em Filosofia. Professor da UFJF. Falou sobre “BG 7.17-19. Os 4 tipos de bhaktas”.
    2. Marcos da Silveira. Doutor em Antropologia. Professor da UFPR. Dissertação e Tese publicados sobre Centenário de Prabhupada e devotos da ISKCON. Falou sobre “Victor Turner e Bhakti-Yoga.”
    3.       Vitor Adami. Doutor em Antropologia. Pesquisador na Universidade Pública de Tarragona, Espanha. Falou sobre “O Vaishnavismo Gaudiya e suas Experiências de Bhakti-yoga”.
    4.       Fabrício Possebon. Doutor em Letras. Professor da UFPB. Tema: “Interpretação Concretista do Rig-Veda X- 136.”
    5.       Sandra Erickson. Doutora em Literatura. Professora da UFRN. Tema: “Dreadlocks: Tranças em trânsito. Traçados Hinduístas na poesia de Augusto dos Anjos”.
    6.       Gracilene Medeiros. Doutoranda em Letras na UFPB. Tema: “O Saber Presente no Ser: Uma Manifestação da Sabedoria do Todo Refletida no Eu.”
    7.       Lúcia Gnerre. Doutora em História. Professora da UFPB. Tema: “Hatha-yoga no Gheranda Samhita e suas Conexões com o Vaishnavismo.”
    8.       Maylle Benício. Doutoranda em Sociologia na UFPB. Tema: ”Perspectivas Crítico-Acadêmicas sobre o Movimento Hare Krishna no Brasil”. 
    9.       Bruno L Souza. Bacharel em Filosofia pela UFAM. Tema: “A teoria do Carma enquanto Solução para o Problema do Mal”.
    10.   Eanes Pereira. Doutor em Computação. Professor da UFCG. Tema: “O Raja Yoga de Patanjali como Método para Alcançar o Estado de Autorrealização descrito por Dattatreya no Tripura Rahasya.”
    11.   Jozelma Pereira. Graduanda em Filosofia na UEPB. Tema: “A Arte e a Religião na Filosofia Schopenhaueriana”
    12.   Valkiria Melo. Graduanda em Filosofia na UEPB. Tema compartilhado: “A Arte e a Religião na Filosofia Schopenhaueriana”.

Membros da ISKCON

1-      Categoria de Pesquisadores Independentes:

1-      Purushatraya Swami. Bacharel em Ciências Militares e Administração. Escritor. Tema: “Introdução ao Vedanta Vaishnava” e “Uma breve Análise das Linhas Monista e Teísta do Sistema Vedanta”.

2-      Sri Damodara DD. Bacharel em Letras. Escritora. “Aspectos-Lítero-Linguísticos em Foco”: Sociologia, Dialogismo e Autoridade no Bhagavata Purana de Vyasadeva.”

3-      Haribhakta Dasa. (Instituto Jaladuta) Psicólogo. Escritor. Tema:  “O Sofrimento no mundo e sua função no Plano Divino: Uma interface entre a visão Hindu e a Psicologia Junguiana.”

4-      Fernando Dias. Arquiteto. Tema: “Contribuições do Vastu Sastra, sistema de construção tradicional védico, para a melhoria da qualidade de vida urbana moderna.” 

Membros da ISKCON

2-      Categoria de vinculados a universidades:

1.       Krishna Ksetra Swami. Doutor em Estudos Religiosos pela Universidade de Oxford / Inglaterra. Professor no Oxford Centre for Hindu Studies. Temas: “Textos e Contextos no Estudo sobre Hinduísmo e Vaishnavismo” e “Tecnologias Indianas de Autodescoberta”.
2.       Ramacarita Dasa. Doutor em Filosofia. Escritor. Professor da UFCG e UFPB. Tema: “Fé e Razão na Tradição Vedanta Vaishnava.”
3.       Kamalaksi Rupini dd.  Mestranda em Artes pela UFMG. Tema: “O corpo sagrado como meio de perfeição espiritual.”
4.       Padmavati dd. Mestre em Filosofia. Tema: “Discussões acerca do conhecimento: Reinventando a Roda”
5.       Nityananda Prana Dasa. Mestrando em Engenharia pela UFPB. Tema compartilhado: “Discussões acerca do conhecimento: Reinventando a Roda”
6.       Mahakrsna Nama Dasa. Mestrando em Filosofia pela PUC-MG. Tema: “A perspectiva do Amor na Narrativa do Bhagavata Purana.”
7.       Vira Nitai Dasa. Mestrando em Ciências Sociais pela UFPR. Tema: “O Fio da Meada: O estudo de trajetória como possibilidade de se pensar a relação entre vaishnavismo e contracultura.”
8.       Sastra Dasa. Bacharel em Letras pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Caruaru. Tema: “O Dialogismo e a Alteridade dentro do Bhagavad-Gita: Um diálogo entre interlocutores.”
9.       Krishna Parayana Dasa. Mestrando em História pela UFRPE. Tema: “Movimentações, Estranhamentos e Encantos: Olhares sobre o Movimento Hare Krishna em Caruaru (1986-2013)”.
10.   Sri Madhava Dasa. Mestre em Enfermagem pela Universidad Nacional de Córdoba/Argentina. Tema: “El punto Ciego. Un  Punto de Encuentro con los Vedas, desde una Perspectiva Junguiana”.
11.   Mitravida DD. Graduanda em Ciência da Religião no Bhaktivedanta College, Belgica. Tema: “Quão Importantes são a renúncia e o desapego na tradição Hindu?”      
12.   Vasudeva Parayana Dasa. Mestre em Filosofia. Professor da UNISUL/ SC. Tema: “Três abordagens ao conhecimento Védico: Uma Reflexão Hermenêutica.”
13.   Lokasaksi Dasa. Doutorando em Ciência da Religião pela UFJF. Temas: “Bhakti-Rasa: A Teologia Estética do Vaishnavismo Gaudyia” e “Introdução ao Hinduísmo”.
14.   Kanan Dasa. Doutor em Agroecologia. Professor da UEPB. Tema: “O Movimento Hare Krishna e o Paradigma Agroecológico.”
15.   Tayama Uchoa.  Mestranda em Agroecologia. Tema Compartilhado: “O Movimento Hare Krishna e o Paradigma Agroecológico.”
16.   Gurusevananda Dasa. Bacharel em Ciências Militares. Graduando em Ciência da Religião pelo Bhaktivedanta College, Belgica. Tema: “Gitopanishad – Semelhanças entre a Bhagavad-Gita e as Upanishads.”

Mais algumas palavras antes de concluir este ponto:

Eu gostaria de apontar a excelente qualidade dos trabalhos de todos os devotos pesquisadores que participaram do Colóquio. Um deles,Krishna Ksetra Swami, com vasta experiência no campo da Academia, tem interagido com universidades seculares e exigentes como Oxford e outras. Ele foi o acadêmico internacional convidado como o mais importante do Colóquio.

Alguns devotos, já muito conhecidos entre nós, como Purushatraya Swami, Lokasaksi e Gurusevananda brilharam de maneira especial demonstrando responsabilidade em transmitir o conhecimento fruto de suas pesquisas teóricas e vivência confessional.

Gurusevananda foi tão brilhante que uma professora da UFPB, doutora em História, após ouvir sua palestra, o convidou para orientá-lo em nível de Mestrado, recomendando que o tema de sua pesquisa seja desenvolvido em cima do tema da palestra então proferida. Temas abordados por ele em sua palestra foram citados várias vezes por Prof. Dilip Loundo da UFJF enquanto proferia a palestra escolhida para o horário nobre de encerramento do Colóquio.  

Outros devotos acadêmicos que tiveram seus trabalhos comentados positivamente por acedêmicos palestrantes não devotos foram Vasudeva Parayana e Mitravinda.

Posso dizer a vocês que eu assisti 100% das palestras dadas e mais dois mini-cursos. Estava “possuído” por visão crítica e atento a todas as falhas técnicas e comportamentais que os devotos pudessem cometer. Meu interesse era proteger a imagem do Instituto Jaladuta como parceiro na realização do Colóquio e evitar que membros da ISKCON, inexperientes no meio acadêmico, cometessem erros que desmerecessem o prestígio de Srila Prabhupada.

Minha impressão final foi a melhor possível. Os palestrantes devotos, bem como os devotos participantes do Colóquio, foram representantes genuínos da ISKCON naquele ambiente laico e acadêmico. Tiveram conduta irrepreensível demonstrando a devida postura ética como participantes do primeiro evento científico onde a tradição de Caitanya foi apresentada a um público acadêmico padrão.

2- Importância da representatividade da ISKCON na Academia.

A ISKCON é a mais antiga instituição confessional do Vaishnavismo-Gaudiya neste país. Ela encontra-se bem amadurecida em vários aspectos de sua práxis. Possui e mantem templos e comunidades rurais onde se pratica o conhecimento professado e interage com interessados e curiosos que visitam seus centros. Sua editora, a BBT (Bhaktivedanta Book Trust), tem, em língua portuguesa, a totalidade dos livros produzidos por seu Acarya Fundador, A.C. Bhaktivedanta Swami Prabhupada. No que se refere à pesquisa científica e ao ensino de suas filosofia e teologia, no entanto, a ISKCON simplesmente ensaia seus primeiros passos.

Membros da ISKCON começam a se capacitar e a conquistar espaços privilegiados no mundo acadêmico. E, porque são conscientes do conhecimento teórico da tradição da instituição da qual fazem parte, aproveitam as estruturas seculares disponíveis no meio acadêmico para estimular na ISKCON a iniciativa de estudo, pesquisa e ensino de acordo com o método científico.

Foi mais ou menos isso que aconteceu no Colóquio. O Instituto Jaladuta se organizou como departamento de educação da ISKCON. Ramacarita  se capacitou como pesquisador e professor da UFCG. Ao pensar em oferecer ao público um pouco do conhecimento a respeito da área que ele e outros eruditos pesquisam, solicitou parceria com o Instituto Jaladuta, portanto, indiretamente com a ISKCON, que, por sua vez, participou nessa experiência vivenciando uma nova postura ética, na qual o proselitismo e espírito missionário deram lugar ao conhecimento científico.

Até o momento, há relativamente poucos trabalhos científicos publicados na forma de monografias, dissertações e teses pelas universidades brasileiras sobre Hinduísmo e Vaishnavismo. Por outro lado, encontram-se muitos trabalhos que estudam outras tradições que, como nós, tornaram-se populares na década de setenta. Acredito que isto ocorra por três influências principais:

- A primeira, de natureza mais ampla, seria a falta de interesse científico pela contribuição da cultura indiana no mundo em geral.

- A segunda, que deriva da primeira, seria a falta de pesquisadores experientes no tema, para servirem como orientadores para novos trabalhos.

- A terceira, por intuição e observação empírica de minha parte, eu diria que nós, devotos da ISKCON, demoramos mais que outras tradições para adentrar o mundo acadêmico e estimular a pesquisa científica sobre os saberes que detemos. Diferente disso, muitas tradições que como nós, abordavam o público alvo nas ruas das cidades, rapidamente aproveitaram a abertura democrática das universidades após a queda da ditadura militar e passaram a interagir com o meio universitário como substituto ideal da rua.

Todos nós, membros da ISKCON no Brasil, devemos estar atentos para as novas possibilidades de interação com a socieade laica. Considerando a importância do conhecimento que traz para a sociedade humana, a ISKCON pode promover mútuo entusiasmo entre seus membros dotados de vocação intelectual para o estudo e a pesquisa, de forma que possam contribuir com trabalhos científicos acerca do Vaishnavismo Gaudiya em toda a sociedade. Claro que nesse sentido, o papel da liderança da ISKCON é fundamental. Eu já abordei especificamente a liderança sobre isso. Pelo menos, o assunto já está rolando...

3         - Nova geração de devotos: sóbrios, responsáveis e cultos.

A sucessão da liderança da ISKCON é uma marcante preocupação atual do GBC e, consequentemente, de todos os devotos que já despertaram para a importância fundamental de seu compromisso pessoal com a herança que receberam do parampara.

Uma parte triste da realidade que enfrentamos hoje em dia é que temos amargurado o insucesso de não ver um número expressivo de membros da segunda e terceira gerações ocupados na prática debhakti-yoga. Neste Colóquio, contudo, pudemos ver vários homens e mulheres jovens-adultos ocupados em estudar seriamente a tradição Vaishnava Gaudiya e esforçando-se para explicar seu fenômeno religioso sob a luz de teóricos da Sociologia, Antropologia, Filosofia, Psicologia, etc. Sem dúvida, isso é muito animador. 

Tomando como exemplo o idealizador do Colóquio, Ramacarita Prabhu, vemos um homem de quarenta anos com currículo exemplar, pai de três filhas muito inteligentes e educadas. Ele “abriu a caixinha” de sua visão espiritual e, movido por sua natureza intelectual, buscou contatos internacionais com pessoas ocupadas em pesquisas sobre o vaishnavismo gaudiya. Isso evoluiu para a interação e intercâmbio de oportunidades, tanto que pôde apresentar trabalhos científicos em um congresso de Estudos Indianos da Universidade de Oxford e também num encontro acadêmico no Bhaktivedanta College da Bélgica. Fez tudo isso de maneira formal através do interesse da universidade na qual pesquisa e ensina. Seu nome, rapidamente está se espalhando entre os pesquisadores internacionais desse tema. Da mesma forma, através dos recursos padrão da universidade, ele idealizou e organizou o Colóquio no Brasil, trazendo renomados pesquisadores internacionais e também deste país. 

Os tempos pioneiros tendem a passar, então, nossos filhos e netos sentir-se-ão muito mais amparados por verem sua tradição sendo conhecida e estudada por sérios formadores de opinião inseridos em posições de destaque no mundo secular. Para as próximas gerações a prática do vaishnavismo poderá ser percebida como muito menos “alienígena” do que tem sido para a nossa.

Qual a importância disso? Posso arriscar duas sugestões de respostas:

1-      Fundamentação científica e reconhecimento social para a prática vaishnava gaudiya; e

2-      Estímulo ao desenvolvimento do projeto de organização socialvarnashrama-dharma, que é base para a interação harmoniosa entre as pessoas e esperança de oportunidades sociais igualitárias para pessoas com naturezas diferentes.

Na tentativa de explicar minhas sugestões de respostas dadas acima, eu poderia destrinchar muito mais este texto, mas, acho que ele já está de bom tamanho. Além disso, o tema pode se tornar motivo deistagosthis filosóficos e evoluir para discussão em diferentes grupos de devotos interessados. Vamos deixar como está para ver como é que fica...

      4-  Lançamento de Livros.

Prabhupada queria que a ISKCON se desenvolvesse através da divulgação da proposta filosófica e pragmática de Caitanya para a sociedade humana da atualidade. Ele escreveu e publicou muitos livros e também estimulou seus seguidores a fazerem o mesmo.

O Colóquio foi o momento escolhido para o lançamento de duas importantes obras literárias sobre Hinduísmo e Vaishnavismo.

A JURUÁ EDITORA publicou o “FILOSOFIA E TEOLOGIA DA BHAGAVAD-GITA” que tem dois subtítulos explicativos: “Hinduísmo e Vaishnavismo de Caitanya” e “Homenagem a Howard Resnick”.

Este livro foi organizado por Ramacarita Dasa e Isvara Krishna Dasa, ambos doutores em Filosofia e professores de importantes universidades. É uma antologia de dez artigos escritos por pesquisadores de temas como:

1-      “Contexto e Estrutura da Bhagavad-gita” de Isvara Krsna Dasa.

2-      “A Hermenêutica Transformativa da Bhagavad-gita” de Dilip Loundo.

3-      “Krishna na Bhagavad-gita”de Hridayananda Dasa Goswami.

4-      “Autoridade e Experiência Religiosa na Bhagavad-gita” deKrishna Kshetra Swami.

5-      “A Noção de Conhecimento Na Bhagavad-gita” de Ramacarita Dasa.

6-      “O Yoga da Bhagavad-gita” de Graham M Schweig

7-      “Quatro Versos Especiais Na Bhagavad-Gita e No Bhagavata Purana”,  Satyaraj Dasa.

8-      “O Renascimento da Ortodoxia Vaishnava” de Adikaruna Dasa.

9-      “Identidade e Legitimidade Na Sampradaya Vaishnava de Caitanya” de Radhika Ramana Dasa.

10-   “Hinduísmo e Vaishnavismo” de Hridayananda Dasa Goswami.

 O livro, acessível a todos os públicos do Brasil, constitui uma homenagem em estilo acadêmico aos 40 anos de Sannyasa de Hridayananda Das Goswami, comemorado em 2012.

A Editora da Universidade Federal de Juiz de Fora publicou a tradução em português do livro “UMA INTRODUÇÃO AO HINDUÍSMO”, de Gavin Flood. Este foi traduzido e prefaciado pelo Prof. Dilip Loundo da mesma universidade e saiu da gráfica diretamente para o Colóquio.

Um detalhe interessante neste livro é que, como nos livros da Editora Bhaktivedanta Book Trust, o clássico Bhagavad-gita é abordado com o artigo masculino “O” diferente da maioria corrente de outras publicações que o fazem com o artigo feminino “A”.

           5- Festival Hare paralelo.

O Instituto Jaladuta hospedou alguns palestrantes e membros participantes do Colóquio. Isso favoreceu um verdadeiro FestivalCaitanyaita no Templo de Maha-Gaura-Nitai à noite e de madrugada. Todos os dias o restaurante funcionou com café da manhã, almoço e jantar. Durante a festa de encerramento do Colóquio foi servido um jantar indiano no restaurante do Condomínio para todos os participantes do Evento. Todos tiveram o darshan das Deidades e se deliciaram com Prasada.

Conclusão

Para concluir, eu gostaria de transmitir a impressão que mais profundamente marcou minha compreensão acerca da importância doI Colóquio de Estudos Sobre Hinduísmo e Vaishnavismo  no Brasil.

Considerando a participação de alguns acadêmicos membros da ISKCON nesse Evento, tudo indica que um bom nível de amadurecimento intelectual vem ocorrendo em nossa Sociedade. Se isso realmente é assim, então estamos no caminho certo para a construção de um esteio importante na continuidade dos trabalhos confessionais iniciados por Prabhupada.

A esperança de construirmos na ISKCON um sistema social abrangente e “cosmopolita” tal como o varnashrama-dharma, torna-se mais viável quando os saberes brahmânicos são devidamente apropriados por membros vocacionais da instituição e tornam-se acessíveis aos membros em geral através de iniciativas educacionais e organizacionais. 

Quanto desenvolvimento humano, e quanto bem social e institucional podem advir do trabalho cooperativo entre nós, líderes do Yatra e membros em geral, se considerarmos a relevância de adquirir e distribuir o conhecimento espiritual informativo e  transformador!

 

O M  T A T   S A T  !

 

publicado por o editor às 21:18
link | comentar | favorito

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

.subscrever feeds