Terça-feira, 8 de Novembro de 2016

KAROL CONKA CONVIDA TÁSSIA REIS E JANINE MATHIAS PARA PROJETO INÉDITO EM CURITIBA

 

 

Parceria contará com gravação de faixa inédita, além de quatro shows no mês de novembro

 

 

 

Curitiba será palco de um encontro inédito: as cantoras e compositoras Karol Conka, Tássia Reis e Janine Mathias vão se reunir na cidade durante o mês de novembro para compor e gravar uma faixa, além de realizar uma temporada de quatro shows pensados exclusivamente para este projeto. O encerramento será na tarde do dia 19 de novembro (sábado), com uma apresentação gratuita na Boca Maldita.

 

A ideia do projeto surgiu da curitibana Karol Conka. O plano era juntar duas de suas colegas para criar um show inédito. De quebra, vão compor e gravar em parceria uma nova faixa. A batida ficará a cargo do também curitibano Boss in Drama, cuja amizade com Karol já rendeu os sucessos Toda doida e Lista VIP. A direção musical será de Marcelo Cabral, músico e produtor dos últimos três álbuns do Criolo.

 

O resultado dos ensaios será apresentado em quatro shows em Curitiba: um no Teatro do Paiol, um no bairro Cajuru e outro no Boqueirão, bairro onde Karol viveu a infância e adolescência. Estes três primeiros serão destinados a estudantes da Rede Pública e não serão abertos ao público em geral. O quarto, a ser realizado na Boca Maldita, fará parte do programação do Tijucão Cultural e deve receber boa parte dos milhares de fãs curitibanos do trio.

 

O projeto foi contemplado pelo Programa de Apoio e Incentivo à Cultura, da Fundação Cultural de Curitiba e Prefeitura Municipal de Curitiba, e conta com o incentivo da Caixa Econômica Federal.

 

Karol Conka

Prestes a lançar seu aguardado segundo álbum, Karol Conka vive o melhor momento de sua carreira. Com turnês pela Europa e Ásia, shows lotados em todo o Brasil, milhões de visualizações em seus clipes, sucessos recentes como Tombei e É o poder, e a apresentação na cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos Rio 2016, a rapper curitibana volta à cidade onde nasceu e se consolidou como cantora e compositora.

 

O novo disco sai em breve, com produção da dupla Tropkillaz, pelo selo Buuum Trax – Skol Music. Recentemente, lançou a primeira música de seu novo trabalho. A faixa Maracutaia ganhou clipe com a participação de Taís Araújo e Lázaro Ramos. Seu primeiro álbum, Batuk freak, lançado em 2013, ganhou o mundo, tendo sido lançado na Europa e conquistou críticas positivas da imprensa do Velho Continente, bem como nos Estados Unidos.

 

Tássia Reis

Acostumada a ouvir Clara Nunes por influência da mãe, Jackson 5 do pai e os raps de Sabotage, RZO, Expressão Ativa e Racionais MCs por força do irmão, a paulista Tássia Reis passou a escrever textos que já vinham acompanhados de melodias, com propostas de harmonias e arranjos. Sua primeira investida em estúdio resultou no single Meu rapjazz, cujo clipe com 10 mil visualizações em apenas um dia mostrou que ela estava no caminho certo.

 

Com o passar do tempo, sua participação em projetos foi crescendo. Foi convidada para cantar com Marcelo D2, gravou com Izzy Gordon, fez shows com a banda de jazzrap Mental Abstrato, foi para o universo das rimas femininas no projeto Rimas e Melodias, entrou para a discussão de gêneros que sempre propôs no Salada de Frutas. Sua posição política a levou a novas composições, que culminaram no álbum Outra esfera, lançado recentemente.

 

Janine Mathias

A cantora e compositora Janine Mathias é filha de sambista do berço boêmio de Brasília, cidade onde nasceu. Radicada em Curitiba desde 2009, foi no rap em que fez sua morada. Sua voz rouca em cima de beats e grooves, ela se dedica ao que chama de soul-rap. Em 2012, lançou o EP Eu quero mergulhar, tendo ainda clipes e singles divulgados durante os últimos anos. Já se apresentou ao lado de artistas nacionais e internacionais, como Akua Naru, Mamy The Miss Skills, Gól Wayne, Tássia Reis, As Bahias e a Cozinha Mineira, Aláfia, Michele Mara, entre outros.

 

Desde 2014 comanda o já tradicional Samba da Nega, festa que em quase 50 edições soma um público de aproximadamente cinco mil pessoas. Mais recentemente, ajudou a formar a Orquestra Friorenta, banda que reuniu talentos de Curitiba e rapidamente tornou-se referência na cidade, com shows lotados.

 

 

 

Serviço:

Música: Karol Conka, Tássia Reis e Janine Mathias

Data: 17 e 18 de novembro (shows fechados no Teatro do Paiol, no Cajuru e Boqueirão)

Data: 19 de novembro de 2016

Local: Boca Maldita – Centro – Curitiba (PR)

Hora: sábado, às 16h20

Entrada grátis

 

publicado por o editor às 18:04
link | comentar | favorito
Segunda-feira, 7 de Novembro de 2016

EDIFÍCIO TIJUCAS TRANSFORMA-SE EM ENORME CENTRO CULTURAL POR UM DIA E LEVA ARTE PARA OS ARREDORES DA BOCA MALDITA

 

 
 
Quarta edição do Tijucão Cultural terá salas e corredores com obras, apresentações no calçadão, intervenções artísticas, gastronomia e formação de agentes culturais
 
 
 
Pelo quarto ano seguido, o mês de novembro transforma um dos edifícios mais emblemáticos de Curitiba em um enorme centro cultural e criativo. No dia 19 (sábado), o Edifício Tijucas, cravado em plena Boca Maldita, abre as portas para a quarta edição do Tijucão Cultural. Neste ano, além de ocupar dezenas de salas do prédio, o projeto se estende às redondezas, contando inclusive com um palco no calçadão da rua XV de Novembro, que terá em sua programação um show de Karol Conka e duas convidadas especiais.
 
O movimento diário de entra e sai das salas comerciais dos 21 andares do Edifício Tijucas vai mudar completamente no dia 19 de novembro. Isso porque mais de 30 salas serão ocupadas pelo projeto. Em cada uma delas, o visitante poderá conferir uma exposição de quadros, objetos ou mesmo acompanhar uma performance. Trinta e cinco artistas foram selecionados em edital para apresentarem seus trabalhos na ocasião. A dica é entrar no prédio e vasculhar os andares em busca das obras.
 
O edifício estará aberto à visitação com entrada gratuita das 13h às 19h. Na rua, no entanto, a programação começa pela manhã. As atividades no palco montado na Boca Maldita começam às 10h15, com intervenções, batalha de rimas e shows. O destaque fica por conta da apresentação que Karol Conka fará ao lado das cantoras Tássia Reis e Janine Mathias, em um projeto inédito. Haverá também uma área de alimentação com pizza e chopps artesanais.
 
A programação completa está no site www.tijucaocultural.com
 
Legado para a cidade
Os efeitos do Tijucão Cultural poderão ser sentidos mesmo após o encerramento do projeto. Assim que as atividades terminarem, Curitiba terá dezenas de novos agentes culturais prontos para atuarem no meio. Neste ano, o evento é resultado de uma série de oficinas realizadas pelo coletivo Das Nuvens, cuja sede fica no último andar do edifício.
 
Durante três meses, laboratórios de produção cultural, curadoria e comunicação possibilitaram que interessados em cada área pudessem mergulhar no conhecimento e na prática para construir um evento que envolve dezenas de artistas e um público de milhares de pessoas. Liderados por profissionais experientes de cada setor, os alunos participaram desde a escolha dos artistas envolvidos, passando pela divulgação do projeto e realização do evento.
 
“A ideia é multiplicar conhecimento. Estamos ajudando a formar novos profissionais que, além de ajudar o Tijucão Cultural a acontecer, logo colocarão na rua seus próprios projetos. Todo mundo sai ganhando”, anima-se Karla Keiko, uma das idealizadoras do evento.
 
Financiamento coletivo
Ocupar um prédio e seu entorno com arte, além de realizar shows na rua, tem inúmeros custos. No entanto, não há nenhuma cobrança de ingresso para que o público tenha acesso às mostras e apresentações. Por isso, os organizadores abriram um financiamento coletivo para  viabilizar a realização do projeto. Quem contribui, além de ajudar o evento, recebe recompensas como obras, catálogos e residências artísticas. As contribuições podem ser feitas a partir de R$ 10. Para conferir e participar, basta acessar o site https://benfeitoria.com/tijucaoculturaltransborda
 
Eventos no entorno
O Tijucão Cultural ainda contará com algumas outra atividades:
 
- Descasca Underground
Realizado na Praça Osório das 10h às 20h, é um evento promovido pelo estúdio colaborativo CasaTreze Studio. Contará com mostras e intervenções misturando skate, arte urbana e produções curitibanas independentes.
 
- Flash Day no Anita
O Edifício Anita, vizinho do Tijucas, terá seus três andares ocupados por dezenas de tatuadores. Das 10h às 20h, os interessados poderão visitar o local para fazer uma tatuagem.
 
- Mucha Tinta
Artistas visuais estarão nas redondezas do Tijucas realizando diversas intervenções urbanas, as 13h às 19h.
 
- Surpresas do percurso.
 
Tijucão Cultural
Idealizado pelo coletivo Das Nuvens, o Tijucão Cultural leva a cena artística de Curitiba para novos olhares, quebrando barreiras entre a rua e o edifício. Ocupando inúmeras salas do Edifício Tijucas, a ideia é incentivar o poder do coletivo para influenciar o consumo cultural, provocando reflexão. Feito de forma independente, desde 2013, o número de artistas, pessoas envolvidas na produção e público vem crescendo.
 
Serviço:
Tijucão Cultural
Data: 19 de novembro, sábado, a partir das 10h15
Ingressos: entrada gratuita
Locais:
- Boca Maldita
Apresentações a partir das 10h15
- Edifício Tijucas: Rua Luiz Xavier, 68 - Centro
Mostras visuais e performances espalhadas pelos andares do edifício, das 13h às 19h
- Praça Osório
Descasca Underground – skate, arte & rua, das 10h às 20h
- Edifício Anita: Rua Cândido Lopes, 304 - Centro
Flash day de tatuagem nos três andares do edifício
 
Programação Palco Boca Maldita
10h15 - Manifesto Tijucão Transborda (com Chico Bley e Ísis Odara)
11h25 - Conde Baltazar, Seu Zeba, Dani Farah
12h50 - Gripe Forte
14h - Batalha de rimas Santa Rima
16h20 - Karol Conka, Tássia Reis e Janine Mathias
18h - Dow Raiz
19h30 - Central Sistema de Som
 
Artistas participantes da mostra no Edifício Tijucas
Ana Paula Málaga, André Mendes, Clube e Colagem de Curitiba, Deborah Santiago, Eduardo & Maya, Fabio Alves, Fernando Moleta, Geraldo Zamproni, Gio Soifer, Guilherme Figueiredo, Guto Souza, Henrique Martins, Inara Vida, Livia Zafanelli, Magrela Laboratório de Pães, Mariana Alves, Mariana Barros, Mariangela Ferruda Zilli, Nuno José, Orlando Azevedo, Pedro Vieira, Polyana Morgana, Selo 2, William Douglas Ramos.

publicado por o editor às 15:00
link | comentar | favorito
Terça-feira, 3 de Maio de 2016

SpokFrevo Orquestra faz show na Boca Maldita

 

 

 

 
 
            A orquestra pernambucana SpokFrevo, uma big band que mistura frevo e jazz, é a próxima atração do programa Cultura na Rua, desenvolvido pela Fundação Cultural de Curitiba. A SpokFrevo faz uma apresentação gratuita no próximo sábado (7), às 13h, na Boca Maldita, com patrocínio da Petrobras. Conhecida internacionalmente, a orquestra está percorrendo diversas capitais para lançar o seu terceiro álbum, “Frevo Sanfonado”.
            O conjunto de 17 integrantes avança sobre a experimentação e o universo da música popular, renovando mais uma vez o frevo, gênero musical e de dança nascido no Recife há mais de cem anos sob a tradição dos antigos carnavais. Pela sua originalidade, a big band pernambucana já se apresentou em vários eventos internacionais – Jazz at Lincoln Center de Nova York e Berklee College of Music, nos Estados Unidos (outubro/2014), Do Frevo ao Jazz com o trompetista Wynton Marsalis no Parque Dona Lindu, no Recife (abril/2015), Rock in Rio USA em Las Vegas (maio/2015) e turnê europeia pela Itália, Holanda e França (julho/2015).  
 
Metais e acordeão – Frevo Sanfonado, terceiro disco do grupo liderado pelo saxofonista, arranjador e diretor musical Inaldo Cavalcante de Albuquerque, conhecido popularmente como maestro Spok, transporta o som da orquestra de metais (saxofones, trompetes e trombones), percussão, baixo e guitarra para outro lugar totalmente inédito: o diálogo harmônico e melódico com o acordeão, a sanfona ou a gaita-ponto. O disco é fruto de contribuições, em sua maioria, de sanfoneiros e acordeonistas que compuseram frevos inspirados pelo trabalho da SpokFrevo.
“O disco confere uma nova roupagem à sonoridade do frevo ao utilizar um instrumento profundamente nordestino e fortemente pernambucano, que é a sanfona. Nele, os sanfoneiros e acordeonistas executam frevos compostos por eles mesmos”, explica o maestro Spok, pesquisador do frevo e entusiasta da preservação da cultura pernambucana. No disco, cada sanfoneiro atua também como solista, casando improvisações jazzísticas junto com os instrumentistas da orquestra.
 
Colaborações – O trabalho do grupo conta com colaborações oriundas de diferentes gerações e regiões do Brasil. O compositor e arranjador carioca Vitor Gonçalves, que atualmente mora em Nova York e já tocou com Hermeto Pascoal e Maria Bethânia, compôs “De Cazadero ao Recife”. O acordeonista gaúcho Renato Borghetti participa como solista e compositor na faixa “Frevaricação”. Talentos pernambucanos e nordestinos também marcam participação no disco, como o saudoso sanfoneiro pernambucano mestre Camarão, falecido em abril de 2015.
O show em Curitiba é realizado pela Jaraguá Produções, com produção local da Santa Produção e apoio da Prefeitura de Curitiba, Fundação Cultural de Curitiba e Cia da Impressão.
 
            Serviço:
Show da SpokFrevo Orquestra
Local: Boca Maldita - Avenida Luiz Xavier, s/nº, Centro
Data e horário: 7 de maio de 2016 (sábado), às 13h
Gratuito
 

 

 
publicado por o editor às 14:09
link | comentar | favorito
Quarta-feira, 2 de Dezembro de 2015

Dia Nacional do Samba será comemorado nesta quarta-feira na Boca Maldita

 

 

 



Passistas, ritmistas, intérpretes e bambas locais tomam conta da Boca Maldita nesta quarta-feira (2), das 16h às 21h, para comemorar o Dia Nacional do Samba. Na programação estão previstas apresentações de mais de 60 músicos interpretando samba de partido alto, samba de raiz, samba rock, pagode, samba canção, samba enredo entre outros estilos. Para fechar a festa o evento terá a apresentação da escola Leões da Mocidade. 
A celebração é promovida pela Associação Cultural dos Sambistas e Ritmistas do Estado do Paraná e Prefeitura de Curitiba e Fundação Cultural dentro da programação do Mês da Consciência Negra e Diversidade.

Patrimônio

O Dia Nacional do Samba surgiu por iniciativa do vereador baiano, Luis Monteiro da Costa, para homenagear Ary Barroso. Sem conhecer o estado, Ary já tinha composto seu sucesso "Na Baixa do Sapateiro", mas só depois da criação, em  2 de dezembro de 1940, o músico visitou Salvador pela primeira vez.
O samba de roda do recôncavo baiano foi registrado como Patrimônio Cultural do Brasil pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em 2004 e proclamado Obra-Prima do Patrimônio Oral e Imaterial da Humanidade pela Unesco em 2005. É uma expressão musical, coreográfica, poética e festiva das mais importantes e significativas da cultura brasileira. Seus primeiros registros, já com esse nome e com muitas das características que ainda hoje o identificam, datam dos anos 1860.
Depois disso, o Samba de Roda baiano continuou sendo uma das referências do samba nacional, presente nas obras de baianos nacionais como Dorival Caymmi, João Gilberto e Caetano Veloso, assim como na ala das baianas das escolas de samba e nas letras de inúmeros compositores de todo o País.
Fonte:
Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional
Serviço: 

Dia Nacional do Samba

Data: 02/12/2015
Horário: 16h às 21h
Local: Boca Maldida – calçadão da rua XV de Novembro
Gratuito
publicado por o editor às 12:27
link | comentar | favorito
Quarta-feira, 7 de Outubro de 2015

Hamilton de Holanda apresenta show gratuito na Boca Maldita

 

 

 

 

No próximo sábado (10), a Boca Maldita recebe mais uma edição do programa Cultura na Rua, desta vez com o premiado bandolinistaHamilton de Holanda, que vem à cidade com a turnê do disco “Pelo Brasil”, a partir das 19h. O novo projeto é um retrato da diversidade musical brasileira e consiste na concepção, criação e circulação de um concerto multimídia. Os cantores, poetas e compositores paranaenses Luiz Felipe Leprevost e Troy Rossilho abrem o palco, a partir das 13h. A turnê é contemplada pelo programa Petrobras Cultural.

Compositor e criador da técnica polifônica do bandolim brasileiro de 10 cordas, o músico é um dos poucos no mundo com recursos para fazer um espetáculo solo do instrumento. Com repertório baseado em composições autorais como “Carimbobó”, “O jumento e a capivara”, “Sambaíba”, “O Amor e a canção”, “A escola e a bola”, “Chama lá” e “Frevinho”, o projeto propõe uma travessia musical interativa que exalta ritmos brasileiros como o choro, o baião, o maracatu, o samba, o bumba-meu-boi, a moda de viola e o chamamé.

“Pelo Brasil” é um espetáculo que mistura música, textos e projeções, possibilitando ao espectador uma experiência singular, como no momento em que Hamilton interage com sua própria imagem de quando era uma criança de apenas 6 anos. Outro ponto alto é a criação ao vivo de uma música. O show tem direção geral de Marcos Portinari, interferências sonoras de Frango Kaos, design de luz de Marina Stoll, imagens do VJ Boca e arte de Fernando Salles. 
 
Hamilton de Holanda – Transgressor do instrumento e criador de uma técnica revolucionária, o bandolinista contagia plateias em turnês pelo mundo, conquistando prêmios com sua música focada na belezae na espontaneidade. O músico une tradição e modernidade passando por diferentes formações (solo, duo, quinteto, orquestra). Hamilton está em constante produção e enfileira 28 lançamentos em 18 anos de profissão.

Ao lado de seu empresário e parceiro, Marcos Portinari, estreiam Pelo Brasil, na sequência de três grandes lançamentos bem recebidos pela crítica e púbico: “Caprichos”, projeto solo que sintetiza seu trabalho como compositor, que foi indicado ao 15º Grammy Latino entre os melhores discos de música instrumental; “Bossa Negra”, parceria inédita com o cantor Diogo Nogueira e “Hamilton de Holanda e O Baile do Almeidinha”, fruto da gafieira contemporânea que há três anos ocupa o Circo Voador. Hamilton ganhou em junho o Prêmio da Música em duas categorias com o disco “Trio”, ao lado de Thiago da Serrinha e André Vasconcellos.
 
Conheça mais o trabalho dele: https://www.youtube.com/watch?v=sTjioa9F86c

Show de abertura – Os cantores, poetas e compositores paranaenses Luiz Felipe Leprevost e Troy Rossilho sobem ao palco juntos para a apresentação de abertura. Rossilho é o idealizador do projeto No Estúdio do Troy, em parceria com a Whata F! Filmes e Chico Santarosa. Leprevost, além de músico e poeta, atua como ator, diretor e dramaturgo. Na área musical, desenvolve atualmente um trabalho autoral. Acabou de compor e gravar álbum em parceria com Katia Drummond e Ricardo Verocai (banda MUV). Ambos têm canções que fazem parte do repertório de A Banda Mais Bonita da Cidade. Ambos participam do movimento de compositores da atual cena curitibana.

Cultura na Rua  O programa é uma iniciativa da Fundação Cultural de Curitiba que leva espetáculos culturais gratuitos para as ruas da cidade, mais especificamente para a Boca Maldita. O superintendente da FCC, Igor Cordeiro, explica que o projeto une sempre atrações de qualidade em parceria com empresas e outras instituições. "Desta forma podemos atingir um público mais amplo e proporcionamos, de forma gratuita, tardes de muita boa música para os curitibanos", diz.

Serviço: 
Programa Cultura na Rua
Data: 10 de outubro
Luiz Felipe Leprevost e Troy Rossilho
Horário: 13h
Hamilton de Holanda, turnê do disco “Pelo Brasil”
Horário: 19h
Local: Boca Maldita – Centro
Evento gratuito

 

 
publicado por o editor às 12:12
link | comentar | favorito
Quarta-feira, 22 de Janeiro de 2014

Quinteto austríaco levará música erudita ao encerramento da Oficina de Música de Curitiba

 

 

 Vinda do Ensemble Kaleidoskop foi “costurada” pela presidência da FCC e pela Embaixada na Áustria no Brasil
O encerramento da 32ª Oficina de Música de Curitiba, no próximo domingo, dia 26, acaba de ganhar um evento muito especial. Além do esperado show de encerramento na Boca Maldita, que acontece a partir da uma hora da tarde – com o grito de carnaval do bloco Garibaldis e Sacis -, os curitibanos também terão a oportunidade de assistir a uma apresentação de gala de música erudita. A partir das seis e meia da tarde, na Capela Santa Maria, o Ensemble Kaleidoskop, um dos grupos mais populares de música de concert

o da Áustria, apresentará peças de Antonin Dvorak, Helmut Schmidinger e Johann Strauss II. O show é gratuito.
Internacionalmente reconhecido por sua capacidade de interpretar a experiência de concertos de música clássica com repertório tradicional, o Ensemble Kaleidoskop de Viena encanta as audiências e os amantes da música com uma performance inesquecível de obras do repertório de música de câmara tradicional mescladas com obras populares de grandes compositores austríacos, como Johann Strauss II.
Os membros do Ensemble tocam regularmente com as principais orquestras sinfônicas de Viena, que executam a música através de uma ampla variedade de estilos e gêneros – desde a música antiga até a contemporânea -, que exige de cada musico alto nível de performance e especialização. 
“A vinda do Kaleidoskop vinha sendo costurada pessoalmente, há algum tempo, pelo presidente da Fundação Cultural de Curitiba, Marcos Cordiolli. A ideia era fazer uma aproximação entre a Oficina de Música e a Áustria, que é um país central da cena musical erudita”, explica a diretora geral da Oficina, Janete Andrade. “Ficamos muito felizes com a presença dos músicos em Curitiba.” Nesse processo, o papel da Embaixada da Áustria no Brasil foi fundamental.
No sábado (25), a partir das 10h30, o grupo apresenta um workhop gratuito no Paço da Liberdade. Eles vão falar sobre a cena musical na Áustria, país em que a música erudita é tremendamente popular.
Quem é quem no Kaleidoskop – Jacqueline Roscheck Morard (violino I) estudou no Conservatório de Friburgo, na Suíça, e, posteriormente, no Conservatoire Supérieur de Musique de Genebra, onde terminou seus estudos de violino com honras. Ela se apresenta regularmente como solista e membro de conjuntos de música de câmara na Europa, Estados Unidos, Japão e o Oriente Médio. Em 2004, fundou o Conjunto Kaleidoskop Viena. Desde 1986, é professora da Universidade de Música de Viena e de master classes de nível internacional.
Celine Roscheck (violino II) fez suas primeiras aulas de música aos seis anos. Posteriormente, estudou com Michael Frischenschlager na Universidade de Música de Viena, onde se graduou com honras em 2010. Em 1999 e 2000, ganhou o prêmio “Prima la Musica”, o mais importante da música austríaca.
Johannes Flieder (viola) estudou violino de 1966 a 1977 com M. Biedermann, no Conservatório de Música de Viena. De 1977 a 1983, estudou viola com Siegfried Führlinger na Universidade de Música de Viena. Em 1980, ganhou o prêmio do ARD-Competition e, no mesmo ano, tornou-se spalla de viola da Orquestra Sinfônica de Viena, lugar que ocupa até hoje.
Erich Oskar Huetter (violoncelo) estudou com Hildgund Posch, na Universidade de Música de Graz, e com Reinhard Latzko, na Academia de Música de Basileia. Graduou-se em 1999 com honras como solista e pedagogo. Ganhou prêmios em competições em Viena, Stresa, Düsseldorf e Gorizia. É diretor artístico do Festival de Música de Câmara de Styria e do Festival “Sounding Jerusalem”. Erich realiza atividades pedagógicas como professor de violoncelo em Ramallah, na Palestina, dentro do projeto “Música para a Paz”, de Daniel Barenboim.
Christian Roscheck (contrabaixo) estudou com Ludwig Streicher, um dos mais famosos contrabaixistas do século 20. Desde 1980 é membro da Orquestra Sinfônica de Viena. Em 1997, fundou a orquestra de Câmara “Wiener Concert Orchestra”, de que é gerente e principal contrabaixista. Recebeu o prêmio de mérito artístico do Ministério de Educação e Cultura da Áustria.
A presença do Ensemble Kaleidoskop na Oficina de Música de Curitiba foi possível graças ao apoio da Embaixada da Áustria no Brasil, da Referência Locadora de Veículos e do Ateliê Sergius Erdelyi.

 

publicado por o editor às 19:37
link | comentar | favorito
Quarta-feira, 23 de Outubro de 2013

Sábado de muita brasilidade em shows gratuitos na Boca Maldita

 


Em mais uma edição do programa Cultura na Rua, a Boca Maldita recebe no próximo sábado (26), o espetáculo musical “Na eira”. De autoria do coletivo regional “Ponto br”, o show reunirá os batuques de manifestações populares, maracatu, bumba boi e outros ritmos regionais. A tarde de música gratuita começa às 13h com a apresentação dos curitibanos do “Baque Solto”.

Formado por músicos contemporâneos e conhecedores da cultura tradicional, o grupo “Ponto br” conta com a participação do cantador de Bumba Boi, Humberto de Maracanã, de Walter França do Maracatu Estrela Brilhante e chefe do baque centenário campeão do carnaval de Recife, e Zezé de Iemanjá, ekedi e caixeira do Divino da Casa Fanti Ashanti, Renata Amaral, entre outros músicos.

Baque solto – Com dez anos de atuação, a banda curitibana Baque Solto mistura música brasileira, rock e música eletrônica para sintetizar sua diversidade. A banda tem em seu currículo shows em teatros, bares e projetos culturais, prêmios em festivais de música, um compacto independente (2006) e lançou, há quase um ano, seu primeiro álbum
cinematerapiareligiãoecarnaval”. Segundo a crítica, o trabalho resulta em uma música sem rótulos, que propõe misturar ritmos e estilos criando uma atmosfera “neotropicalista contemporânea” e através dessa liberdade, o Baque Solto estabelece sua identidade.

Oficinas – Além do show, o coletivo Ponto br também promoverá duas oficinas gratuitas na Casa Hoffmann. A primeira atividade é a Oficina de Rabeca com o suíço Thomas Rohrer que acontecerá no domingo (27), das 11h às 13h. No mesmo dia, das 15h às 17h é a vez de Ribinha de Maracanã ministrar sua Oficina de Bumba Boi. Para se inscrever nas atividades basta mandar e-mail paracontato7@ponto.mus.br
Serviço:
Shows de Baque Solto e Ponto br
Local: Boca Maldita
Horário: das 13h às 15h
Gratuito
publicado por o editor às 23:25
link | comentar | favorito
Quarta-feira, 21 de Agosto de 2013

Siba e Trombone de Frutas fazem show gratuito na Boca Maldita

 

Programa Cultura na Rua promove mais um sábado de música no Centro de Curitiba

O cantor e compositor pernambucano Siba e a banda curitibana Trombone de Frutas são as atrações da segunda edição do Cultura na Rua que acontece no dia 24 de agosto. O programa da Fundação Cultural de Curitiba, que leva espetáculos culturais gratuitos para as ruas da cidade, mais uma vez acontece na Boca Maldita. Segundo o superintendente da FCC, Igor Cordeiro, devido ao sucesso do show da Orkestra Rumpilezz realizado em junho deste ano, a programação e o tempo de espetáculo no palco principal foram ampliadas. “O curitibano aprovou o local e o formato, e desta vez poderá acompanhar as duas atrações no mesmo palco. Para nós é fundamental que os artistas da cidade possam trocar experiência com artistas consagrados de outros estados”, afirma Igor.
O sábado na Boca começa com a música do recifense Siba que apresentará músicas do seu quarto disco, Avante. Acompanhado por Felipe Faraco (teclado e vibrafone), Leo Gervázio (tuba), Thiago Babalu (bateria) e Mestre Nico (percussão) o cantor faz parte da chamada “nova MPB”. Siba embaralha referências, poéticas, geográficas, literárias e místicas para produzir músicas que podem lembrar o Rio de Janeiro e Jimmy Hendrix, São Paulo e as canções de repentistas na voz de Antônio Alves ou Curitiba, a Praia dos Carneiros ou Thelonious Monk e Zé Galdino.
Trombone de Frutas – A banda formada por Conde Baltazar (Voz), Thiago Ramalho (Voz, Guitarra e Loop Station), Marc Olaf (voz e Piano), Rodrigo Ribeiro (Baixo), João Taborda (Bateria), Marcel Cruz (Percussão) e Rimon Guimarães mistura música autoral com performances teatrais. Segundo os integrantes o conjunto produz trilhas sonoras para vida. “É a busca pela nova sonoridade, pela conexão entre músicos e plateia”, definem.
Serviço: Programa Cultura na Rua Data: 24 de agosto Siba Horário: 13h às 14h Trombone de Frutas Horário: 14h30 às 15h30 Local: Boca Maldita – Centro
Evento gratuito
publicado por o editor às 19:04
link | comentar | favorito

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

.subscrever feeds