Quarta-feira, 25 de Maio de 2016

Montagem de O Primo Basílio em cartaz no Teatro Cleon Jacques  

 

 

Com direção de Fabiano Amorim, a nova montagem do clássico “O Primo Basílio”, de Eça de Queiroz, inicia neste final de semana sua segunda temporada teatro no Cleon Jacques, no Parque São Lourenço.Em cartaz até o dia 5 de junho, as apresentações acontecem aos sábados e domingos em sessões  às 19h e 21h.
Para Amorim é um momento importante, pois o teatro homenageia a quem ele considera seu mestre. Além de ter se formado sob a batuta de Jacques, Fabiano interpretou uma das montagens emblemáticas do professor e diretor teatral, ‘Perdoa-me por me traíres’. “Este trabalho ficou na memória de todos que juntos trabalharam e tiveram a oportunidade de conferir o talento de Cleon Jacques. Agora, tenho a oportunidade de prestar uma homenagem ao meu mestre, levando ‘O Primo Basílio para o teatro homenageia pessoa tão ilustre, que colaborou com a construção da cena teatral paranaense”, diz ele, acrescentando que o fotógrafo da equipe de O Primo, Gilson Camargo, também participou do trabalho com Jacques. “A música “La Força del Destino”, de Verdi, que abre a peça também é a mesma do Perdoa-me”.

A adaptação do texto de Eça, assinada junto com Leandro Catapam, faz uma colagem narrativa em que a história não deixa de ser contada, mas enfoca a dimensão emocional dos personagens, “uma espécie de colagem textual, totalmente advinda das palavras de Eça”, nas palavras do diretor. 

“Minha real motivação era representar o texto e ser fiel a ele, sem grandes invenções ou mudanças. Então, a adaptação busca a essência de Eça, seu jeito de contar a história, suas maravilhosas palavras”, observa ele, que optou por contar a história de forma não linear e cronológica. “São os fatos marcantes sobrepostos, os episódios do sentimento como diz Eça”.

“Procuramos fazer uma obra bem cuidada e minimalista. Priorizando o trabalho dos atores nesta missão de levar ao público uma obra de incomensurável valor, pois entendemos que o teatro, antes de realizar-se plenamente no momento da representação, constitui-se em texto literário”, diz Fabiano, sobre o projeto produzido pela MKF Produções Artísticas.

Serviço:
O Primo Basílio
Data: 21/05 a 05/06. Sábados e domingos, com duas sessões por dia: às 19h e 21h.
Local: Teatro Cleon Jacques (R. Mateus Leme, 4700).
Ingressos: R$20 e R$10 (meia entrada)

FICHA TÉCNICA
Elenco: Jeff Bastos, Marcilene Moraes, Enrique Gaio e Marcia Gomez. Dir: Fabiano Amorim.
Produção: MKF Produções Artísticas.

 

 
publicado por o editor às 15:15
link | comentar | favorito
Terça-feira, 12 de Abril de 2016

Vida e cartas de amor de Carmen Miranda inspiram LOVLOVLOV

 

 

 

O Teatro Cleon Jacques, no Parque São Lourenço, recebe a partir da próxima quinta-feira (14), às 19h, a peça LOVLOVLOV. O espetáculo fica em cartaz até 15 de maio com apresentaçoes de quinta a sábado às 20h e domingos às 19h. Os ingressos custam R$ 10 e 5 (meia). Realizada com o apoio do Programa de Apoio e Incentivo à Cultura da Fundação Cultural de Curitiba e Prefeitura de Curitiba e incentivo do Positivo, Apolar e Soma LOVLOVLOV é uma criação de Isabel Teixeira, Fernando de Proença, Diego Marchioro, Edith de Camargo, Beto Bruel, Ná Ozzetti, Paulo Vinícius, Renata Roel, Leonardo Pimentel Daniel e Cindy Napoli.
Dividida em cinco choques, a produção partiu de um estudo minucioso da vida e das cartas de amor de Carmen Miranda. Para além de seu talento nato e sua voz única, Carmen foi exposta em sua época como produto Made in Brazil. Relida e revisitada anos mais tarde pelos tropicalistas, ainda permanece como espelho e referência de um país que volta a tatear suas raízes e identidades em meio à escuridão que assola os dias atuais. À procura de espelhos, o que se nos apresenta são rostos vazios.
Tal estudo centrado em uma figura emblemática da América Latina, em contraponto com o cotidiano efêmero da sala de ensaio ,o estudo conduziu os artistas a outros rumos. LOVLOVLOV é uma peça autoral de um coletivo curitibano, naqual as dramaturgias pessoais afloram.

Sinopse

Num mundo onde a manipulação se esconde para além do que é visível (onde começam os fios que regem as marionetes?), uma figura emblemática é exposta numa espécie de cabine/vitrine. Dois atores dividem um espaço bipartido (o público tem que escolher de que lado vai ficar, A ou B) e realizam o mesmo texto na boca de um mesmo personagem. No Museu de Cera dos Carnes (a vitrine), dois atores, Carne 1 e Carne 2 (duas vozes para uma mesma figura), estão constantemente expostos. Na vitrine do que é criado para o consumo, os Carnes mergulham numa viagem humana e pessoal: sofrem por um amor não correspondido e transitam por diversas paisagens e patologias da paixão. Ainda há o fio do amor na confinação a que nos reduz o mundo atual, paradoxalmente globalizado? Ainda é possível sentir por conta própria? Manipulados, esquecidos, explorados, expostos, os Carnes esperam uma resposta.

FICHA TÉCNICA
dramaturgia: ISABEL TEIXEIRA DIEGO MARCHIORO E FERNANDO DE PROENÇA.
direção ISABEL TEIXEIRA.
elenco DIEGO MARCHIORO E FERNANDO DE PROENÇA.
sonoplastia e música ao vivo EDITH DE CAMARGO.
música original NÁ OZZETTI.
arranjos e guitarras em “I Say Money I Say Mens” (Ná Ozzetti) Adeus Batucada (Silval Silva) KIKO DINUCCI
vozes em off ALICE RUIZ, CHRISTIANE DE MACEDO, CLAUDETE PEREIRA JORGE, DANILO GRANGHEIA, GEORGETTE FADEL, JOANA LOUÇÃ, MARTINA GALLARZA, SIMONE SPOLADORE, ZÉLIA DUNCAN
iluminação BETO BRUEL.
cenário e figurino PAULO VINÍCIUS.
cenotécnica STUDIO FABRICA
adereços PAULO VINÍCIUS E LEONARDO PIMENTEL
alfaiate ALFAIATARIA TRESELES
preparação corporal RENATA ROEL.
operação de luz e contra regra AUGUSTO RIBEIRO.
direção de produção DIEGO MARCHIORO e CINDY NAPOLI
assessoria de imprensa FERNANDO DE PROENÇA
fotografia ELENIZE DEZGENISKI.
vídeos ALAN RAFFO E RAFAEL BERTELLI
edição de teasers LUCAS BRANDÃO
designer gráfico LEONARDO PIMENTEL DANIEL.
realização RUMO EMPREENDIMENTOS CULTURAIS.
SERVIÇO
TEATRO CLEON JACQUES – Parque São Lourenço
De 14 de Abril a 15 de Maio de 2016
Apresentações: quinta a sábado, às 20h; Domingo às 19h
Ingressos: R$10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia entrada) –
quintas feiras: gratuito
Classificação: 18 anos
40 lugares por sessão, sujeito a lotacao do espaço.
duração: 70 minutos

 

 
publicado por o editor às 14:08
link | comentar | favorito
Terça-feira, 21 de Janeiro de 2014

"Os Beatniks em A Gaivota" remonta clássico russo

 

 

Cia Novos Candangos de Brasília encena espetáculo no Teatro Cleon Jacques
A Cia Novos Candangos de Brasília apresenta entre os dias 25 e 26 de janeiro a peça "Os Beatniks em A Gaivota" no Teatro Cleon Jacques. O espetáculo dirigido por Diego de Leon, contemplado com o Prêmio de teatro Myriam Muniz 2013, apresenta uma companhia que não existe encenando o clássico russo "A Gaivota", de Anton Tchekhov. Mistura-se o que é realidade, o que é ficção e o que é teatro entre os personagens e atores.
Numa grande desordem, quatro atores jogam com a realidade e a ficção, tratando a obra de arte como um brinquedo na mão de meninos irresponsáveis. A peça é um pseudo-manifesto sobre arte e teatro, uma mistura de Tchecóv com Shakespeare, Pirandello e comédias chapolinescas.
“A Gaivota” conta a história de Trepliov, um jovem dramaturgo apaixonado por Nina, uma atriz iniciante. Nina, por sua vez, está apaixonada pelo ilustre escritor Boris Trigorin, companheiro de uma das maiores divas do teatro russo, Irina Arkádina, mãe de Trepliov. A ideia de desconstruir o texto clássico e remontá-lo sob outro ponto de vista começou em 2011, após uma série de estudos teóricos sobre teatro contemporâneo.
Ficha Técnica
Realização: Cia Novos Candangos e No Ato Produções
Texto original: Anton Tchecóv
Direção: Diego de Leon
Elenco da Cia Novos Candangos: André Rodrigues, Diego de Leon, João Campos e Xiquito Maciel
Iluminação: Emmanuel Queiroz
Serviço:
Os Beatniks em A Gaivota
Livre adaptação de “A Gaivota” de Anton Tchecóv
Data: 25 e 26 de janeiro
Horário: 18h30 (sábado) e 17h30 (domingo)
Local: Teatro Cleon Jacques (Av. Mateus Leme, 4700 – São Lourenço)
Ingressos: R$20,00 e R$10,00 (meia-entrada)
Duração: 60 minutos
Classificação: 16 anos

 

publicado por o editor às 12:08
link | comentar | favorito

A Falecida é encenada em Curitiba pela Cia. Novos Candangos

 

 

 
A No Ato Produções e a Cia Novos Candangos traz à Curitiba o espetáculo A Falecida, celebrando o centenário de Nelson Rodrigues. O espetáculo estreou em agosto de 2012 no Rio de Janeiro e foi contemplado pelos Prêmios Funarte Nelson Brasil Rodrigues: 100 Anos do Anjo Pornográfico (2012), Prêmio Funarte de Teatro Myrian Muniz 2012, prêmio SESC do Teatro Candango, nos editais de ocupação da Caixa Cultural 2013-2014 e circulação pelo Fundo Apoio a Cultura do DF.
 
Numa montagem moderna e contemporânea, os atores apresentam a história de Zulmira, vítima de tuberculose, e Tuninho, desempregado, que vive dos restos de uma indenização. O casal vê seus cotidianos virarem de cabeça para baixo, a partir da visita aflita de Zulmira àcartomante. A vidente diz à moça para ter cuidado com uma mulher loura, afirmação que vai deflagrar em Zulmira a explicação para o mistério de todo os seus males.
 
Ficha técnica
 
Texto: Nelson Rodrigues
Realização e Produção: Cia Novos Candangos e No Ato Produções
Direção: Diego de León
Preparação de Elenco: Luana Proença
Elenco da Cia Novos Candangos: André Rodrigues, Diego de León, João Campos, Luisa Duprat, Mateus Ferrari, Tati Ramos e Xiquito Maciel.
Figurino: Cyntia Carla
Iluminação: Marcelo Augusto Santana
Fotos: Guilherme Rocha
Registro Audio-Visual: Rafael Toscano
 
Serviço:
 
Data: 24, 25 e 26 de janeiro
Horário: 20h30 (sexta e sábado) e 19h30 (domingo)
Local: Teatro Cleon Jacques (Av. Mateus Leme, 4700 – São Lourenço)
Ingresso: R$20,00 e R$10,00 (meia-entrada)

 

publicado por o editor às 12:07
link | comentar | favorito
Terça-feira, 14 de Janeiro de 2014

"Os Beatniks em A Gaivota" remonta clássico russo

 

 

 
Cia Novos Candangos de Brasília encena espetáculo no Teatro Cleon Jacques

A Cia Novos Candangos de Brasília apresenta entre os dias 25 e 26 de janeiro a peça "Os Beatniks em A Gaivota" no Teatro Cleon Jacques. O espetáculo dirigido por Diego de Leon, contemplado com o Prêmio de teatro Myriam Muniz 2013, apresenta uma companhia que não existe encenando o clássico russo "A Gaivota", de Anton Tchekhov. Mistura-se o que é realidade, o que é ficção e o que é teatro entre os personagens e atores.
Numa grande desordem, quatro atores jogam com a realidade e a ficção, tratando a obra de arte como um brinquedo na mão de meninos irresponsáveis. A peça é um pseudo-manifesto sobre arte e teatro, uma mistura de Tchecóv com Shakespeare, Pirandello e comédias chapolinescas.
“A Gaivota” conta a história de Trepliov, um jovem dramaturgo apaixonado por Nina, uma atriz iniciante. Nina, por sua vez, está apaixonada pelo ilustre escritor Boris Trigorin, companheiro de uma das maiores divas do teatro russo, Irina Arkádina, mãe de Trepliov. A ideia de desconstruir o texto clássico e remontá-lo sob outro ponto de vista começou em 2011, após uma série de estudos teóricos sobre teatro contemporâneo.
Ficha Técnica
Realização: Cia Novos Candangos e No Ato Produções
Texto original: Anton Tchecóv
Direção: Diego de Leon
Elenco da Cia Novos Candangos: André Rodrigues, Diego de Leon, João Campos e Xiquito Maciel
Iluminação: Emmanuel Queiroz
Serviço:
Os Beatniks em A Gaivota
Livre adaptação de “A Gaivota” de Anton Tchecóv
Data: 25 e 26 de janeiro
Horário: 18h30 (sábado) e 17h30 (domingo)
Local: Teatro Cleon Jacques (Av. Mateus Leme, 4700 – São Lourenço)
Ingressos: R$20,00 e R$10,00 (meia-entrada)
Duração: 60 minutos
Classificação: 16 anos

 

publicado por o editor às 23:00
link | comentar | favorito

Nelson Rodrigues moderno e contemporâneo

 


A Falecida é encenada em Curitiba pela Cia. Novos Candangos



A No Ato Produções e a Cia Novos Candangos trazem à Curitiba o espetáculo A Falecida, celebrando o centenário de Nelson Rodrigues. O espetáculo estreou em agosto de 2012 no Rio de Janeiro e foi contemplado pelos Prêmios Funarte Nelson Brasil Rodrigues: 100 Anos do Anjo Pornográfico (2012), Prêmio Funarte de Teatro Myrian Muniz 2012, prêmio SESC do Teatro Candango, nos editais de ocupação da Caixa Cultural 2013-2014 e circulação pelo Fundo Apoio a Cultura do DF.



Numa montagem moderna e contemporânea, os atores apresentam a história de Zulmira, vítima de tuberculose, e Tuninho, desempregado, que vive dos restos de uma indenização. O casal vê seus cotidianos virarem de cabeça para baixo, a partir da visita aflita de Zulmira à cartomante. A vidente diz à moça para ter cuidado com uma mulher loura, afirmação que vai deflagrar em Zulmira a explicação para o mistério de todo os seus males.



Ficha técnica



Texto: Nelson Rodrigues

Realização e Produção: Cia Novos Candangos e No Ato Produções

Direção: Diego de León

Preparação de Elenco: Luana Proença

Elenco da Cia Novos Candangos: André Rodrigues, Diego de León, João Campos, Luisa Duprat, Mateus Ferrari, Tati Ramos e Xiquito Maciel.

Figurino: Cyntia Carla

Iluminação: Marcelo Augusto Santana

Fotos: Guilherme Rocha

Registro Audio-Visual: Rafael Toscano



Serviço:

Data: 24, 25 e 26 de janeiro

Horário: 20h30 (sexta e sábado) e 19h30 (domingo)

Local: Teatro Cleon Jacques (Av. Mateus Leme, 4700 – São Lourenço)

Ingresso: R$20,00 e R$10,00 (meia-entrada)

 

publicado por o editor às 23:00
link | comentar | favorito
Quarta-feira, 21 de Agosto de 2013

Peça infantil em cartaz no Teatro Cleon Jacques

 

 


O espetáculo infantil Zordino e Ladico e as aventuras pelo desconhecido estará em cartaz no Teatro Cleon Jacques – Centro de Criatividade de Curitiba nos próximos dois finais de semana. A temporada começa nesta sexta-feira (23) e segue até 1º de setembro. As apresentações acontecem às sextas-feiras, às 10h, com entrada gratuita, e aos sábados e domingos, às 16h, com ingressos a R$ 10 e R$ 5 (meia-entrada).
O espetáculo musical conta a história de um menino sonhador que, com seu diário e muita imaginação, embarca com mais dois garotos em uma inesperada aventura. Através de um portal misterioso, chegam a uma ilha recheada de novidades e jogos virtuais, onde o desafio de passar de fases, vencer o chefão e voltar para casa acaba por revelar a importância da verdadeira amizade. O espetáculo traz um diálogo sobre o valor da escrita e a velocidade da tecnologia, estimulando a criatividade da criança sem esquecer o encantamento da vida.
Com direção de Mari Paula, a montagem surpreende por integrar a atuação dos atores Fernando Kadlu, Ricardo Nolasco e Tarciso Fialho aos recursos de multimídia. De forma fascinante, os personagens são transformados em animações criadas pelo videomaker Gustavo Horn e pela artista visual Juliane Engelhardt, permitindo ao espectador aventurar-se em lugares desconhecidos e inimagináveis. Tudo isso ao embalo de uma sensível trilha original composta por Diegho Kozievitch e Fernando de Castro.
Serviço:
Espetáculo infantil Zordino e Ladico e as aventuras pelo desconhecido.
Local: Teatro Cleon Jacques – Centro de Criatividade de Curitiba (Rua Mateus Leme, 4.700 – São Lourenço)
Datas e horários: de 23 de agosto a 1º de setembro – às sextas-feiras, às 10h, e aos sábados e domingos, às 16h.
Ingressos: sexta-feira – gratuito; sábados e domingos – R$ 10 e R$ 5 (meia-entrada)
Informações: (41) 3313-7190
http://zordinoeladico.wix.com/zordinoeladico
publicado por o editor às 19:02
link | comentar | favorito
Terça-feira, 30 de Julho de 2013

Espetáculo mistura dança contemporânea e cultura indígena

 

 

O espetáculo de dança Corpo Ancestral estreia nesta quinta-feira (1º) e cumpre uma temporada de 12 apresentações no Teatro Cleon Jacques – Centro de Criatividade de Curitiba.  Idealizado pela dançarina e psicóloga Silvia Wy‘a Poty e pelo ator e antropólogo Maikon K, com direção de Cândida Monte, o espetáculo tem como proposta estabelecer o diálogo entre xamanismo, psicologia e dança contemporânea, fazendo com que a dança seja utilizada como forma de integrar mente, corpo e natureza.
O xamanismo é um conjunto de práticas corporais antigas, originárias de tradições indígenas, que visam alinhar o ser humano com a natureza. O espetáculo é estruturado como um “rito de passagem”, uma jornada xamânica, que artistas e público devem atravessar juntos (o público caminha por diferentes ambientes, a encenação acontece ao seu redor, ao seu lado, na disposição de um círculo e até partindo do espectador).
O diálogo com a tradição guarani busca revelar como essa cultura ancestral já detinha conhecimentos sobre o corpo que convergem com os resultados de pesquisas científicas modernas, como a física quântica. O espetáculo propõe uma experiência de integração. O público transita por um cenário-instalação, sendo envolvido por estímulos sensoriais referentes à visão de mundo guarani. Os artistas se revezam nas funções de atuadores e orientadores, ora encenando ora guiando o público através de movimento, respiração e música, dentro de uma estrutura cênica que contrapõe ancestralidade/contemporaneidade, primitivo/tecnológico, performance/ritual.
“Com essa pesquisa buscamos as origens do movimento autêntico. O corpo ancestral que pesquisamos é um corpo que busca se conhecer pelo movimento e em conexão com a natureza, expressando suas potencialidades por meio da arte e na vida diária, resgatando em conhecimentos antigos as chaves para seu equilíbrio no presente. Acreditamos que, quanto mais conscientes de nossas origens e de nossas capacidades como seres humanos, mais podemos desenvolver potenciais latentes em nós e atuar com relevância em sociedade”, explicam os idealizadores do projeto.
Os artistas: Silvia Wy’a Poty desenvolve há mais de uma década um trabalho focado na investigação e na prática artística e terapêutica baseada na conexão corpo/mente e suas associações com ecologia, psicologia, arte, ciência e aprimoramento pessoal. O nome artístico Wy'a Poty – recebido em cerimônia indígena brasileira – traduz a outra face de sua pesquisa, integrando a conexão corpo/dança à cultura e tradições ancestrais. Resultados concretos têm sido transmitidos e difundidos no país e no exterior por meio de oficinas, palestras, atendimentos e espetáculos de dança, sempre associados ao trabalho arte-terapêutico de psicologia corporal.
Antropólogo formado pela Universidade Federal do Paraná, Maikon K se interessa pela pesquisa e o estudo das fronteiras entre teatro e performance, teatro e dança, e o sagrado na arte. Em seus trabalhos constrói a encenação a partir da pesquisa corporal, criando também os textos e as composições sonoras e musicais de cada espetáculo. Em 2012, foi contemplado com o Prêmio Klauss Vianna de Dança, da Funarte, pelo projeto DNA de DAN, com estreia prevista para este segundo semestre de 2013.
Serviço:
Espetáculo Corpo Ancestral, com Silvia Wy’a Poty e Maikon K, e direção de Cândida Monte.
Local: Teatro Cleon Jacques – Centro de Criatividade de Curitiba (Rua Mateus Leme, 4.700 – Parque São Lourenço)
Datas: de 1º a 18 de agosto de 2013, de quinta-feira a domingo.
Horário: de quinta a sábado, às 20h, e aos domingos, às 19h
Entrada franca
Classificação: 18 anos
publicado por o editor às 18:19
link | comentar | favorito
Quarta-feira, 17 de Julho de 2013

Van Gogh é tema de peça em cartaz no Teatro Cleon Jacques

 



       

O Teatro Cleon Jacques, localizado no Centro de Criatividade de Curitiba, apresenta neste fim de semana o espetáculo Na Casa de Van Gogh, do grupo Polo Companhia. O título da peça é uma referência ao ateliê do artista francês Vincent Van Gogh, montado em Arles, no Sul da França, entre 1880 e 1890. Serão três apresentações, de sexta-feira a domingo (19 a 21), às 19h.

O espetáculo baseia-se nas cartas de Van Gogh destinadas ao seu irmão Théo, que custeou todas as despesas do artista nessa fase da sua vida, dos 27 aos 37 anos. Foi um dos períodos mais produtivas da carreira de Van Gogh. O ateliê foi montado com intenção de reunir os seus amigos pintores, mas ali, tomado por crises e alucinações, o artista atentou contra a própria vida.

A peça é encenada numa “sala-instalação”, onde o ator se reveza entre os papéis de narrador e personagem para revelar a vida e a obra do pintor, em um exercício de cor, sutileza e sensibilidade. Estão no elenco os atores Carla Françoase, Fernanda Moraes, Laurem Christie, Lu Gonçalves, Juliana Bohrer e Marco Polo.



Serviço:

Espetáculo Na Casa de Van Gogh, com o grupo Polo Companhia.

Local: Teatro Cleon Jacques – Centro de Criatividade de Curitiba (Rua Mateus Leme, 4.700 – São Lourenço)

Datas e horário: 19, 20 e 21 de julho de 2013 (sexta a domingo), às 19h.

Ingressos: R$ 20
publicado por o editor às 00:40
link | comentar | favorito
Terça-feira, 21 de Maio de 2013

Solo de dança é o programa deste fim de semana

 

Solo de dança é o programa deste fim de semana,

no Teatro Cleon Jacques






O espetáculo “Ensaio sobre o azul” estará em cartaz no Teatro Cleon Jacques neste fim de semana, de 24 a 26 de maio. Apresentado pela bailarina Mariana Mello, o solo de dança contemporânea faz parte de suas pesquisas coreográficas.

Neste espetáculo, concebido sob a orientação de Juliana Adur, a bailarina propõe a investigação de mecanismos de criação a partir da memória, tendo como referência o pensamento do filósofo Henri Bergson. “Memória como tempo, espaço, percepção. Lembranças como fenômeno corporal encarnado, como possibilidades de invenções, criações, recriações”, explica a artista.

Contemplado no Edital de Pesquisa em Dança da Fundação Cultural de Curitiba, na categoria Estruturação Coreográfica, o espetáculo estreou em outubro de 2012, na Casa Hoffmann – Centro de Estudos do Movimento. 



Serviço:

Solo de dança contemporânea “Ensaio sobre o azul”, com Mariana Mello.

Local: Teatro Cleon Jacques (Rua Mateus Leme, 4.700 – São Lourenço).

Datas e horários: de 24 a 26 de maio de 2013. Sexta-feira e sábado, às 20h, e domingo, às 19h.

Ingressos: R$ 10 e R$ 5 (levando um amigo, os dois pagam meia-entrada). 

Informações: (41) 3313-7190 / 9601-8553


publicado por o editor às 22:57
link | comentar | favorito

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

.subscrever feeds